Gabinete do Comandante do Exército faz visita de orientação técnica ao Canadá

VOT CANADÁ

Visita teve a duração de quatro dias

Ottawa (Canadá) – No período de 30 de outubro a 2 de novembro, a Aditância de Defesa, Naval, do Exército e Aeronáutica do Brasil recebeu a visita de orientação técnica de comitiva da Assessoria de Pessoal do Gabinete do Comandante do Exército, a fim de verificar as condições de execução das missões de militares do Exército Brasileiro no Canadá, bem como verificar as possibilidades para incrementar o intercâmbio entre os Exércitos dessas duas Nações Amigas.

A comitiva pôde verificar in loco as atuais condições de execução das missões permanentes no país, bem como as possibilidades e limitações do Exército Canadense para manutenção das atuais missões, adequação destas ou criação de novos intercâmbios no Canadá, para militares brasileiros, e no Brasil, para militares canadenses.

Durante sua estadia, a comitiva visitou o Canadian Army Advanced Warfare Centre, onde o Brasil possui um Capitão Aperfeiçoado com Curso de Operações na Selva, como Instrutor; o Canadian Army Doctrine and Training Centre, onde o Brasil possui um Coronel do Quadro do Estado-Maior da Ativa, como Oficial de Ligação de Doutrina; além da própria Aditância, onde o EB possui um Coronel, como Adido Militar, e um Subtenente, como Auxiliar de Adido.

Também foram visitados o Comando do Exército Canadense, onde a comitiva recebeu uma apresentação estratégica sobre as atuais prioridades daquela Força, os efetivos desdobrados em missões fora do Canadá, o processo de prontidão operacional do Exército Canadense e as possíveis oportunidades de intercâmbio.

Nas instalações da Aditância, a comitiva recebeu uma apresentação abordando as demais missões individuais, permanentes e temporárias, no corrente ano, bem como as missões da Marinha do Brasil e da Força Aérea Brasileira no Canadá.

Os militares da comitiva puderam, ainda, conhecer a Embaixada do Brasil em Ottawa, onde foram recebidos pelo Embaixador Carlos Alberto França, que tratou sobre o relacionamento diplomático entre os dois países e as oportunidades de incremento na área de Defesa, e o Museu de Guerra do Canadá, onde puderam melhor compreender a evolução das Forças Armadas Canadenses em função dos diversos conflitos em que o país participou.

Fonte: Aditância de Defesa, Naval, do Exército e Aeronáutica do Brasil no Canadá

EB

12 respostas

  1. Iliseu se deu bem. Minha Turma.
    Sou melhor classificado, tenho mais tempo de selva, tenho habilitacao em ingles e frances e estou aqui contando capacete.
    Valeu iliseu, tu vai e fico eu!
    Grande abraco

    1. O processo de seleção é para os normais, os super homens vão para a missão por outros caminhos. Como Sub velho já deveria saber disso, o mesmo acontece com as movimentações, sucemnet é para os normais.

    1. Não é o problema copiar os americanos, o que seria muito positivo, o problema está em ter uma Farda Camuflada para ambientes de Mato, e o coturno para ambientes deserto arreia. Se o coturno fosse apenas para Caatinga, tudo certo.

      Mas visita técnica…Ucrânia, Gaza ninguém quer. Este nosso Brasil é rico mesmo, quando não roubaram, esbanjam.

  2. O que eu comento sobre?

    Desperdício de dinheiro público?

    Forma de ganhar grana para quem não tem a capacidade de ganhar 1 salário mínimo sem ter que adular o chefe?

    Forma de propaganda de “meritocracia” para dizer que é só se esforçar que você chega lá?

    Eu realmente só tenho uma coisa a dizer, o EXÉRCITO virou uma farsa, onde o conceito vale mais do que o seu mérito verdadeiro, a ponto de vermos em uma reunião paisana a Diretora da Escola achar que o Sargento era o Chefe do Major, pois o referido oficial não sabia nada sobre o referido assunto a ser tratado, enquanto o Sgt era mestre na área formado pela UFRJ.

  3. Visita de orientação técnica ? Isso aí é visita pra turistar e ganhar merenda(r$) ! Em tempos de trabalho home office e diversas tecnologias de comunicação de teleconferência, vcs querem nos fazer crer que faz-se necessário um grupo de militares se deslocaram ao Canadá para fazer anotações numa agendinha e fazer “orientação técnica” presencialmente?

    Temos um Exército que se esmera em fornecer e “fabricar” boa imagem, mas que não tem a preocupação em garantir carregadores de fuzis e pistolas em quantidade suficiente para compor 10 unidades por arma. Isso mesmo, há tanta preocupação com firulas, mas o básico mesmo não é providenciado.

  4. Aí, um papo reto, sim, insignificante, irrelevante, concordo, mas:
    – esse novo modelo de ‘botinhas’ é triste, Descaracterizante.
    O coturno verde (Jungle Green) para uso de militares que estejam servindo no CMA e CMN:
    – são menos ‘Aventureiros’ Trekking.
    Agora esse Marrom (Brown Patina) da imagem é abominável.

  5. O procedimento sempre foi esse: Seja Leal e as recompensas virão. Isso é uma meia verdade pois temos exemplos de Lealdade muito próximo a exclusão da Força.

    Sobre o coturno, em breve lançarão sandálias de couro para QAO, QE e PTTC, cobertura aba quadrada para os manos. Tip top para as minas e, meias cor do Arco íris para TFM. Quem reclamar perde direito ao danoninho da sobremesa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo