Santos Cruz agrada mais que Onyx na articulação política com o Congresso

Apoiadores, e até a oposição, preferem o general na articulação em vez de Onyx. Foto: Marcelo Casal Jr/ABr

O PREFERIDO
Apoiadores e até a oposição preferem o general na articulação em vez de Onyx

Cláudio Humberto
No governo, a crítica ao desempenho do ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) na articulação política é tão ampla que se ele dependesse de uma votação de deputados do PSL, por exemplo, teria dificuldades de permanecer no cargo. Ao contrário de Onyx, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Santos Cruz, cresce no conceito dos parlamentares. Só esta semana, exagera um deles, “Santos Cruz fez mais pela articulação do governo que o Onyx nos últimos três meses”. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.
É o próprio Santos Cruz, chamado de “rei da simpatia”, que tem recebido deputados e os acompanha para reuniões com Bolsonaro.
Na Casa Civil, deputados dizem ser recebidos por assessores que são apenas especialistas em servir cafezinho. Onyx está sempre ocupado.
Deputado relatou a Alexandre Frota (PSL-SP) que, após esperar duas horas, ouviu de Onyx: “Você tem um minuto, o presidente me espera”.
O deputado Julio Delgado (PSB-MG) já afirmou que se sentiria mais “confortável” com Santos Cruz (que conhece há nos) na articulação.
DIÁRIO do PODER/montedo.com

Nos bastidores, Bolsonaro incentiva ataques a Mourão

Bolsonaro e Mourão | Jorge William

POR GABRIEL MASCARENHAS
Jair Bolsonaro traçou uma estratégia para fazer frente aos movimentos de Hamilton Mourão, sem criar mais ebulição num governo que parece navegar em permanente efervescência: trata-se, na prática, de terceirizar ataques.
Bolsonaro tem estimulado alguns de seus líderes a descerem a borduna no vice.
A coluna teve acesso a um áudio de WhatsApp em que Bolsonaro lança algumas de suas marcas registradas verbais (“valeu aí” e “é isso aí”) para agradecer e, mais grave, incentivar um aliado que lhe informara que vinha criticando Mourão nas redes sociais.
Em outro diálogo, com uma frase, Bolsonaro prevê que a batalha doméstica contra o companheiro de caserna vai perdurar pelos próximos três anos anos. Mais: dá a entender que pensa mesmo em disputar a reeleição. “Em 2022, ele vai ter uma surpresinha”. Palavras de capitão.
Lauro Jardim (O Globo)/montedo.com

Postado no canal de Bolsonaro, vídeo com ataques de Olavo de Carvalho a militares é deletado

O presidente Jair Bolsonaro (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)

Painel
Um vídeo em que Olavo de Carvalho dispara críticas a aliados de Jair Bolsonaro, principalmente os militares, publicado neste sábado (20) no canal oficial do presidente no Youtube foi apagado no final da tarde deste domingo (21). O conteúdo ficou pelo menos 20 horas no ar, relata Julia Chaib.
No vídeo, que teve mais de 100 mil visualizações, Carvalho diz que considera Bolsonaro um “mártir”. “Só de aguentar esses filhos da puta que têm em volta dele. Não dá, não dá.”
O escritor critica os “novos políticos”, pessoas que, segundo ele, decidiram se candidatar a cargos eletivos na esteira da popularidade de Bolsonaro e afirma que a solução do Brasil não é pela política, mas sim pela elevação da cultura.
“Dentro do governo é isso que vocês estão encontrando. É só intriga, é só sacanagem, egoismo, vaidade, é só isso que tem. Tem que levantar a cultura e esperar que um dia talvez surja uma classe política melhor, educada por nós”, diz.
Em seguida, Carvalho passa a reclamar de integrantes das Forças Armadas. “Qual foi a última contribuição das escolas militares para a alta cultural nacional? As obras do Euclides da Cunha. Depois de então foi só cabelo pintado e voz empostada. Cagada, cagada. Esse pessoal subiu ao poder em 1964, destruiu os políticos de direita e sobrou o quê? Os comunistas.”

Veja o vídeo deletado do canal de Bolsonaro:

“Os milicos têm que começar por confessar os seus erros antes de querer corrigir os erros dos outros. Essa é a lei de Cristo. Primeiro os teus pecados, depois os do vizinho. Mas no Brasil não, todo mundo é assim: ´somos os patriotas, os heróis, salvamos o Brasil do comunismo, nós isso, aquilo´. Tudo conversa mole. Quem salvou o Brasil do comunismo foram as lideranças civis em 1964”, continua Olavo.
Depois, o escritor ainda atrela aos militares o surgimento do PT.
Esta não é a primeira vez que Carvalho critica integrantes das Forças Armadas. Em declarações recentes e posts nas redes sociais, o escritor fez críticas contundentes ao vice-presidente Hamilton Mourão e ao ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz.
FOLHA/montedo.com

RJ: sargento da Aeronáutica morre em tentativa de assalto

Sargento da Aeronáutica morre em tentativa de assalto em São Gonçalo
Tony Anderson Fernandes Barbosa estava de moto na Rodovia Niterói-Manilha quando foi abordado pelos bandidos

Rio – O sargento da Aeronáutica Tony Anderson Fernandes Barbosa, de 41 anos, foi morto em um assalto, nesta quinta-feira, na Rodovia Niterói-Manilha (BR-101), na altura São Gonçalo, na Região Metropolitana do estado. O militar estava de moto em direção a Itaboraí, quando, por volta das 12h, no bairro do Gradim, foi abordado por bandidos. Os criminosos atiraram contra ele e levaram sua moto.

O sargento, que era lotado no Hospital da Aeronáutica dos Afonsos, no Campos dos Afonsos, na Zona Oeste da capital, chegou a ser socorrido no Hospital Alberto Torres, mas não resistiu aos ferimentos. Ainda não há informações se ele reagiu ao assalto.
Com a morte do militar, já chega a 17 o número de agentes da segurança pública assassinados no Rio em 2019; são 15 PMs, um guarda municipal, além do agente da Aeronáutica.
O Disque Denúncia informou que está oferecendo uma recompensa de R$ 5 mil para quem der informações que levem à prisão dos envolvidos no crime. A entidade reforça que as denúncias anônimas e elas que serão encaminhadas à Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSGI), que investiga o caso.
Quem tiver qualquer informação pode entrar em contato através dos seguintes canais: Disque Denúncia: (21) 2253-1177; WhatsApp ou Telegram Portal dos Procurados: (21) 98849-6099; Facebook: www.facebook.com/procurados.org; ou ainda pelo aplicativo “Disque Denúncia”.
O Dia/montedo.com

Bolsonaro anuncia o porte de arma para praças das Forças Armadas

Bolsonaro anuncia o PORTE DE ARMA em lei para PRAÇAS DAS FORÇAS ARMADAS

Em vídeo divulgado hoje o presidente anunciou a liberação do porte de arma para praças das Forças Armadas.
A questão é uma demanda antiga dos graduados das Forças Armadas. Pois, embora previsto em lei, o porte da arma para militares graduados dependia ainda de decisões administrativos. Entre as Forças Armadas havia quem dificultasse muito a concessão. A maior parte das reclamações vinham de graduados da MARINHA do BRASIL e já houve quem acionou a justiça para garantir o direito.

O presidente disse:
“o que a gente pretende… nos sabemos que… já ta acertado com o Ministério da Defesa (o porte de arma) para os praças com estabilidade assegurada nas Forças Armadas. Sabemos que hoje em dia um praça ou oficial da polícia militar tem o porte assegurado 24 horas por dias e também quando vai para a reserva, estamos trazendo isso para as nossas forças armadas também, o nosso praça com estabilidade assegurada, depois de 10 anos de serviço, passa a ter o seu porte garantido.
Afinal de contas se um praça com 10 anos não puder portar uma arma ele tem que sair do Exército, da marinha e da aeronáutica. Obviamente quem for fazer uma segurança particular vai ter problema, o porte é particular. Não é para o colega aí fazer segurança particular.“
SOCIEDADE MILITAR/montedo.com

Exército homenageia Boechat e general lembra surpresa: “Eu sou comunista”

Thaís Sant’Anna
Colaboração para o UOL

Ricardo Boechat, que morreu na queda de um helicóptero em fevereiro, recebeu hoje uma homenagem do Exército brasileiro em São Paulo. Veruska Seibel Boechat, mulher do jornalista, participou de uma cerimônia e ganhou uma medalha da corporação em nome do marido.
“Receber a medalha do Exército Brasileiro em nome do meu marido é a prova de que, mesmo criticando, é possível ser
respeitado. Pessoas e instituições podem ser diferentes e, ainda assim, conviver civilizadamente”, escreveu ela, ao compartilhar o momento em seu Instagram.
Veruska ainda relatou uma história curiosa que o general do exército falou para ela.
“Por que eu estou gargalhando em uma das fotos? Porque o general me contou que avisou da homenagem quando ele
[Boechat] ainda era vivo e ele perguntou: ‘o exército vai mesmo me dar uma medalha, general? Eu sou comunista’. E tive certeza de que o diálogo aconteceu exatamente assim”, disse.
Em março, Veruska se emocionou ao lembrar do primeiro mês sem o marido.
“É dia 11 outra vez. Quem me dera tudo tivesse sido só um pesadelo”, escreveu ela, que publicou na rede social uma foto dos dois juntos e também um bilhete amoroso que ele deu para ela.
UOL/montedo.com

Mourão diz que impeachment é bobagem e que se prosperar volta para a praia

Feliciano alega,entre outros motivos,que Mourão endossou uma postagem crítica a Bolsonaro feita pela jornalista Rachel Sheherazade | Foto: Romério Cunha / VPR / CP

Pedido foi protocolado pelo deputado Marco Feliciano

Agência Estado
O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, classificou nesta quinta-feira, 18, como uma “bobagem” o pedido de impeachment dele protocolado pelo deputado Marco Feliciano (Podemos-SP), que o acusa de conspirar contra o presidente Jair Bolsonaro. “Se prosperar, eu volto para a praia”, disse Mourão, na saída da Vice-Presidência da República.
O deputado e vice-líder do governo alega, entre outros motivos, que Mourão endossou uma postagem crítica a Bolsonaro feita pela jornalista Rachel Sheherazade, do SBT. Na mensagem, curtida por Mourão, a jornalista indica que Mourão é a melhor opção para gerir o País. Sob influência do professor Olavo de Carvalho, Feliciano afirma que Bolsonaro tem ciência do pedido.
CORREIO do POVO/montedo.com

Imagem do dia

Vista interna do 3. Regimento de Cavalaria Mecanizado, em Bagé (RS) – Crédito: divulgação 3. RCMec

Novo ministro demite brigadeiro do MEC

Militar que foi o número 2 do MEC é demitido pelo novo ministro
A exoneração já foi publicada no Diário Oficial

O tenente brigadeiro Ricardo Machado Vieira, que havia sido colocado pelo governo no Ministério da Educação (MEC) para organizar a pasta durante o ápice da crise na gestão de Ricardo Vélez Rodríguez, foi demitido hoje. Machado Vieira foi nomeado secretário executivo, cargo tido como número dois dos ministérios, no dia 29 de março.
Com a substituição de Vélez por Abraham Weintraup, foi dito ao militar que ele ficaria como assessor especial. Hoje, no entanto, ele foi avisado que não mais teria função no MEC. Sua exoneração já foi publicada no Diário Oficial.
Segundo o Estado apurou, Weintraup está trazendo de volta para cargos importantes os chamados “olavistas”, ligados ao guru do bolsonarismo Olavo de Carvalho. Os militares sempre rivalizaram com esse grupo porque defendem uma gestão mais técnica.
Enquanto ainda era secretário executivo, o brigadeiro, inclusive, tentou mudar o decreto sobre alfabetização elaborado no MEC. Ele ouviu sugestões de especialistas de entidades como o Conselho Nacional de Educação (CNE) e tirou do documento a preferência por um método de ensinar a ler e escrever, o fônico. Educadores haviam criticado o foco em uma modalidade.
O secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim, no entanto, ligado a Olavo e defensor do método fônico, mudou o decreto novamente.
CORREIO 24 HORAS/montedo.com

Marco Feliciano pede impeachment do general Mourão

Feliciano vê crime de responsabilidade em ‘like’ de Mourão e pede impeachment
Na denúncia, consta que Mourão teria curtido um tweet de Raquel Sheherazade ‘detonando com o presidente Jair Bolsonaro’

AE Agência Estado
O deputado federal Marco Feliciano (Podemos-SP) protocolou na terça-feira (16/4), um pedido de impeachment do vice-presidente Hamilton Mourão. Ele acusa o general de ter tido comportamento indecoroso e vê crime de responsabilidade.
Um dos argumentos colocados no pedido é uma “curtida” (like) da conta de Mourão no Twitter em uma publicação da jornalista Rachel Sheherazade, do SBT. “A denúncia por crime de responsabilidade contra Mourão se deu por comportamento indecoroso em várias ocasiões. Exemplo: na medida em que ele curtiu tweet de Rachel Sheherazade, detonando com o presidente Jair Bolsonaro, o louvando como melhor opção para governar o país.”
CORREIO BRAZILIENSE/montedo.com

Skip to content