Que nojo!

Meu amigo Odorico, debochado como sempre…

Uruguai acaba com tribunal especial para militares e mexe em aposentadorias

Lei polêmica reduz o número de oficiais e elimina Tribunais de Honra das Forças Armadas

MAGDALENA MARTÍNEZ – Montevidéu

Centos de pessoas machan em Montevideo o 11 de abril passado, para repudiar a impunidade judicial para exrepresores da ditadura.
Centos de pessoas machan em Montevideo o 11 de abril passado, para repudiar a impunidade judicial para exrepresores da ditadura. EFE

Prestes a terminar o mandato e em pleno ano eleitoral, a coalizão de esquerda uruguaia Frente Ampla conseguiu a aprovação do Parlamento para a primeira reforma das Forças Armadas desde a chegada da democracia ao Uruguai. O projeto, que havia sido aprovado pela Câmara dos Deputados em maio, tornou-se lei depois da aprovação no Senado na noite de terça-feira com os votos da Frente Ampla e do Partido Independente por 31 a 17, depois de vários meses de tensões com os militares.

A votação pôs fim a toda uma época, pois a lei vigente tinha sido adotada durante a ditadura (1973-1985). Em uma sessão que durou até altas horas na Câmara alta, os dois principais partidos da oposição, o Partido Nacional (PN) e o Partido Colorado, votaram contra a mudança e o PN anunciou que, se ganhar as eleições deste ano revogará a nova lei. A formação alegou que o debate sobre a reforma não foi suficientemente profundo e consensual e o Partido Colorado indicou que alguns pontos poderiam ser inconstitucionais.

A medida mais surpreendente da reforma é a redução do comando: o número de generais passa de 16 a 12, o de coronéis de 197 a 130 e o de almirantes de 97 a 76. Esse corte significará uma economia considerável, que se junta à reforma das aposentadorias militares, também promovida este ano pela Frente Ampla, devido ao elevado déficit da Caixa Militar. A redução das aposentadorias, que terá efeito real dentro de décadas, desencadeou fortes tensões com os oficiais e com a chefia do Estado Maior.

Outra grande mudança é o desaparecimento dos Tribunais de Honra, instâncias da Justiça Militar onde foram iniciados vários processos pelos quais foi declarada a inocência dos militares que confessaram, perante a corte, terem sido responsáveis por desaparecimentos e assassinatos cometidos durante a ditadura. Esses casos, que vieram à tona este ano, levaram à demissão do ministro da Defesa e do chefe máximo das Forças Armadas.

O Exército uruguaio terá agora Tribunais de Ética Militar, submetidos à Justiça Civil. Um dos capítulos mais interessantes da nova lei é a supressão explícita de qualquer referência à Doutrina de Segurança Nacional importada dos Estados Unidos na década de setenta e que definia que a missão do Exército era lutar tanto contra inimigos externos quanto internos. Essa doutrina serviu de base para a perseguição dos grupos de esquerda em toda a América Latina, sustentou ditaduras e violações de direitos humanos.

Obediência devida

A reforma uruguaia define agora o papel das Forças Armadas como a “defesa da população, da soberania, da independência e da integridade territorial e a salvaguarda dos recursos estratégicos do país determinados pelo Poder Executivo”. Também enfatiza que essa defesa deve respeitar os direitos humanos e estar sujeita à Constituição e às leis.

A lei também abole a doutrina da “obediência devida” brandida pelos militares para cumprir ordens dos oficiais. A partir da entrada em vigor da lei, os soldados serão obrigados a obedecer aos seus comandos, mas sempre dentro da legalidade. “Nenhum militar deve cumprir ordens manifestamente contrárias à Constituição da República e às leis em vigor, ou que impliquem a violação flagrante ou a ilegítima limitação dos direitos humanos fundamentais”, afirma o texto.

Diante da polêmica e dos boatos, o ministério negou que haverá redução dos serviços de saúde, funerários e de assistência social aos militares.

EL PAÍS/montedo.com

Macron volta a defender projeto de Forças Armadas para a Europa

  • Por Jovem Pan

EFE

Líderes europeu se uniram ao presidente francês Emmanuel Macron no domingo para a tradicional parada militar do Dia da Bastilha em Paris

O presidente da França, Emmanuel Macron, voltou a defender o projeto das Forças Armadas da Europa para defender o continente militarmente. As celebrações do Dia da Bastilha, realizadas neste domingo (14), em Paris, foram utilizadas para reforçar a ideia de que a região precisa atuar em conjunto. 

Para Macron, enquanto os Estados Unidos estiverem sob o comando de Donald Trump não será possível confiar no principal aliado do bloco. Apesar disso, o projeto prevê atuação conjunta com a Otan, organização militar também muito conhecida da região, que conta com EUA e Turquia, por exemplo.

Ontem (14), em Paris, a tradicional parada militar que celebra o início da Revolução Francesa teve a participação dos parceiros de Macron: Bélgica, Reino Unido, Alemanha, Dinamarca, Holanda, Estônia, Espanha, Portugal e Finlândia. Entre os chefes de governo presentes estava Angela Merkel, da Alemanha, que demonstra alguma simpatia aos planos de Macron. 

Por mais que a maioria dos franceses tenha optado pelo fortalecimento da União Europeia quando o país o escolheu para ser seu novo presidente, as questões internas ainda são a prioridade.  E neste ponto Macron ainda não conseguiu empolgar os franceses. Desigualdade crescente, empregos precários, violência urbana e um crescimento econômico imperceptível para a maioria continuam minando a credibilidade do presidente que assumiu o cargo com um belo discurso de nova política que até agora trouxe pouca coisa nova de fato.

Jovem Pan/montedo.com

Vice-presidente Mourão sobre homossexualidade no Exército: “Sempre houve, mas dentro da disciplina”

FELIPE BRANDÃO

O vice-presidente e general do Exército Hamilton Mourão (Reprodução)

O vice-presidente da República, Antônio Hamilton Martins Mourão, foi o convidado de hoje (terça-feira, 16) do programa Conversa com Bial. Em conversa com o apresentador Pedro Bial, ele falou a respeito de temas polêmicos, como os casos de inclusão de pessoas transgêneros no Exército.

“É uma questão delicada. Transgênero só existe um caso ou dois, se houve. Homossexualidade sempre houve, agora, dentro da disciplina e da hierarquia”, explicou Mourão, que também é general da reserva do Exército Brasileiro.

Ele também falou sobre a admiração que compartilha com o presidente titular, Jair Bolsonaro, pelo Coronel Brilhante Ustra, considerado pela Justiça torturador durante o regime militar. “Foi um exemplo de soldado pra mim”, revelou o vice, acrescentando que não considera tal intervalo da história brasileira como uma ditadura, mas como um “período de presidentes militares”.

Ao abordar a Reforma da Previdência, Mourão mostrou-se satisfeito com o encaminhamento que a questão vem tendo. “Queríamos uma ótima, está saindo uma boa. Teremos que voltar a discutir o assunto, mas dentro dos seus limites e das pressões que sofreu, o Congresso fez a parte dele”, analisou.

OBSERVATÓRIO DA TELEVISÃO/montedo.com

Bolsonaro anuncia venda de aeronaves da Embraer para Portugal

Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil  Brasília

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (16), por meio de sua conta pessoal no Twitter, a venda de cinco aeronaves da Embraer, modelo KC-390, para a Força Aérea Portuguesa. Esta é a primeira venda desse novo modelo para um país europeu.

“Conseguimos concluir a venda de cinco aeronaves Embraer KC-390 para a Força Aérea Portuguesa, após autorização da aquisição pelo Governo de Portugal, que contribuiu ativamente para o desenvolvimento do KC, exemplo da tecnologia de ponta que produzimos no Brasil”, disse Bolsonaro em seu Twitter.

Jair M. Bolsonaro@jairbolsonaro

– Grande notícia! Conseguimos concluir a venda de cinco aeronaves Embraer KC-390 para a Força Aérea Portuguesa, após autorização da aquisição pelo Governo de Portugal, que contribuiu ativamente para o desenvolvimento do KC, exemplo da tecnologia de ponta que produzimos no Brasil.37.1K9:29 PM – Jul 16, 2019Twitter Ads info and privacy6,895 people are talking about this

Portugal desembolsará pelos aviões, 827 milhões de euros, que equivale a cerca de R$ 3,5 bilhões. O contrato envolve ainda um simulador de voo e suporte técnico. O primeiro desses aviões deve aterrissar em solo lusitano em fevereiro de 2023.

As aeronaves vão substituir os modelos Hércules C-130, da norte-americana Lockheed Martin, que atualmente servem a Força Aérea Portuguesa.

O KC-390 é um avião cargueiro de transporte tático militar, o maior já fabricado no Brasil.  A produção da aeronave está sendo feita em Gavião Peixoto (SP).  Uma das suas utilizações é no transporte de tropas e cargas.

Além do transporte de cargas e tropas, o KC-390 pode ser usado também para transporte de paraquedistas, para o abastecimento de outras aeronaves no ar, missões de busca e salvamento com equipamentos especiais, combate a incêndios florestais e até em voos para a Antártida.

A Embraer, também está negociando a venda do cargueiro para Chile, Argentina, Colômbia e República Tcheca. 

AGÊNCIA BRASIL/montedo.com

Cabo do Exército é preso com milhares de comprimidos de ecstasy e pontos de LSD

Cabo do Exército e universitário são presos com mais de mil comprimidos de ecstasy e 1.700 pontos de LSD

Segundo a Polícia Civil, o militar seria o fornecedor de entorpecentes para quadrilhas no Grande Recife. Drogas estão avaliadas em R$ 105 mil. Outro homem também foi capturado.

Por G1 PE


Cabo do Exército e mais dois são presos com milhares de unidades de ecstasy e LSD

Cabo do Exército e mais dois são presos com milhares de unidades de ecstasy e LSD

Um cabo do Exército, um universitário e outro homem foram presos no Recife por tráfico de drogas. A Polícia Civil informou, nesta sexta (12), que apreendeu com eles mais de mil comprimidos de ecstasy, 1.700 pontos de LSD, além de 40 gramas de cocaína, 50 gramas de MDMA, quatro gramas de haxixe e maconha. O material está avaliado, segundo a corporação, em R$ 105 mil. 

De acordo com o delegado Carlos Couto, responsável pelas investigações, o cabo Henrique Pacheco de Oliveira, de 26 anos, atuava como o fornecedor e entregava as drogas para os outros dois homens.

Também foram presos o estudante universitário Marcelo André Gomes Campos, de 19 anos, e Dayvid Vitor de Oliveira França, de 21 anos. Os homens foram autuados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

“Pelas investigações, ficou claro que o grupo é todo interligado, tendo como ponto-chave o cabo do Exército Henrique, que fornecia as drogas sintéticas não só para esse grupo, mas para outros, de toda a Região Metropolitana do Recife”, diz o delegado.

Os pontos de LSD foram apreendidos pela Polícia Civil, no Recife  — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Os pontos de LSD foram apreendidos pela Polícia Civil, no Recife — Foto: Polícia Civil/Divulgação

As prisões foram realizadas na terça-feira (9), um dia depois que os policiais da Delegacia de Jardim São Paulo, na Zona Oeste, receberam informações sobre uma possível entrega de comprimidos de ecstasy em um posto de combustíveis em Casa Amarela, na Zona Norte. A droga sairia do bairro do Sancho, também na Zona Oeste.

“No dia 8 [segunda-feira], conseguimos identificar um veículo supostamente envolvido na transação de drogas. Por volta das 15h20 do dia seguinte, abordamos o carro, no Terminal da Macaxeira [Zona Norte]. Foram encontrados 40 gramas de cocaína. À noite, detivemos um segundo indivíduo, no bairro do Derby [Centro da cidade], quando ele tentava entregar três gramas de MDMA”, afirma o delegado.

Comprimidos de ecstasy foram encontrados com grupo, que tinha um cabo do Exército como fornecedor, no Recife — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Comprimidos de ecstasy foram encontrados com grupo, que tinha um cabo do Exército como fornecedor, no Recife — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Ainda segundo Carlos Couto, a partir das duas prisões realizadas, foi possível chegar ao cabo do Exército, suspeito de fornecer o entorpecente. “Essas drogas eram vendidas no atacado e varejo, para outros distribuidores, pelas redes sociais, e também nas próprias festas de música eletrônica, que são os principais pontos de venda desses psicotrópicos”, explica Carlos.

Na casa do Henrique, segundo a polícia, foram encontrados cerca de 1.700 pontos de LSD, bem como cerca de mil comprimidos de ecstasy, de origens nacional e importada, 40 gramas de MDMA, haxixe e maconha.

“O próprio Henrique se surpreendeu com toda essa quantidade que ele mantinha em depósito. Tudo indica que essa droga vinha pelos Correios, de outros estados, principalmente de São Paulo. A gente tem apenas a primeira prisão em flagrante e as investigações continuam para desarticular não só esse grupo, mas outros que têm envolvimento”, afirma o delegado.

G1/montedo.com

Skip to content