Porta arrombada… FAB passa a usar cães farejadores para checar bagagens dos passageiros de seus voos

Na esteira do vergonhoso episódio em que um sargento foi flagrado na Espanha com 39 quilos de cocaína, a FAB finalmente adotou uma providência que poderia ter evitado o vexame internacional: o emprego de cães farejadores para revistar as bagagens em seus voos.

Confira o vídeo da revista em um dos voos, publicado no Twitter de Gilson Romeiro, coronel da reserva do Corpo de Bombeiros de Alagoas.

Embarque em aviões da FAB agora é assim…
Se reclamar pede pra sair e pede baixa.

Valeu @jairbolsonaro @DefesaGovBr! pic.twitter.com/63VKoqcCEA— Coronel Gilson Romeiro ✝️✝️🇧🇷🇧🇷 (@Gilsonromeiro) 7 de julho de 2019

Defesa vê ‘armação’ e vai pedir extradição de sargento preso na Espanha

Defesa vê ‘armação’ e vai pedir extradição de militar preso na Espanha com 39 kg de cocaína na comitiva de Bolsonaro

Advogado Carlos Alexandre Klomfahs quer acesso aos inquéritos administrativo e militar sobre o caso e prepara pedido ao Ministério da Justiça e Segurança Pública para que requeira transferência de Manoel Silva Rodrigues; defesa sustenta que ele não cometeu o crime e que, por supostamente ter se consumado no Brasil, deve responder pelo processo no País

Fausto Macedo e Luiz Vassallo

O segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, preso em Sevilla, na Espanha, por transportar cocaína Foto: Reprodução

A defesa de Manoel Silva Rodrigues, militar preso com 39 kg de cocaína na Espanha, prepara um pedido ao Ministério da Justiça e Segurança Pública para que o governo elabore um requerimento de extradição para julgamento do militar no Brasil. Também pediu acesso aos autos de inquérito administrativo e policial-militar sobre o caso.

O militar deu procuração para que o advogado Carlos Alexandre Klomfahs seja constituído como seu defensor no Brasil. “A defesa reitera que ainda não teve acesso a íntegra das acusações, mas que de pronto, refuta todas as acusações e afirma com convicção tratar-se de uma armação”, afirmou, em nota à imprensa.

Segundo apurou o Estado, a defesa sustenta que ele deve ser extraditado porque o crime teria sido cometido em território brasileiro. Pretende ainda refutar a acusação de que Rodrigues era responsável pela droga.

Rodrigues, que é comissário de bordo, fazia parte da comitiva de 21 militares que acompanha a viagem de Bolsonaro ao Japão, onde participa da reunião do G-20. O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) em que estava o militar é usado como reserva da aeronave presidencial e, portanto, esta comitiva não fazia parte do mesmo voo que transportou o presidente. A droga foi encontrada em sua bagagem ao desembarcar em Sevilha, na Espanha, primeira etapa da viagem.

ESTADÃO/montedo.com

“Nunca lideraram nem guerra de travesseiros”. E nem precisam

Carlos Fabio Barbosa Macêdo

“Nunca lideraram nem guerra de travesseiros”.
Como assim? E nem precisam…..Nenhum General – comandante de um Exército, ou mesmo um sargento – comandante de pequenas frações, precisam comandar seus subordinados numa guerra convencional, para poderem demonstrar seu valor moral e preparo profissional, como também atributos como coragem e lealdade.

Todo o tipo de treinamento e/ou capacitação técnica são feitos em tempos de paz, enfrentando-se situações e conflitos fictícios, a fim de adestrar o militar para possíveis situações reais.

Não somente Generais e Cel Cmt OM, mas também oficiais de baixa patente, como também militares graduados (STen, Sgt, Cb) e até mesmo nossos soldados têm plena capacidade de, sendo postos à prova, mostrarem sua abnegação e senso do cumprimento do seu dever constitucional: Defender a Pátria, se preciso for, até com o sacrifício da própria vida.


O que dizer da FEB? Os nossos pracinhas, ao serem convocados para um conflito de proporções mundiais, primeiro receberam treinamento específico em território nacional, em condições de temperatura e relevo análogos aos do território do conflito. E a história, no mundo inteiro, está aí para contar os feitos destes valorosos militares, de todas as graduações e postos. Nossos heróis nacionais, o são também para os italianos, a exemplo do saudoso Sgt Wolf – patrulheiro dos patrulheiros, e muitos outros que perderam suas vidas em território não pátrio.

Em tempos modernos, de uns trinta anos para cá (1990…..), o nosso Exército – Braço forte e mão amiga – tem atuado em diversas situações de apoio à Nação, diante dos desafios que se impõem à nossa frente.

Como exemplo, podemos citar alguns deles, dentre muitos outros:
– Operações de GLO – Garantia da Lei da Ordem;
– Operações de GVA – Garantia de Votação e Apuração;
– Operação Carro-pipa – Gestão, controle e distribuição de água potável no NE brasileiro;
– Operação Acolhida – Amparo e apoio ao povo venezuelano no Estado de Roraima;
– Operação Felino (OPLP) – Exercícios conjuntos entre países de Língua Portuguesa;
– Operação Ágata – Na Região Norte do nosso país, em conjunto com outras Forças Auxiliares e judiciárias;
– ACISOS – Ação cívico-social em diversas regiões do nosso país;
– Operação Ilhéus;
– Operação Iléia-pátria;
– Operação Maré;
– Intervenção Federal no Estado do Rio de Janeiro;
– Intervenção por Ordem judicial em presídios federais e estaduais;
– Operações de combate à Dengue e outras doenças urbanas e arbo-virais;

E por fim, por não me recordar de muitas outras, as Missões de Paz mundo afora, sendo reconhecidas (Nossas FFAA), como uma Força de altíssima capacidade técnico-profissional, demonstrada ao logo de mais de 60 anos de atuação (Desde 1948…..até os dias atuais).

Todas estas atividades foram elaboradas, pensadas, estudadas, trabalhadas e executadas sob a chefia, direção ou comando de Oficiais generais, os quais tiveram sob sua subordinação e chancela, muitos outros militares: Cel, Ten Cel, Maj, Cap, Ten, Asp Of, STen, Sgt, Cb e Soldados, sem os quais nenhuma destas missões e tarefas seriam tão bem executadas, como realmente foram.

Nosso generais, nem nossos militares, realmente “Nunca lideraram nem guerra de travesseiros”, pois têm outras “guerras” muito mais importantes e urgentes para combater, em prol e por amor ao nosso povo e ao nosso grande País.

Brasil, Caatinga!!!

Imagem do dia

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up

Emoção durante cerimônia de entrega de espadim, um dos símbolos da formação militar rumo ao oficialato, na Academia da Força Aérea (AFA). 
Alexandre Manfrim – Ascom/MD

Maduro anuncia exercícios militares para colocar à prova planos de defesa

O ditador Nicolás Maduro em evento para celebrar o Dia da Independência da Venezuela, em Caracas
O ditador Nicolás Maduro em evento para celebrar o Dia da Independência da Venezuela, em Caracas – Palácio de Miraflores via Reuters

Ditador cita ‘denúncias de planos desestabilizadores’ no evento do Dia da Independência da Venezuela

CARACAS | AFP – O ditador Nicolás Maduro anunciou nesta sexta (5) que as Forças Armadas venezuelanas farão, no próximo dia 24, exercícios militares na fronteira para “colocar à prova” planos de defensa nacional em meio a “pedidos de intervenção e guerra”. “Vamos fazer exercícios militares para a defesa do mar do Caribe, das costas venezuelanas e da fronteira”, disse o mandatário durante o tradicional desfile militar em Caracas para comemorar a proclamação da independência do país. Maduro afirmou que a atividade busca “manter azeitados” os equipamentos das Forças Armadas e voltou a citar “denúncias de planos desestabilizadores”.

O ditador acusa Washington, que não descarta uma saída militar frente à crise venezuelana, de tentar tirá-lo do poder. “Já basta de conspirações (…), de planos para desestabilizar e causar danos à Venezuela (…), de pedidos de intervenção militar e guerra”, exclamou Maduro, rodeado pela alta cúpula do Exército, considerado sua principalbase de sustentação.

Horas antes, o chefe de operações das Forças Armadas, almirante Remigio Ceballos, denunciou um “assédio constante de exploração” e “inteligência eletrônica” dos Estados Unidos próximo à fronteira e em zonas aéreas e marítimas sob jurisdição da Venezuela. Em 2019, segundo Ceballos, foram detectadas “mais de 70 incursões à área de controle de voos, constantemente explorando as telecomunicações” na fronteira. Houve presença de “veículos aéreos e navais” na zona econômica exclusiva do país petroleiro, acrescentou uma funcionária da Assembleia Constituinte, órgão controlado pelo regime.

Nos últimos meses, o governo Trump anunciou uma série de sanções contra funcionários, ex-funcionários e entidades venezuelanas, incluindo um embargo petroleiro a partir de abril. Os Estados Unidos são os principais aliados do líder Juan Guaidó,chefe da Assembleia Nacional, de maioria opositora, e reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países. Ele afirma que quer tirar Maduro do poder para instalar um governo de transição e convocar novas eleições. Além da crise política, provocada por eleições contestadas pela oposição e denúncias de violações de direitos humanos, o país sul-americano também passa por graves problemas econômicos, que têm privado as pessoas de comida e acesso à saúde.

Heleno minimiza críticas de Carlos Bolsonaro


O general Augusto Heleno minimizou hoje as críticas feitas por Carlos Bolsonaro ao órgão que chefia, responsável pela segurança do presidente.

Em entrevista à GloboNews, o ministro do GSI disse que é subordinado a Jair Bolsonaro, de quem recebe críticas positivas, e não de seu filho.

“Hoje mesmo ele foi muito claro em dizer ‘tenho absoluta confiança no GSI’. Essa é a manifestação que eu escuto, e que tenho certeza que é o que ele pensa.”

O Antagonista/montedo.com

PF envia delegado à Espanha para interrogar sargento preso com droga


A PF decidiu enviar um delegado para interrogar pessoalmente o segundo-sargento Manoel Silva Rodrigues, preso na Espanha com 39 kg de cocaína na mala, informa o Jornal Nacional.

A outra opção era pedir o compartilhamento de provas às autoridades espanholas. O nome do delegado não foi divulgado.

O caso de Rodrigues está sendo investigado pela PF e pela FAB.

O Antagonista/montedo.com

“Nunca lideraram nem guerra de travesseiros”, diz Carlos Bolsonaro sobre militares

O Vereador Geral da República, Carlos Bolsonaro, respondeu em seu melhor estilo às críticas que recebeu do General Rocha Paiva, que o chamou de ‘pau-mandado e idiota útil’.

General ataca Carlos Bolsonaro: “Pau-mandado, idiota inútil”

General Luiz Eduardo Rocha Paiva disparou mensagens e pediu: ‘Pode repassar’

General Luiz Eduardo Rocha Paiva Foto: Moreira Moriz/Agência Senado
General Luiz Eduardo Rocha Paiva Foto: Moreira Moriz/Agência Senado

Carlos Bolsonaro plantou, e agora vai começar a colher. A última estocada do Zero Dois nos militares de alta patente com assento no governo — ontem, contra o ministro Augusto Heleno, do GSI — já teve a primeira reação.

O general Luiz Eduardo Rocha Paiva, integrante da Comissão de Anistia do governo federal, disparou hoje uma mensagem de WhatsApp em que chama Carlos de “pau-mandado do Olavo”, referindo-se ao escritor Olavo de Carvalho.

“Pau-mandado de Olavo. Se o pai chama os estudantes vermelhinhos de idiotas úteis, e eu concordo, para mim, o filhinho dele é um ‘idiota inútil’, ou útil para os esquerdistas”, dizia a mensagem, acrescida de uma assinatura do general e um “Pode repassar”.

A estocada em Heleno foi numa página página bolsonarista, a @snapnaro, que havia publicado o vídeo de uma pessoa que se diz jornalista e, sem provas, acusa o GSI e a FAB de cúmplice do sargento Manoel Silva Rodrigues, preso na semana passada com cocaína.

Carlos então escreveu, nos comentários:

“Por que acha que não ando com seguranças? Principalmente aqueles oferecidos pelo GSI? Sua grande maioria pode ser até homens bem-intencionados e acredito que seja, mas estão subordinados a algo que não acredito. Tenho gritado em vão há meses internamente e infelizmente sou ignorado.”

E depois, naquela lógica e naquela construção frasal toda dele, continuou:

“Não digo que sou dono da razão e evitei até aqui me expor desse jeito, mas não está dando mais. Estou sozinho nessa, podendo a partir de agora ser alvo mais fácil tanto pelos de fora tanto por outros. Há muito mais nisso tudo! Mas se viemos aqui para deixar uma mensagem! Creio que essa faz uma parte dela, mesmo que isso custe minha vida! Um abraço!”.

ÉPOCA/montedo.com

Skip to content