A resposta do chefe do Estado-Maior do Exército a Flávio Dino sobre o 8 de janeiro

O general Fernando Jose Sant’Ana Soares e Silva é o chefe do Estado-Maior do Exército brasileiro Exército Brasileiro

Alto Comando do Exército nunca quis intervenção militar antes, durante ou depois das eleições

Bela Megale
O general Fernando José Sant’Ana Soares e Silva, chefe do Estado-Maior do Exército e número dois na hierarquia da Força, reagiu à afirmação do ministro da Justiça, Flávio Dino, de que “a maioria do Alto Comando torcia” para o sucesso dos atos golpistas de 8 de janeiro.
— O Alto Comando do Exército nunca quis intervenção militar nem antes, nem durante e nem depois das eleições e da posse do presidente Lula — disse o general à coluna, ao ser questionado sobre a frase de Dino.
O ministro da Justiça disse à revista “Veja” que “a maioria do Alto Comando torcia – e friso este verbo – para que o levante tivesse dado certo. Não significa participar e orientar. As Forças estavam na torcida, mas não se engajaram”, disse Dino.
À coluna, o general destacou ainda que há, nas Forças Armadas, o temor de sua politização.
— O grande medo que temos é a politização das Forças. Afastamos isso cumprindo o que manda a lei, que estabelece que militares da ativa não podem ter filiação partidária e não podem se manifestar politicamente. Outro ponto essencial é a manutenção de dois pilares rígidos: hierarquia e disciplina para que todo mundo faça a mesma coisa.
O Globo

12 respostas

  1. Acredito no Alto Comando afinal, ele nunca sabe de nada…vide greve dos camioneiros.

    Marido traído, mãe do filho gay, e Alto Comando, São sempre os Últimos a saber.

  2. Militares “não podem ter filiação partidária e não podem se manifestar politicamente”.

    Mas pode receber diplomas e honrarias dos governos estaduais e municipais? Diplomas das Câmaras municipais? Participação em assembleia?

    Ps: militares = comandantes de OM

  3. A rejeição à Lula pela Caserna é devido ao tratamento que o presidente dispensa aos Deus recursos humanos…
    “Dando migalhas”!!!
    Como a tropa vai desejar a volta de um político desse tipo!!
    Lula é o pior presidente para as Praças Das FFAA!!!

  4. Interessante, na época não fizeram nada para evitar o Pazuello de subir no Palanque do Bolsonaro montado num carro de som.

    Mas o mais interessante desse post é a foto. A imagem vale mais que mil palavras.

    Reparem no detalhes: cenho franzido, queixo elevado, vocação cerrada e apontada para cima…

    são mesmo especialistas em Simulação.

    Quem olha assim acredita que são “brabos” e prontos para enfrentar o inimigo cara-a-cara.

    Pena que quando estão dando depoimento numa Comissão Parlamentar, por exemplo, transformam-se! E alguns ainda dizem envergonhadamente: “sou um simples coronel”.

  5. Flávio Dino quer 41 mil para delegados PF, e 30 mil para escrivão (hoje digitador de computador). Enquanto isso, o mecânico do Air Bus Presidencial ganha 5500 brutos se 3o. Sgt e o piloto 15 mil se capitão. Aviadores. Aqueles que podem tem que pedir demissão e procurar carreiras com a verdadeira valorização. isso vem desde a época do ” capitão sindicalista”, que não fez um acréscimo sequer nos soldos.

  6. E tudo indica que isso aconteceu. Não mobilizaram tropa mas permitiram o uso de instalações e corria via zap conspiração de seus subordinados, chegou até a ser exonerado o Comandante Júlio César de Arruda por tentar não cumprir ordem a favor do Ten Cel Cid e o Comandante da Marinha não comparecer a passagem do próprio cargo. Quer goste ou não, os chefes militares comprometeram a Instituição seriamente, tanto externa quanto internamente, agora aguentem!

  7. Acredito que o Sr. DINO, Ministro da
    Justiça foi o homem
    braço forte do sr.
    presidente LULA, no
    dia 08/01/23.
    o ministro DINO Con
    toda sua coragem,
    falou alto com o
    comandante do exército no dia 08/01/23.

  8. Os pilares de hierarquia e disciplina não são maiores do que o pilar da VERDADE.
    Quando ela surgir o Ministro Flávio Dino verá do lado de quem o Brasil está.

  9. A realidade é uma só, O Presidente Bolsonaro, envolveu negativamente o nome das Fôrças Armadas , nestas confusão do dia 8 de Janeiro ,. Ele deveria ter aceito o resultado da eleição, e não ter fugido do Brasil. e daqui há 4 anos poderia tentar novamente disputar as eleições para presidente, porquê tudo muda em 4 anos, e o cargo de Presidente passageiro .Democracia é isso, tudo se renova à cada quatro anos,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo