Ministro da Defesa pede a Lula aumento de salário de militares após crise de desconfiança

Lula e Múcio

Demanda foi apresentada por comandantes das Forças Armadas diante da insatisfação de praças e suboficiais

Cézar Feitoza
BRASÍLIA – O ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, se comprometeu com os comandantes das Forças Armadas a fazer um esforço junto ao presidente Lula (PT) e à equipe econômica para conceder um aumento de cerca de 9% para o salário dos militares.

Os chefes militares apresentaram a demanda a Múcio em conversas nos meses de julho e agosto.

A avaliação nas cúpulas militares, especialmente no Exército, é que há uma insatisfação generalizada de praças e suboficiais com os salários recebidos.

A contrariedade tem aumentado desde 2019, quando o que era para ser uma reforma na Previdência dos militares se transformou numa reestruturação da carreira, com a criação de uma série de benefícios atrelados à conclusão de cursos e promoções por tempo de serviço.

Os benefícios, na prática, criaram uma série de distorções nos ganhos dos militares —movimento que aumentou os rendimentos de oficiais superiores e oficiais-generais e reduziu ou estagnou os de praças e militares de baixa patente.

Como a Folha mostrou, generais engordam seus salários com ajudas de custo de até R$ 150 mil pagas nas movimentações militares, que geralmente ocorrem a cada dois anos. O valor sobe para cerca de R$ 300 mil quando eles vão para a reserva.

Segundo relatos, Múcio já teve conversas sobre o aumento salarial dos militares com Lula e a ministra da Gestão, Esther Dweck. Uma nova rodada de conversas será feita em setembro e outubro, quando as discussões sobre o orçamento de 2024 devem ganhar tração.

A tese defendida pela Defesa é a de que o tratamento de civis e militares deve ser o mesmo. Como os servidores públicos receberam aprovação de um aumento de 9% em seus vencimentos, Múcio espera conseguir o mesmo reajuste para os fardados.

No Exército, o comandante Tomás Paiva designou o chefe do Estado-Maior da Força, general Fernando Soares, para criar um grupo de trabalho para apresentar uma proposta de reajuste salarial para os militares da Força.

Generais ouvidos pela Folha argumentam que praças e suboficiais recebem atualmente um salário até 30% menor que o pago até 2001, quando o então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) editou uma medida provisória —apelidada na caserna como “MP do Mal”— que reduziu ou extinguiu uma série de benefícios militares.

A reestruturação da carreira de 2019, capitaneada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), ampliou a diferença salarial sem fazer mudanças relevantes no soldo —a base do salário do militar.

A lei aumentou o adicional que militares recebem pelos cursos feitos durante a carreira —um valor percentual que é multiplicado ao soldo para a composição do salário bruto do militar.

O curso de especialização subiu de 16% para 27%, por exemplo. O de altos estudos saltou de 30% para 73%.

O problema, segundo relatos de sargentos, é que os cursos só são liberados aos militares após eles alcançarem determinadas patentes ou tempo de serviço. No caso de praças, há menos vagas nas classes do que para oficiais.

Por exemplo, os oficiais formados na Aman (Academia Militar das Agulhas Negras) têm permissão para fazer o curso de aperfeiçoamento oito anos após a entrada na Força. No caso dos sargentos formados na ESA (Escola de Sargentos das Armas), o prazo é de 12 anos.

“Os praças se sentiram muito traídos [na reestruturação da carreira], sem dúvida a reforma privilegiou as camadas de cima”, avalia a pós-doutoranda em ciência políticas da Unicamp, Ana Penido, pesquisadora sobre os militares.

Para ela, as distorções criadas em 2019 deveriam ser revistas num plano mais amplo, e não em um reajuste para os praças. “Quase todo o dinheiro que entra no Ministério da Defesa vai para o pagamento de pessoal. Para vocês rever isso, precisa ver a política de pessoal, quantificar o número de oficiais e praças. Precisa de recrutamento obrigatório? Aquele tiro de guerra no interior, para que serve?”, afirma.

Penido destaca que, para resolver o problema, será preciso o Ministério da Defesa abrir para a sociedade civil a discussão sobre a Política Nacional de Defesa. “Só o controle civil pode definir, de fato, como deve ser o gasto com as Forças Armadas e pensar uma política de defesa pertinente com a grandeza do Brasil”, conclui.

Lucas Pereira Rezende, professor de ciência política da UFMG, avalia que Múcio está agindo como um “embaixador dos militares junto ao poder político quando seu papel deveria ser o contrário: o ator político para levar as instruções aos militares”.

“Quando o Múcio leva essa demanda como um embaixador do militares, ele não está fazendo o passo que deveria fazer, que é discutir o orçamento da Defesa com a sociedade, com o Parlamento. Mais uma vez, ele demonstra essa pressão, o poder assombroso que os militares têm dentro da máquina estatal brasileira.”

Ele conta que as Forças Armadas de países como os Estados Unidos e a França reduziram seus tamanhos e investiram em tecnologia e equipamentos, enquanto o Brasil permanece com mais de 80% do orçamento comprometido com pessoal.

“Precisamos investir em alta tecnologia, nos programas estratégicos, em ciência e tecnologia da defesa, precisamos ter satélites. Mas isso não vai acontecer enquanto o governo enxergar as Forças Armadas como algo intocável, sem realizar de fato o controle civil”, afirma.

Professora do curso de defesa e gestão estratégica internacional da UFRJ, Adriana Marques afirma que a lógica da Defesa de conceder o mesmo reajuste para servidores civis e militares não tem razão.

“Os militares foram a categoria profissional que mais conseguiu aumento na reforma previdenciária. Reforma é para tirar direito, mas eles não só aumentaram os direitos como aumentaram os salários”, contesta.

“Múcio está ali para atender os interesses das Forças Armadas. Depois de tudo o que a gente passou nos últimos anos e também do compromisso que esse governo fez para ser eleito, fortalecimento da democracia e frente ampla, é lamentável que o ministro da Defesa reforce o corporativismo das Forças.”

FOLHA

55 respostas

  1. Se houver realmente este estudo, estou à disposição. Sugiro migrar QE, músicos e enfermeiros para o INSS para que o orçamento da defesa seja gasto com atividades realmente militares.

    1. Não sou Sgt QE e muito menos músico. “Mas o caldeirão do inferno, falão em reajuste e o cidadão já de cara quer queimar duas classes inteirar” não tem nada háver como assunto, isso e magoa antiga.

      1. É muito interessante esse cidadão Hermes 97, parece ser um ser sem conhecimento de causa, não entende de Contabilidade, Estatística, Economia e Ciências Contábeis, não sabendo ele, que o alimento, IPTU, remédios e etc. Sai dos nossos bolsos, como sai do dele também e a inflamação, corrói o salário de todos nós. Não seja ingênuo, ao ponto de pedir essa imbecilidade de passarem seus colegas para o INSS, caso aconteça você estará incluso, Seu pobre de espírito e matéria. Some a inflação dos últimos cinco anos e veja nossos prejuízos 29,27% e cabe acrescentar que a Lei 13.954 de 16/12/2019, nos deu um prejuízo, que não há como recuperarmos, assim Oficiais Generais de 4 estrelas, receberam de gratifcações 84%, os de 3 estrelas 79%, os de 2 estrelas 76% e os cMG e Coronéis 76%, durante 5 anos, respectivamente, Sendo eu SO Reformado, recebi 25%, em 4 anos. Cala a sua boca e deixa de comentar, o que você não sabe e não tomou conhecimento, muito menos entende da realidade, não seja infantil ou adolescente, conheça a verdade para saber comentar, não venha desejar, para os demais, o que você não quer que aconteça com você e cala a sua boca para não ser escravo de suas palavras

    2. ô louco, meu!!! seria Bom que o pessoal da ativa também fosse para o INSS, pois assim desejava o Bolsonaro quando no cercadinho em Brasília disse para um suboficial RM1 da FAB…kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Acabar com o serviço militar obrigatório
    Acabar com pequenas unidades que não tem nenhum valor de combate
    Acabar com esses “tiros de Guerra”….enfim…acabar com centenas de pequenas unidades que só servem para darem cargos de comando e direção para centenas de oficias superiores (coronéis e capitães de mar e guerra) Mas que não tem nenhum valor como unidade de combate. Criar e Controlar rigorosamente duas rubricas financeiras, sendo uma somente para gerir todo o tipo de despesa com pessoal e Pagamentos de salários e outra rubrica voltada somente para pesquisa, desenvolvimento, aquisição, manutenção e etc de equipamentos militares voltados para a defesa do país. Diminuir a lotação e efetivo de oficiais generais e oficiais superiores nas três armas.

      1. Ao 29/08 as 15:31. Exatamente! Em poucas palavras disse tudo. E o tal FUSMA? O atendimento é uma porcaria. Tratam o pessoal e seus dependentes de forma horrorosa se for “praça” ou dependente. são mal educados, grosseiros e por qualquer coisa tocam antiguidade até em Pacientes enfermos. Marcações de consultas muito demoradas e burocraticas. muito pior que o SUS. Sempre com ” falta de verba”. Se puderem (e a família do enfermo não estiver atenta) são capazes de realizar uma cirurgia num paciente sem anestesia ( já fui vítima dessa safadeza, ou canalhice ou crime….na verdade crime). Uma coisa que sempre achei estranho é que enquanto eu dependia daquele serviço de saúde (?), uma verdadeira porcaria e graças a Deus hoje não dependo mais daqueles locais horríveis; Sou dependente de verdadeiro plano de saúde onde não existe distinção de absolutamente nada e Os clientes são muito bem atendidos e respeitados, sempre percebi (durante as longas esperas para atendimento) que “oficiais e seus nobres e Digníssimos dependentes” eram muito, mas muito escassos e os pouquíssimos que eu via, dispunham de salas vips para aguardar Atendimento e esse atendimento sempre era ou é, hoje não sei, muito diferenciado. Eu sempre imaginava que essa classe, que sempre se julgou especial, era ou é imune a enfermidades, afinal são de origem divina. O que eu via era que a frequencia dessa classe, em unidades de saude era rarissima…..Vaí lá saber o porquê dessa baixa frequencia! Eu realmente nunca soube e na verdade nem me interessa saber.

      2. Concordo plenamente, aqui no 71 bi MTZ, Garanhuns Pernambuco, nunca tem verba , prá autorização exames, inclusive, os urgentes. Por favor, alguém me diga a quem posso denunciar…

  3. Meus Deus, como já disse estão usando o baixo clero, para compadecer o nine a dar reajuste quando na realidade a insatisfação e total. Não querem se expor por conta da reestruturação e se houver reajuste eles também irão receber. A coisa tá virada pelo avesso, normalmente você se baseava na palavra do Comandante, agora estão fiando na palavra das Praças, vivi para ver que os oficiais não estão com nenhum apreço com o nosso novo presidente. Agora é a hora da reestruturação da reestruturação.

    1. Você é o Dura lex e o mago. Não engana ninguém. Percebi um padrão: sempre após o comentário do dura lex, aparece você, Australopithecus ou o Mago kkkkkk sem vergonha kkkk

  4. Daqui a pouco aparece os QEs revoltadinhos.

    “Ai eu quero ser S Ten, ai mas eu quero ganhar igual a General, ai se for para dar aumento para todos prefiro que não venha.” Kkkkk

    A inveja mata!

    1. Ao senhor anonimo de 29/08/2023 às 14:28 .
      Pois é …..essa bagunça toda acontecer no desgoverno do seu “iluminado” Robber. Agora o governo brasileiro terá que “dar um jeito” para que tudo volte novamente a normalidade e realidade.

    2. Fez autos estudos, mas não quer dizer que teve mais mérito que um QE, pois nota-se no português que fez o Mobral ou foi apadrinhado. abçs do posto acima…kkkkkkkkkkk

  5. Os Praças Estão ganhando muito mal e nossos comandantes entenderam que um reajuste linear é urgente. Só tenho que agradecer ao meu Presidente Lula é aos nossos comandantes por esse acréscimo no salário de oficiais e praças.

  6. …os praças se sentiram traidos…” os praças não alguns QEs.

    Mas eles nem é concursado, não é de carreira. Por isso não fizeram CAS e nem CHQAO.

    Alguns QEs inclusive se gabavam de serem 2 Sgt e não poderem fazer sindicância por não ter CAS. KKKKK MENTE PEQUENA.

    Da 9% de reajuste para todos e pronto.

    Lembre-se que perdemos, no mínimo, posto a cima e LE.

    1. Fez autos estudos, mas não quer dizer que teve mais mérito que um QE, pois nota-se no português que fez o Mobral ou foi apadrinhado…kkkkkkkkkkk

  7. Não precisamos de migalhas, mas das correções da lei 13.954 que só beneficiou os generais, oficiais superiores e alguns poucos puxa sacos de praças da ativa…kkkkkkkkkkkk

    1. Nutrido seu vagabonds, eu não era puxa saco pois conseguia me impor com educação, polidez e respeito, aliados a três idiomas ( English, francês e italiano) e também duas pós graduações e sempre um E no TAF. Não deve diminuir ninguém para caber na vossa dimensão, pois nem todos usam o expediente para “mexer no ZAP”, alguns poucos gostam dos cadernos e por consequência não precisam puxar saco para sair QAO ou mesmo tentar apagar o brilho dos outros já que a sua estrela não brilhou…

  8. Deve sair algum reajuste o que beneficiará quem já foi beneficiado pela reestruturação e ficará a imagem que o Comando atendeu os estamentos inferiores.

    1. Enganação pura e ainda têm a coragem de colocar as Praças como Bodes Expiatórios para esse possível reajuste.

      1. Seu “irmão gêmeo” Dura Lex escreveu a mesma coisa sobre usarem praças para reivindicar reajustes para todos.

        Interessante. Que coincidência.

  9. Tem gente aqui que acredita em papai Noel. O governo acaba de oferecer 1 % para os servidores civis. Imagina o que vai oferecer p os militares.

  10. Tem umas figurinhas aqui no blog que parece ex de QE, pois só sente ódio pelos QE. Mas esquecem que QE não correu atrás do EB, mas foi o EB que ofereceu a eles a oportunidade para, se quisessem, ficassem.
    Alguns ficaram, outros não, ou seja, cada um seguiu seu destino.
    O importante é o que cada um fez da vida enquanto estava na ativa.
    Eu me formei em direito. Fiz três pós e passei na OAB, isso tudo ainda na ativa. Daí quando passei para reserva não me sobrou, e não sobra, tempo para ficar me importando com a vida alheia.
    Está triste, com raiva, rancor, frustrado, infeliz, obeso e cheio de problema de saúde? Vai chorar na cama que é lugar quente.
    Eu tinha uma vida antes do EB, tive uma vida no EB e a minha vida depois do EB só está começando. Feliz e plena.

  11. Reajuste salarial de servidores públicos acende ʽfogo amigoʼ na Esplanada

    A equipe econômica reservou R$ 1,5 bilhão para reajuste salarial dos servidores em 2024. O valor consta no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) do próximo ano

    “Falar em 1% para quem tem perdas acumuladas superiores a 30% é uma afronta a 1,2 milhão de servidores ativos, aposentados e pensionistas, muitos endividados pelo congelamento salarial imposto nos últimos anos”, comentou durante a reunião da Mesa Nacional de Negociação Permanente.

    Fonte o Antagonista

  12. essa maeria para tempo de internet é velha, pois acabou de passar na CNN QUE: “Múcio pede reajuste para militares, mas governo diz não.

    Esse é o governo “para todos”! É o governo do amor!

  13. Mauro Cid está confessando visando uma diminuição de pena na terceira fase de dosimetria penal, no mínimo tá fazendo conta para não ir a CJ na JMU em condenação menor de 2 anos. Mas segundo reportagem, já estão esquentando um CJ administrativa dentro do EB.

  14. Segundo apurou a CNN, a ministra Esther Dweck já deixou claro que os militares não serão contemplados em 2024 porque tiveram reajustes no governo Bolsonaro.

    Múcio e Esther já tiveram três reuniões nas quais o assunto foi discutido. É só fazer o L bando de trouxas.

  15. Defendo um reajuste diferenciado com percentuais maiores aos Sds, Cbs e 3° Sgts, aqueles que não foram aquinhoados pelas vultuosas gratificações!

  16. Passei décadas vendo QE babão sem assumir responsabilidade de sindicância, fazendo trabalho de Soldado protocolista, motorista, rancho, PO. Queimando sargento de carreira, sendo que nem tem carreira de merecimento. Arrotavam narrativa de ditadura, anti direitos humanos, etc.

    Foi bom que tenham ficado sem aumento desde 2016. Só assim mudam de mentalidade.

  17. Veja PE MENTIROSO, acostumado com as intermináveis fake news do LADRÃO DE JOIAS: o documento realmente prevê esse estudo para aumento, é o PRIMEIRO PASSO para consolidar qualquer política de reajuste para os militares:

    b. ao EME, adotar, em coordenação com a Secretaria de Economia e Finanças, as ações necessárias, particularmente perante as demais Forças e o Ministério da Defesa, para que sejam apresentadas as demandas visando à recomposição salarial dos militares.
    PRESCRIÇÕES DIVERSAS

    a. Os órgãos citados na letra “a” do nº 4 deverão indicar seu representante ao EME no prazo máximo de 15 (quinze) dias a contar da publicação desta Diretriz Especial.

    b. Ficam autorizadas as ligações entre os órgãos para obtenção de dados, a fim de potencializar a percepção da consciência situacional.

    c. Esta Diretriz será atualizada por meio de Ordem Fragmentária, quando necessário.

    Brasília, 10 de agosto de 2023.
    General de Exército TOMÁS MIGUEL MINÉ RIBEIRO PAIVA.

    1. É gostar muito de se iludir, esse grupos sempre existiram, estudam estudam e nunca chegam a nada. Conversa pra iludir praça endividado. General ganhando 32 mil, coronel 28 mil, major 23 Mil, fora as diárias que aumentaram 75%. Pra quem está ruim? acorda praça. Só o papiro liberta

  18. A ordem foi emitida em 10/08/23, sendo que deverão indicar seu representante ao EME no prazo máximo de 15 (quinze) dias a contar da publicação desta Diretriz Especial.
    Isso posto, os trabalhos iniciam em setembro pois até 25 Ago foi a indicação dos integrantes do gT.
    Como será discutido “coordenação com a Secretaria de Economia e Finanças, as ações necessárias, particularmente perante as demais Forças e o Ministério da Defesa” vai fazer Barulho e cair no colo do lula que está precisando de apoio dos militares nesse momento de turbulência e punição dos golpistas bozoloides ….
    Então, tem tudo para no ano que vem nossa classe ter um aumento que venha ajudar um pouco, somando com a redução do preço da gasolina, do gás e da cesta básica, vamos ter um avanço para família militar em 2024.
    CAVALARIA!!!

  19. Lendo aqui todos os comentario, fico muito triste, com certo comentário, sobre SGt QE. até parece que todos aqui que criticam, são gênios,. são militares de carreira, e conseguiram aumento com seus cursos,.Seja felizes,.
    .e que QE tem familias, tem filhos, tem aluguel para pagar., Só fico triste, pela covardia que fez o Presidente Bolsnaro, com os praças, na restruturaça da carreira, ele traiu todo seus eleitorado do Rio,.praças, e pensionistas, que acreditou nas sua palavras, triste não.

  20. Infelizmente a omissão dos of. generais e muito grande e realmente um bando de melancia, veja o congresso aumentaram os seus salários, junto com o supremos, e temos que assistir ver os militares de pires na mão, porque só pensaram no alto escalam BOZO só fez MERDA, desmoralizou a classe, juntos com os seus comparsas, acorda Brasil.

  21. Enquanto enfrentamos uns aos outros deixamos de lado o principal objetivo: criar um plano de carreira justo onde não dependeremos de ,”avaliações subjetivas” para promoções nem de índices inventados das cabeças premiadas

  22. Ouvir as insanidades desse professor de ciências políticas, um idiota que não tem nenhum conhecimento do que profere, um idiota que não tem nenhum conhecimento da vida militar, que provável seja um daqueles indivíduos anti militar e militante dessa esquerda suja e inútil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo