Exército suspende portaria que autorizava até cinco fuzis para PMs

Fuzil T4 MLock, da Taurus (reprodução)

Repercussão negativa motivou a suspensão da medida

Carla Araújo Colunista do UOL
O Exército decidiu suspender a portaria que autorizava que policiais militares tivessem até cinco fuzis para uso particular.
De acordo com o Centro de Comunicação Social do Exército, a portaria 167, que regulamenta a aquisição de armas de fogo e munições por integrantes das Polícias Militares, dos Corpos de Bombeiros Militares e do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, “terá sua entrada em vigor suspensa a fim de permitir tratativas junto ao Ministério da Justiça.
Segundo apurou a coluna com fontes militares, a ideia de suspender a portaria acontece após repercussões negativas. Apesar de segura juridicamente, a cúpula do Exército avalia que é melhor alinhar o tema com o novo ministro.
UOL

12 respostas

  1. Exército deve ter recebido ordens pra suspende kkkkkk.
    Deve ter autorizado sem consultar o chefe.
    Ai tem dedo do nine, Dino ou Xandão.

  2. Mais uma decisão em que o EB volta atrás por repercussão negativa.

    E ainda teve a da Marinha semana passada, sobre mandar os beneficiários do sistema de saúde procurarem o SUS.

    Homens da guerra…

    Sei.

  3. Tropa de milicos frouxos. A hora que o bicho pegar manda chamar o batman para enfrentar a bandidagem. A finalidade desse armamento é o contínuo preparo que o militar/policial tem que exercitar, mas as instituições não possuem recursos para fornecer e manter.

  4. Kkkkkkkkkkkk

    Ué, o Exército não é apolítico?

    Exército apolítico é somente desculpa para oficiais e praças poderem mamar nas tetas do erário público enquanto esperam a aposentadoria.

    Funcionários públicos vestidos de farda.

    O embuste acabou. Pobre do contribuinte que tem que sustentar esses parasitas embusteiros.

  5. atitudes impensadas resultam nisso , se essa portaria poderia ser alvo de criticas ou sanções , então por que publicar??? Tava na cara que não era razoável. Ai fica feio pra força publicar e depois despublicar, fora outras dores de cabeças interna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo