Lula critica ‘fake news’ produzida por militares no RS

fake-news-boato-noticia-falsa-ilustrativa-indoor-1501699041256_615x300

 

Presidente teria dito que é um “absurdo” que integrantes das Forças Armadas tenham esse tipo de conduta

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstrou incômodo com a informação de que militares do Exército divulgaram no domingo (26) informação falsa de que um dique havia rompido em Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre. A informação motivou a evacuação do bairro Mathias Velho, um dos mais atingidos pelas enchentes que assolam o Rio Grande do Sul.

O Valor apurou que Lula ligou para auxiliares para reclamar do episódio. Nas palavras de um interlocutor, o presidente teria dito que é um “absurdo” que integrantes das Forças Armadas tenham esse tipo de conduta.

Segundo uma fonte, o próprio ministro da Defesa, José Múcio, conversou com o presidente, no início da segunda-feira, para tentar alertá-lo de que o erro pode estar ligado ao clima de medo que ainda assola os gaúchos após semanas de constantes chuvas e mortes no Estado.

Segundo o G1, ao longo da noite de domingo, moradores de Canoas foram orientados por militares a evacuar imediatamente o bairro devido ao suposto rompimento do dique, o que inundaria a região – mas a estrutura não rompeu. A evacuação por engano acabou envolvendo entre 7 e 12 militares de várias patentes, incluindo capitães, apurou o Valor.

No próprio domingo, o Exército determinou o imediato afastamento de militares que divulgaram, sem consentimento do comando, o alerta para que moradores evacuassem a área por risco de inundação. Em nota, a instituição confirmou que integrantes da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada repassaram a informação errada.

Segundo o Exército, os militares ouviram de terceiros o relato e não checaram a informação antes de propagá-la. “Tal situação decorreu de um grave erro de procedimento”, informou a Força, em nota divulgada pelo Comando Militar do Sul. “Medidas administrativas foram adotadas para apurar rigorosamente os fatos”, acrescentou.

Questionado sobre o número de afastados, o Exército reforçou que um processo de sindicância foi instaurado. “O efetivo e as identidades não serão divulgadas neste momento”, diz a nota.

O assunto é sensível porque, nos últimos dias, o governo federal tem notado o esvaziamento de voluntários na região atingida pelas enchentes. Na prática, isso tem gerado dois problemas para a Defesa. O primeiro é que o Executivo vem se desdobrando para tentar encaixar essas pessoas em voos da Força Aérea Brasileira (FAB), de forma que elas possam retornar aos seus Estado.

O segundo obstáculo é que, com esse esvaziamento, a tendência é que as Forças Armadas tenham que aumentar ainda mais o contingente de militares na região. Até agora, esse deslocamento tem sido feito a partir das praças mais próximas ao Rio Grande do Sul, mas terá de abarcar também militares de outras regiões do país.

Nas contas da Defesa, há atualmente 20 mil homens à disposição do Rio Grande do Sul para tentar atenuar os efeitos da crise climática. Desse total, 17 mil estão in loco, atuando diretamente no Estado, e outros 3 mil estão no apoio. Para ter uma ideia, de acordo com o governo, esse agrupamento é maior do que todo o Exército do Paraguai.

VALOR – Edição: Montedo.com

10 respostas

  1. Com certeza a ordem surgiu de alguém que bate no peito e fala eu tenho altos estudos e Meritocracia então me obedeçam que eu mando. Depois não querem viraram chacotas pela população. Está aí querendo de gabar que são+ que os outros e merecem mais. Já tem não mais QEs na linha de frente que resolviam tudo e verificavam tudo antes. Depois acham que QEs não tem meritocracia e mesmo muitos com mais faculdades e doutorado não é reconhecido pelas forças armadas. Mas nada melhor que um dia após o outro. O tempo é o senhor absoluto da razão..

    1. “[Já não se tem mais] QEs na linha de frente que resolviam tudo e verificavam tudo antes”.

      Não acredito que essa declaração tenha sido feita de forma séria. Só pode ser ironia.

      Deus salve este país!

  2. Quanta disseminação de ódio por alguns comentaristas desse blog, arrego! Nem falando contra as fakes eles estão bem. Vão se tratar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo