Suspeita de crime militar: Marinha apura caso de vendedores fantasiados em praia catarinense

Vendedores ambulantes fardados em Balneário Camboriú

Capitania dos Portos informou que uso de símbolos militares são exclusivos das Forças Armadas

João Batista

A delegacia da Capitania dos Portos em Itajaí informou que abriu um procedimento de apuração pra que seja cumprida a norma do Estatuto dos Militares, que proíbe o uso de uniformes e símbolos militares por quem não é autoridade militar.

A medida foi anunciada após vendedores ambulantes de picolés e salgadinhos da praia Central de Balneário Camboriú aparecerem fantasiados de oficiais da Marinha do Brasil, em matéria de uma rede de tevê catarinense na semana passada.

A reportagem falava da temporada de verão, destacando que o uso de adereços e fantasias era uma forma de os vendedores chamarem a atenção dos clientes. Em nota, a Capitania dos Portos esclareceu que se fantasiar de militar implica em crime previsto em lei.

Segundo a Marinha, os uniformes das Forças Armadas, com seus distintivos, insígnias e emblemas, são privativos dos militares e simbolizam a autoridade militar. As normas estão nos artigos 76 e 77 do Estatuto dos Militares.

“Cabe salientar que o uso de uniforme, distintivo ou insígnia militar, por quem não tem o direito de usá-los, configura-se crime militar, com detenção de até seis meses por desrespeitar o artigo 172 do Código Penal Militar”, ressaltou a capitania.

DIARINHO

Comento
O casal de ambulantes sustenta a família trabalhando “fardado” há trinta – T-R-I-N-T-A!! – anos (confira a reportagem aqui), em uma praia que recebe milhões de turistas a cada temporada. Trata-se do crime militar continuado mais longo e ostensivo da história (contém ironia).

Fala sério! Vão arranjar o que fazer.

 

31 respostas

  1. As FA estão mesmo desmoralizadas, vai ver se eles se vestem como PMs, aí o buraco é mais embaixo, mas uniformes de militares das FA o pessoal vende até nos ambulantes nos grandes centros.

    1. Até O Humorísta Toninho Tornado já fez uma pegadinha na qual vendia um passeio com “sub marino” – separado mesmo – aos banhistas. Quando descobriam que era uma pessoa, ficavam P..to.

      Detalhe: o tal sub marino usou também farda e ninguém falou nada na época.

      1. Retificação: Em Bagé-RS no ano de 2007, DURANTE O CARNAVAL, um capitão que servia numa OM da Guarnição vestiu 2 mulheres de oficial do Exército e saiu para se divertir num clube da Cidade. Passada a folia, o que saiu fotografado na página central do principal JORNAL local, de forma gigante? O General comandante da Brigada recebia uma assinatura do periódico no Gabinete. Nesse caso a providência foi disciplinar e afetou o decoro.

  2. Quanto ao comentário da própria matéria: Se não pode, não pode. Se fizeram vista grossa antes, são dois errados, os que se fantasiaram e os que fingiram que não viram. É essa relativização do erro que faz da nossa sociedade o lixo que é.

  3. Que loucura! Não Estão com uniforme completo ou insignias que remetam que sao militares, nao se apresentam como tal, nao utilizam disso para cometer crimes ou induzir alguém a erro o que é primordial, pois da para qualquer um não se confundir. Esse delegado ta maluco! Deve ser um Auxiliar da Armada, com pouco estudos para fazer uma cagada dessa, pois alguns passam sem nivel superior, Como alguns colegas meus.

  4. Se fossem dois influentes a MB nada faria.
    Mas como são trabalhadores a coisa é diferente.
    Será que ela apura quando bandidos usam uniformes para praticar assaltos?

  5. O que mas tem na rua e pessoal civil com casaco camuflado andando na rua, agora isso e porque sempre fizeram vista grossa, vamos ver ser tem alguém com moral pra acabar com esta baderna, acorda Brasil.

  6. Até onde eu sei, é crime se a pessoa usar farda com o intuito de se passar por militar, enganando outras pessoas. Quando não há interesse em se passar por militar, não há crime. Muita gente usa calça camuflada na rua, ou uma camiseta camuflada, mas porque gosta, não porque quer fingir ser militar. O uniforme completo talvez cause confusão, mas é só prestar atenção nas atitudes que eles só querem chamar atenção para vender picolés. Acho um tremendo exagero chamá-los de “criminosos”.

  7. E o reajuste? Militares financiando mais uma vez a insanidade do desgoverno. Daqui a pouco veremos vários militares vendendo picolé na praia.

  8. Falta de guerra da nisso. Pelo menos estão vestidos “Na moral “, sem diminuir as FAA, não estão roubando nem nada, e muito menos criticando as FAA.

    Algum dia desse deve aparecer um comediante vestido de melancia e vamos ver no que vai dar.

  9. As Capitanias deveriam se preocupar é com a fiscalização à embarcações. Aqui no RN na praia de Pirangi, tão fazendo rachas com Jet ski próximo aos banhistas e a ausência de Fiscalização por parte da capitania dos Portos fazem com que se espelhe por todo litoral potiguar.

    1. Interessante como são as reações e atitudes das FA.

      No eB, cancei de flagrar amigos e familiares de integrantes dos “estamentos superiores” usando fardas e acessórios militares. E, claro, nunca foram “investigados” por esse tipo de crime militar.

      Na verdade o que ocorre ultimamente é que as FA estão agindo e reagindo de acordo com o que ditam os novos formadores de opinião.

      A Marinha deveria agora se preocupar com os problemas do seu sistema de saúde, não com “firulas”.

  10. O sujeito ambulante vendendo na praia está se passando por Militar ?

    Os símbolos militares não são de uso exclusivo das forças Armadas, alguém avise a capitania dos portos.

    PM Usam,
    PC Usam,
    CAC Usam,
    GCM Usam,
    Políticos militares, Usam…

    Parece mesmo que não tem o que fazer.

  11. Só estão fazendo essa palhaçada porque estão usando a cobertura de oficial se estivessem vestidos de praça, não estariam incomodando

    1. Cirúrgico, chapéu de oficial superior, o Engraçado é que Roberto cansa de usar nos seus shows nos navios e Ninguém abre procedimento De Investigação.

  12. Só ficaram milindrados porquê essas pessoas estão usando chapéu ou quepe ou cobertura…..como queiram, de oficial superior. E a cobertura usada pelos dois é realmente um quepe oficial, usado pelos oficiais superiores da marinha. Se estivessem vestidos iguais a praças, não dariam a menor “pelota”.

  13. Acabem com essa Justiça fardada logo.
    Um juiz civil ia dar uma bronca nesse individuo abrindo ipm.
    Em que mundo essas pessoas vivem?

    A JMU precisa dessas rolhas para julgar ao menos 5 açoes por ano

  14. A marinha tem que abrir um ipm pra apurar pq o almirante ta no pnr mesmo na reserva…. E pq ele ganhou o dinheiro do conflito de interesses se a empresa que ele disse que iria contrata-lo negou tudo.

    Vai abrir o ipm? Ou so vai perseguir os trabalhadores que pagam com seus impostos essa vida babesca?

  15. A delegacia da Capitania dos Portos em Itajaí poderia informar qual o número de protocolo do procedimento investigatório instaurado em relação ao ex-ministro da Defesa Nelson Jobim, quando em visita a base de fuzileiros navais em Port-au-Prince, à época trajando uniforme de Oficial General?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo