O QAO, a “jabuticaba” e os boletos

Jaboticaba

Recebi o texto abaixo de um Capitão do QAO na área de comentários da postagem

A “jabuticaba” do Quadro Auxiliar de Oficiais do Exército e uma pauta para o senador Mourão

A proposta foi formulada nos anos 1990, portanto, é anterior à Lei 13.954. Mas a ideia essencial não se alterou.

Confira: 

No CAS no início dos anos 90, no “CIAS-Sul” (EASA), nos foi sugerido indicar três mudanças/sugestões na carreira.
A mais indicada foi acabar, substituir o QAO por outra formatação de ascensão profissional após a graduação de Sten. Extremamente, como você indicou, esta última promoção teria remuneração equivalente ao soldo de major.

Porque o que nos interessa é um contracheque mais digno no final da carreira ‘na ativa’.

Carreira:

  • 3° Sgt – 7 anos de tempo médio (interstício).
  • 2° Sgt – 7 anos de interstício.
  • 1° Sgt – 6 anos de interstício (soldo de 2° Ten).
  • Sten – 5 anos de interstício (soldo de 1° Ten).
  • “Sten-Ajudante” – 3 anos de interstício (soldo de Capitão).
  • “Sten-Mor” como última graduação (soldo de Major).

Com os dois anos de formação, chegaria ao ápice da carreira, “Sten-Mor”, com 30 anos de serviço.
Sem as licenças não gozadas, seriam mais 3 anos na ativa com melhores salários até ingressar na reserva.
Por fim, como ocorre com os oficiais, todos os graduados chegariam a “TCel” (Sten-Ajudante).
Só alcançariam a última graduação (Sten-Mor), aqueles que se sobressaíssem na carreira, através diversos critérios já existentes (o que é justo/honesto).

Sobre essa baboseira ‘se é ou não oficial’ (mas o contracheque é):
Paira, com mil “aspas”, sobre oficiais oriundos da Escola de Saúde, IME, ITA e “QCO” (ESFCEx), pelos oriundos da “akadimia”, a mesma “objeção”, repulsão oculta (sofrem tratamento diferenciado na lei 13.954/19).
Muito menos oportunidades de alcançarem as vantagens da reestruturação: adicionais AE CAT I e II).
Também, já presenciei comandante de OM aos berros enunciar:
– “Manga lisa pra mim não é oficial”.
Mas, isso é o que menos interessa ao graduado no final de carreira.
“O que pensam de mim, não paga meus boletos”!

Edição: Montedo.com

50 respostas

  1. Sten Ajudante e Sten Mor vai seria o mesmo funil , a mesma dificuldade ou vc acha que o Exercito iria distribuir promoções sem meritrocacia?????????é assim que tem os praças na mão, ou seja só mudaria de nome,\(eu acho tudo isso injusto).

    1. Começou com a CA-CHQAO na turma de 1989. Fato 01
      depois, dificultou as promoções dos graduados a Of QAO na Turma 1993, pois somente 70% da das turmas seriam, são e serão promovidos. Fato 02
      A partir da turma de 1999, entra o critério de qualificação do mériro (sou totalmente contra) para prestar o referido concurso interno. Fato 03.
      A partir da turma de 2000, limitação de quantidade de vagas para a matrícula no referido curso. Fato 04
      a partir da turma de 2001, diminuição de quantidade de tentativas para o cA-CHQAO. Fato 05. EsMB 1995!!!

    1. Penso q a carreira dos Graduados das FFAA brasileiras deverias ser idênticas as das Portuguesas. CA nacional para a graduação de Segundo-Subsargento (2SSarg), e suas promoções subsequentes: Primeiro-Subsargento (1SSarg), Segundo-Sargento (2Sarg), Primeiro-Sargento (1Sarg), Sargento-Ajudante (SAj), Sargento-Chefe (SCh) e Sargento-Mor (SMor).
      Naturalmente com Soldos condizentes: Sargento-Mor (SMor) = Maj, Sargento-Chefe (SCh) = Cap, Sargento-Ajudante (SAj) = 1º Ten, Primeiro-Sargento (1Sarg) = 2º Ten, Segundo-Sargento (2Sarg) = Sub, Primeiro-Subsargento (1SSarg) = 1º Sgt e Segundo-Subsargento (2SSarg) = 2º Sgt.
      Problemas resolvidos. EsMB 1995!!!

  2. Eu estava fazendo o CAS e durante uma das gloriosas palestras super motivacionais ministradas sobre nossos gloriosos Oficiais o tema foi o Sgt mor ” tiro no pé “. Parecia combinado, todo palestrante perguntava a mesma merda: quem aqui é habilitado idiomas? E a outra era dizendo que as praças deram um tiro no pé por causa do Sgt Mor. Um dos Sgt al perguntou o por que que criaram uma nova graduação para os sgt e nenhuma para os Oficiais…O palestrante, um Gen ou era Cel respondeu: Sim, foi pensando em uma nova graduação para os Oficiais, seria o Cel Mor ” risos “. O Sgt Retrucou: E pq para os Sgt não colocaram o S ten Mor? ” risos “. E aconteceu o que sempre acontece quando um oF entre em cheque: Ele mandou enviar essa pergunta por e-mail que seria respondida ” risos “.

  3. Deixo aqui um breve comentário do que está acontecendo. Na OM Que estou servindo, nos últimos anos os sargentos de carreira estão não estão querendo continuar na carreira, ou rastejo. de 2020 até 2023 foram cinco 3°Sgt Que não fizeram o requerimento de reengajamento.

    Motivos? Vários.
    Carreira ruim, salário baixo, missão até o talo +10 ganhando 2% Ao dia, e quando volta de missão não tem dispensa e ainda vai para a formatura para o General do comando militar de Área. E digo mais o pessoal que saiu era altamente especializado, mecânico de Aeronave, busca e salvamento. A força leva tempo para Formar esse pessoal. Infelizmente estamos perdendo muito pessoal bom.

    1. “Década, Brinde + 9”
      Na boa!
      O Alto Cmdo tá “cagando” para essa realidade.
      Enquanto saem dezenas por anos, há milhares querendo entrar (candidatos).
      São mais de 2.000 Sargentos forjados nas Fábricas de Elos espalhados pelo Brasil por ano.
      Saindo excelente mão de obra especializada (mecânico de Aeronave…), não há descontinuidade na vida ordinária das OM’s.
      Zero importância para os Altos coturnos:
      – tanto a evasão de graduados.
      – quanto dos oriundos da Escola de Saúde, IME, ITA e “QCO” (ESFCEx).
      – e muito menos dos belicosos “administradores de empresa” oriundos da Akadimia.
      Fato!

      1. A evasão do EB é basicamente desses efetivos altamente qualificados que não aguentam:
        Sv Sau, IME, QCO, Aviação.
        Os de Akdmia não saem e não se preocupam, pois todo ano as fábricas empacotam e despacham novos produtos que ainda levarão alguns anos até que se decepcionem ou vejam que não vale a pena (não só pelo salario, mas pela forma que são tratados).

        Eles ligam? Não. Eles podem sair? Também não, ninguém pagaria mais de 1500 reais. Então segue velório. Apenas números que são recompletados todo ano.

        1. Recompletamento?!?!? Salvo melhor juízo, esse contingente de novos formados NÃO estão chegando na TROPA. E, tb, há o FATO q as FFAA se complementeram com a diminuição do efetivo em 10% no período de 10 anos para assim, conseguirem a aprovação da Lei de Reestruturação das Carreiras dos Militares. EsMB 1995!!!

  4. Fazendo uma comparação, mesmo que utopista, com carreiras similares na PF.
    Lembro que hoje a Formação na ESA é considerado ensino superior.
    Sim, faria sentido esta utopística, fictícia centelha, entendimento.

    Oficiais do Exército:
    – Delegados e peritos da Polícia Federal: R$ 27.831,70 (terceira classe); R$ 30.869,46 (segunda classe), R$ 35.377,35 (primeira classe) e R$ 41.350 (classe especial).
    Graduados Do Exército::
    Escrivães, agentes e papiloscopistas da Polícia Federal: R$ 13.900,54 (terceira classe) e R$ 20.940,36 (classe especial).

    1. Já foi assim, pica fumo.
      Um sgt ganhava mais que um agente da PF. A PF cresceu muito após 1988, e tem seu valor, entrega enquanto fazemos formaturas, guarda em forma e aprestamento para o general ver…
      Então a sociedade apoia, nao reclamam. E nós é aquilo, pef levando cesta basica e ccomcex filmando tudo. Mas antes disso, a carreira era não só melhor que a da pf, como de todas as PM. Acredite no que esse velho vos diz.

        1. Desculpe.
          Foi só uma expressão da lida desse velho soldado para deixar claro que venho de praça dos anos 70 e viu muita coisa.
          Nao queria ofender.

      1. Na Época do regime militar, os generais necessitavam da tropa para se perpetuarem no poder é muito difícil manter um regime onde a base do exército morre de fome. Quando os civis assumiram o poder, fodx-se os militares eles não agregam em nada na sociedade. E hoje estamos nessa miséria. Uma coisa é certa, até a intervenção do gen Lot, os civis gostavam dos militares. Depois da redemocratização barro pro milico. Só com uma guerra para recuperar-mos o prestigio passado.

  5. Exatamente isso, quando fui para a escola de sargentos, era 3⁰ Sgt temp, por esse motivo era chamado de “denorex”, os mais antigos lembram disso.
    Hoje sou cap R/1 e ouço que QAO não é oficial, vou dar a mesma resposta que dei na época: se sou oficial de verdade ou não, não sei, só sei que no meu contracheque diz “Capitão”.

    1. Só sei que QE Não É Carreira E QAO Não É Oficial, jamais será!!! Vc É apenas um Subtenente subserviente que se comportou e babou no momento certo. Mas assim como o denorex: parece mais não é, vc é um sub velho que foi Beneficiado Pela conhecida “meritocracia militar “, onde eu vi ao longo da carreira subtenente subjudice, cheio de cadeia e vagabundo, mas peixe de general, saindo QAO pela meritocracia militar.

      1. Ao Anônimo, 14 de janeiro de 2024 às 22:36

        Quanto ódio no seu coração amigo! Pelas suas palavras cheias de rancor, creio que vc é um militar (praça) que vive se arrastando no quartel cheio de direitos e zero dever.

        Faça sua parte amigo, deixe os outros fazerem a dele. Cada um sabe de Suas Necessidades familiar, correr atrás de um curso, idioma, instrutor, isso não quer dizer que o militar é subserviente ou babão!

        Presta atenção e reflita um pouco nas suas palavras! Eu hein!

      2. Eu nen deveria responder a uma resposta desse nível, esse subtenente velho e cheio de cadeia que você falou tinha maia pontos que você e porisso saíu promovido mesmo assim.
        O Exército dificilnente erra nas promoções, siga as recomendações sábias do nosso companheiro, busque sua promoção e faça por merecer, tanto ódio no coração vai fazer você desenvolver uma doença ruim.
        Quanto a subserviência e ser puxa saco, eu tenho vários defeitos e dificuldades, mas, essses que você citou nunca fizeram parte do meu perfil.
        E, para terminar, repito as palavras de um companheiro:
        “O que pensam de mim não paga meus boletos”.

  6. A Carreira Do Praça Deve Ser Paralela A Carreira Dos Oficiais E Não Uma Continuidade.

    Existem Óbices Constitucionais Na Promoção De Praça A Oficial, Principalmente No Fato De Serem Carreiras Diversas Com Requisitos De Investidura Diferenciados E A Remuneração Deve Ser De Acordo Com Cada Carreira, Não Podendo Ter Na Carreira De Oficial Componentes Remuneratórios Da Carreira De Praça, Como É O Caso Do CAS Por Exemplo.

    Portanto A Sugestão Para A Carreira De Praça É A Melhor E Coerente Com A Constituição Federal, Evitando Situações Como Ocorrem Abaixo:

    “4. Referida Lei N. 12.158, De 2009, Sobre Não Ter Suprimido Os Interstícios Regulamentares
    Anteriormente Fixados, Não Conferiu Direito De Promoção Ao Oficialato, Pois Nos Termos Da Legislação De Regência (Estatuto Dos Militares E Regulamentos Próprios) A Graduação De Suboficial É O Último Grau A Que Pode Ascender O Militar Pertencente Ao Corpo Do Pessoal Graduado Da Aeronáutica (CPGAER), Não Havendo Previsão Para Promoção Ao Oficialato. O Acesso Ao Oficialato
    Não Se Insere Na Evolução Normal Da Carreira De Praças.

    5. Apelação Desprovida”

  7. Trecho retirado da reportagem acima:

    Após constatar a insatisfação das praças da FAB a CPI do tráfego AÉREO apresentou a seguinte sugestão para a carreira dos graduados

    “Afirmam que a insatisfação também se dá em razão do pequeno número de vagas destinadas à ascensão dos suboficiais ao oficialato… A sugestão da Arfamil espelha-se no plano de carreira dos quadros das forças armadas norte-americanas, em que há 9 níveis de graduações… ”

    1) Suboficial Master (SM) – soldo de capitão + gratificações (salário final igual ao de Capitão).

    2) Primeiro-Suboficial (PS) – soldo de primeiro-tenente + gratificações.

    3) Segundo-Suboficial (SS) – soldo de segundo-tenente + gratificações.

    4) Suboficial (SO) – soldo de SO + gratificações.

    5) Primeiro-sargento (1S)- soldo de 1S + gratificações.

    6) Segundo-sargento (2S)- soldo de 2S + gratificações.

    7) Terceiro-sargento (3S) – soldo de 3S + gratificações.

  8. O QAO é totalmente inconstitucional. Suas normas não foram recepcionadas pela Constituição de 1988, que exige em seu art 37 concurso público para provimento originário.

    A promoção do subtenente ao posto de 2º Tenente é um provimento originário, pois ele passa a compor a carreira dos Oficiais.

    O praça tem que ser bem remunerado, uma remuneração em paralelo com a carreira do Oficial, isso sim. São carreiras e atribuições diferentes, não tem sentido essa estrutura remuneratória piramidal entre duas carreiras diferentes.

    O STF tem uma súmula vinculante que foi editada justamente pelas leis estaduais que permitiam aos agentes de polícia a promoção ao cargo de delegado, desde que fizessem uma prova interna e estivessem na última classe de suas carreiras (como o subtenente). É um
    Assunto velho nos Tribunais.

    STF – Súmula Vinculante n. 43 do STF. É inconstitucional toda modalidade de provimento que propicie ao servidor investir-se, sem prévia aprovação em concurso público destinado ao seu provimento, em cargo que não integra a carreira na qual anteriormente investido.

      1. Pois é mais concurso interno não pode para provimento originário.

        As coisas são assim mesmo a constituicso é de 88 mais até 1998 estabilizava cabo e soldado sem concurso… até a justiça começar a tomar de conta, ai acabou.
        Entende? É pq tudo nas FFAA fica bem restrito a nós mesmos

    1. Bla, bla, bla, …..conversa de recalcado….

      Esse assunto de que QAO é inconstitucional está superado amigo, aceita que dói menos! Isso não vai mudar, acredite!

      Se vc for sargento Faça igual aqueles que buscaram alcançar a promoção ao QAO, ou seja, cursos, idiomas, instrutor de TG, cumprimento de missão, etc…, que certamente vc vai chegar lá. Não fique se arrastando não só querendo direitos e nada de dever!

      Caso vc seja um civil infiltrado aqui com esse bla, bla, bla, mi, mi, mi, vá cuidar da sua carreira e ponto final.

      Bom final de semana!

          1. Eu nao.
            To nem ai pra nada.
            Comprei uma franquia aqui e a coisa ta indo bem, o lucro invisto em algumas criptomoedas e em breve abrirei a segunda franquia em outro bairro aqui no recife.
            Quero nada, so corto o cabelo e chego no horario

  9. Muito bom a postagem.
    E é isso mesmo. Entre os oficiais há os mesmos recalques, principalmente aqueles que não são de armas Base.
    Os que não fizeram ECEME então são peso morto, é até um problema para o exército arrumar uma OM com QCP para eles, aí enchem uma seção com vários adjuntos Of Sup para fazer papel e servir café. Um praça tem muito mais oportunidades, pode fazer curso, pode ir para aditância, o mangão não, o mangão tem que esperar o tempo para pedir a reserva, ta antigo para ser capacitado e não tem as capacidades (altos estudos) para as bocas boas. Aí vira OD. Por isso meus bons cristãos, não se ofendam jamais, a verdade é que somos pequenos, não temos guerra para mostrar que todos nós sangramos e o sangue de todos é vermelho, então ficamos diminuindo e humilhando nosso próprio colega de profissão.

    1. Presenciei cenas humilhantes com os “mangão”.
      Tocou reunião de Oficiais e o TCel Chefe da Ajudância Geral (manga misa) levantou para dirigir-se ao local da REPONE.
      Então um Major que passou para ECEME mandou:
      – “vai pra onde Coronel”.
      O cara só havia sido aprovado para o curso de EM, e já tratava o TCel com total desprezo e soberba.
      Esse é o pensamento dos militares que articularam, costuraram nos bastidores do governo Bolsonaro a Reestruturação da carreira-DELES.
      São os senhores da guerra que pensam o Exército só pra eles.
      E o honesto TCel fez meia volta e se pôs em silêncio em sua posição diminuta pelo sistema de castas das FFAA

      1. Vi isso no QGEx final do meu serviço ativo:
        Reuniao de Oficiais QEMA, apenas ele.
        Major moderno indo, coronel com medalha tim maia dispensado.
        Eu sentia pena, eu nunca tive vaidade nenhuma nessa vida, mas essas pessoas que desde a adolescencia vivem de vaidades acabam sofrendo muito com tamanha humilhação. É como se o Pai viesse a ensinar um pouco de humildade a alguns.

  10. Isso comprova que o principal problema a ser resolvido para o EB entrar de vez no século XXI é a reformulação da sua estrutura de formação da “Acadimia”.

    Os jovens que lá ingressam recebem em 4 anos de formação uma verdadeira lavagem cerebral, apagando suas realidades sócio-econômicas.

    Essa manipulação transforma jovens idealistas em arrogantes indivíduos que se enxergam como oriundos de uma aristocracia nobiliárquica.

    No século XIX isso era até compreensível, mas atualmente é totalmente contraproducente, além de anacrônico.

    Assim, a cultura organizacional resultante é da convivência de “inimigos”, pois quem não é de “Acadimia” é um ser estranho, acéfalo, potencial desonesto, enfim, um inimigo.

    Essa manipulação é tão doentia que cria diferença entre eles mesmos,
    – os formados na “Acadimia” – ao segregar que tem “ECEME” e quem não tem.

    Esse é o “Exército de Caxias”, exército que insiste em não abandonar o século XIX

    1. Não é só nas FFAA, essa coisa começou no império, e persistente até hoje no Judiciário, no Senado e em outros cargos elevados da Nação Estado.
      Com disse anteriormente, ‘brazil, o país das castas’.

      Vejamos nos altos cargos da Petrobrás:
      Os funcionários da Petrobras recebem, por exemplo, 100% a mais pelas horas extras, em vez do adicional de 50%, previsto na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).
      Enquanto os demais trabalhadores ganham um adicional de 33,33% nas férias, eles embolsam 100% a mais. Recebem também um reembolso de até 90% dos gastos com matrículas e mensalidades escolares de filhos de até 18 anos e uma “ajuda de custo” para assistência alimentar de R$ 1.254 por mês, mais R$ 192 de vale-refeição.
      (Fonte Uol)

    2. Não vai mudar nunca!
      Porque:
      – “São os senhores da guerra que pensam o Exército só pra eles.”
      – fazem as próprias regras, Leis e Estatutos (Lei 13.954/19).
      E, também, por que sabem que os mesmos “auto-privilégios” ocorrem em todos Altos Escalões dos Três Poderes da União.
      Detalhe, se sentem absurdamente mal reconhecidos financeiramente pelo Estado.
      Acham que são ‘extremamente’ mal remunerados.
      Fato!

    3. Que percepção apurada. Muito bom saber que tem gente que consegue enxergar isso, as vezes penso que estão todos cegos.

      E sabe o que é mais curioso? Alguns dos oficiais mais competentes que trabalhei, mais inteligentes, preparados, eram mangões do QEM, do QCO e até mesmo da akadimia, mais sem eceme e sem esse ar aristocrata do império. Claro que não tiveram oportunidade nenhuma e ainda ouviam poucas e boas. Aproveito para deixar a qualidade dos nossos médicos de carreira, tenho uma dívida de uma vida com um deles ( um capitão ).
      Mas não adianta, somos castas, não tem nada haver com mérito e alguns se julgam herdeiros do próprio DNA de caxias mais que os outros. Os outros são incapazes e desonestos. Seu comentário vai na veia.

  11. Dificilmente essa ideia irá pra frente
    1° Querem salário de Major sem responsabilidade de Major e isso para os “cabeças pensantes” vai soar como absurdo
    2° Se acontecesse de rolar esse STen Mor com salário de Major, em quanto tempo vocês acham que iria permanecer assim? O que os impediria de criar um jeito de desvincular um do outro e STen Mor começar a se distanciar cada vez mais do Major?

    Conclusão: Lutem para que o QAO vá até Major mesmo, pq aí não vai ter o que fazer vc será Major e eles não vão poder fazer nada e todos os benefícios futuros recairão sobre os Majores QAO.

  12. Poder chegar ao QAO não é o principal na discussão; salário sim.
    Um exemplo que poderia ser seguido é o plano de carreira de servidores do judiciário federal: Analista vai de 13.200,00 a 19.800,00; técnico vai de 8.000,000 a 12.000,00; auxiliar vai de 4.100,00 a 7.100,00. Claro que tem ainda CC, FC e benefícios. Esses valores são exemplificativos. Note que cada um fica no seu “quadrado”. e assim deve ser. não tem esse negócio de ST ganhando igual a Cel. pelo menos no que concerne à remuneração básica. no caso dos servidores, CC, FC e benefícios podem aumentar, mas é pontual. poderia haver isso nas FFAA; por que não?
    de forma que, acho justo o cel ganhar mais do o sT; o delegado ganhar mais do que o agente; o analista ganhar mais do que o técnico; o engenheiro eletricista ganhar mais do técnico em eletricidade.
    No EB, enquanto existir o QAO, o sargento deve sim fazer por onde para chegar lá. A melhora salarial é boa. e mais: deixe o tempo passar e vá até capitão.

    1. Esse negócio de cada um no seu quadrado pode ser um tiro no pé já que quem corre atrás dos nossos aumentos são os oficiais Generais e eles vão sempre procurar melhorar o “quadrado” deles e o nosso que se exploda e bem provável que não mude praticamente nada, vai ser só desgaste. Se for pra brigar que briguem para que o QAO melhore e vá até Major, que é o maior salto salarial dos oficias, que eu acho que a chance de obter sucesso é maior e o desgaste vai ser menor, depois é correr atrás de outras melhorias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo