Escolha uma Página
GO: oito militares do Exército ficam feridos após explosão de artefato no Forte Santa Bárbara

GO: oito militares do Exército ficam feridos após explosão de artefato no Forte Santa Bárbara

Grave acidente na área militar do Exército em Formosa

Formosa (GO) – Um míssil acaba de explodir no Forte Santa Bárbara, em Formosa-GO. A área do Exéricito existente em Formosa é o maior centro de treinamento militar existente na América Latina, informações preliminares que acabaram de ser divulgadas há poucos instantes apontam para quatro militares feridos, ainda não se sabe a gravidade e o estado de saúde das vítimas até o presente momento. Entretanto, em informações preliminares, o que se sabe até agora é que dois militares tiveram que ser levados em uma aeronave para o Hospital das Forças Armadas em Brasília, os outros 6 militares foram conduzidos para o Hospital Estadual de Formosa.
Segundo alguns militares que prestam serviço militar em Formosa, um morteiro explodiu no rosto de um tenente da corporação, o tenente juntamente com outro militar que estava próximo dele precisaram de ser conduzidos de helicóptero para um hospital do Distrito Federal, conforme relato de testemunhas, os militares acidentados eram do Estado do Paraná, fazem parte da brigada antiaérea e estavam em treinamento no Campo de Instrução de Formosa.
O Campo de Instrução de Formosa (CIF), com sua superfície de quase 1.200 km2, é a maior e melhor área para exercícios de tiro de artilharia e foguetes que o Exército Brasileiro possui. Inclusive foi aquartelada lá, para possibilitar a realização de seu treinamento de tiro, a mais poderosa unidade de artilharia de foguetes do Exército e da América do Sul, o 6º Grupo de Lançadores Múltiplos de Foguetes (GLMF), equipada com o Sistema ASTROS II, fabricado pela empresa brasileira Avibras.

NOTA À IMPRENSA
O Comando Militar do Planalto informa que na manhã desta terça-feira (16/8), no Campo de Instrução de Formosa (GO), ocorreu incidente durante o exercício de adestramento de Defesa Antiaérea.
O incidente foi no transcurso das atividades planejadas, no emprego de uma Viatura Antiaérea especializada durante procedimentos relativos à manutenção da mesma, com a presença de técnico e militares capacitados.
Após o fato, oito militares ficaram feridos e foram prontamente atendidos pelas quatro equipes de saúde empregadas na Operação, utilizando suas ambulâncias e o helicóptero da equipe de segurança. Até o momento, dois militares permanecem hospitalizados. O estado de saúde deles é estável e não correm risco de vida. Os demais foram atendidos em hospitais da cidade de Formosa e Brasília e foram liberados.
Seção de Comunicação Social do Comando Militar do Planalto
GOIÁS URGENTE/montedo.com

Ciro sobre Forças Armadas: “Quando vejo alguém como Pazuello chegar ao generalato, alguma coisa tá profundamente errada. E quem promoveu foi o PT!”

Ciro sobre Forças Armadas: “Quando vejo alguém como Pazuello chegar ao generalato, alguma coisa tá profundamente errada. E quem promoveu foi o PT!”

“Militar da ativa não participará mais de cargo comissionado político”, declara Ciro Gomes
O candidato concorre as eleições de 2022 pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT); o ex-governador falou sobre atuação dos representantes das forças armadas no governo

O Roda Viva segue a sabatina com os candidatos à Presidência da República, e nesta segunda-feira (15) o programa convida Ciro Gomes do Partido Democrático Trabalhista (PDT) para debater tópicos diversos e propostas.
Durante a edição desta noite, o jornalista da Folha de S.Paulo, Vinicius Torres Freire, questionou Ciro Gomes sobre como o candidato irá conduzir a atuação dos militares no governo brasileiro.
“Começo com algumas questões normativas e outras de maior profundidade. Normativa, militar da ativa não participará mais de cargo comissionado político, todos estarão proibidos”, comentou o ex-governador do Ceará.
O representante do PDT ainda ressalta. “Na sequência vou fazer um esforço imenso de restaurar a condição de qualificação e os critérios de promoção”.

Assista ao programa completo:

UOL/montedo.com

Militar do Exército é preso com artefatos explosivos em Fortaleza

Militar do Exército é preso com artefatos explosivos em Fortaleza

No carro do militar do Exército, os policiais militares também encontraram porretes de madeira

Jéssika Sisnando
Repórter

Cinco pessoas foram presas pelo Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) nesse domingo, 14, em ocorrências relacionadas a brigas de torcidas no Clássico-Rei, em Fortaleza. Ao todo, foram detidas quatro mulheres e um militar do Exército Brasileiro, que tinha dez artefatos explosivos carro e dois porretes de madeira.
O militar do Exército foi preso durante escolta de torcedores na avenida Silas Munguba, que seguia para a Arena Castelão.
Uma equipe do Raio, da Polícia Militar do Ceará (PMCE) realizou uma abordagem ao carro dele, um automóvel de modelo Gol, e encontrou os dez artefatos explosivos.
Identificado como W.S.M.O., ele foi encaminhado a uma unidade da Polícia Civil e autuado em flagrante. As quatro mulheres detidas foram ouvidas e liberadas na delegacia.
O Povo/montedo.com

Exército evita competição militar organizada pela Rússia

Exército evita competição militar organizada pela Rússia

Os Jogos Internacionais do Exército são realizados desde 2015; o Brasil foi observador no ano inaugural e em 2019, e competiu, pela primeira vez, em 2021

O Exército brasileiro desistiu, como divulgado nesta segunda-feira (15), de participar de uma competição militar internacional organizada pela Rússia, em meio à guerra na Ucrânia.
O Centro de Comunicação Social da Força confirmou à Folha que não enviará nenhuma delegação ao evento, os Jogos Internacionais do Exército.
A competição deste ano começou no sábado (13) e vai até o dia 27.
O Exército não revelou o motivo, mas oficiais não identificados pela Folha afirmam que a decisão foi política e decorreu do receio de sugerir posicionamento do Brasil na guerra.
Os Jogos existem desde 2015. O Brasil foi observador no ano inaugural e em 2019 e competiu pela primeira vez em 2021, nas categorias que não envolviam o uso de veículos blindados.
O Antagonista/montedo.com

Aviões da FAB e navios de guerra participarão do 7 de Setembro de Bolsonaro em Copacabana

Aviões da FAB e navios de guerra participarão do 7 de Setembro de Bolsonaro em Copacabana

Lauro Jardim
Jair Bolsonaro desistiu de botar tanques e soldados na orla de Copacabana no dia 7 de setembro — na verdade, foi obrigado a recuar. Mas não abandonou a ideia de envolver militares em seu ato político no dia em que se comemora a Independência.
Os organizadores da manifestação conseguiram o o.k. para que a Esquadrilha da Fumaça, da FAB, faça suas manobras e acrobacias nos céus da Avenida Atlântica.
A Marinha também dará sua contribuição: navios de guerra atravessarão a Baía de Guanabara e singrarão o mar de Copacabana na data.
Oficialmente, o motivo para ambas demonstrações é que elas fazem parte dos festejos do bicentenário. Mas não é necessário somar dois e dois para entender que servirão à campanha à reeleição.
O Globo/montedo.com

STF dá 5 dias de prazo para Bolsonaro se manifestar sobre ação contra convocação de PMs pelas Forças Armadas

STF dá 5 dias de prazo para Bolsonaro se manifestar sobre ação contra convocação de PMs pelas Forças Armadas

Jair Bolsonaro terá um prazo de cinco dias para se manifestar sobre um pedido feito por seis partidos de oposição, que entraram com a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 997 no Supremo Tribunal Federal. As legendas querem que STF declare inconstitucional qualquer hipótese de convocação direta das polícias militares dos estados pelo governo federal ou pelas Forças Armadas para fins de pretensa manutenção ou contenção da ordem pública. Diante disso, o ministro Dias Toffoli — relator do caso — fixou o prazo para o presidente se pronunciar.
De acordo com o Supremo, a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Procuradoria-Geral da República (PGR) também devem se manifestar nos autos dentro do mesmo prazo.
Na ação, Partido Socialista Brasileiro (PSB), Partido Verde (PV), Solidariedade (SD), Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e Rede Sustentabilidade (Rede) argumentam que o Decreto-Lei 667/1969, baseado no Ato Institucional 5 (AI-5), e o Decreto 88.540/1983, que regulamentou as hipóteses de convocação de PMs, embora ainda vigentes, não podem se sobrepor à Constituição de 1988. A Carta Magna subordinou as forças policiais aos governadores dos estados.
EXTRA/montedo.com

Skip to content