Capitão é acusado de roubar e revender pneus da Guarda Presidencial

PNEU VELHO

Militar trocava pneus novos e recauchutados por outros retirados do lixo, diz o Ministério Público

Daniel Haidar
No centro da desconfiança motivada pelo comportamento do Exército nos atentados terroristas de 8 de janeiro em Brasília, o Batalhão da Guarda Presidencial foi palco de um bizarro esquema de desvio de pneus de veículos oficiais, de acordo com documentos obtidos pela coluna.

O capitão Enes Fonseca Júnior, ex-comandante do pelotão de transporte da Guarda Presidencial, virou réu na Justiça Militar pela acusação de que roubou e revendeu 260 pneus adquiridos pelo Exército, para uso das tropas dedicadas à proteção da Presidência da República.

De acordo com denúncia apresentada pela promotora Caroline Piloni, Fonseca Júnior roubou e revendeu os pneus para o empresário Carlos Alberto de Aguiar Lopes, dono da empresa Carlão Pneus, de quem era próximo.

Para roubar e revender os pneus, usando veículos militares, o capitão determinava que subordinados trocassem os pneus novos ou recauchutados dos veículos por outros usados, “que eram obtidos, muitas vezes, no lixo do Serviço de Limpeza Urbana (SLU)”, detalha a denúncia.

O militar recebeu cerca de R$ 16 mil pelo roubo e pela revenda dos produtos, ainda de acordo com o Ministério Público Militar. O esquema de corrupção na Guarda Presidencial funcionou no período em que Fonseca Júnior comandou o pelotão de transporte, entre 26 de fevereiro de 2015 e 15 de outubro de 2019.

O esquema só foi descoberto porque um substituto identificou modificações nos veículos. Ao investigar o caso, a promotoria militar mapeou o fluxo de pagamentos recebidos pelo capitão. O dinheiro saiu de contas bancárias controladas pela esposa e por um sócio do empresário.

Em depoimento, o capitão alegou que os pagamentos eram “empréstimos” obtidos do empresário.

O processo criminal corre na 2ª Auditoria da 11ª Circunscrição Judiciária Militar (CJM).

Procurados, o capitão e o empresário não foram localizados para comentar as acusações.

terra/montedo.com

23 respostas

  1. Se o R.L.R.B desviou 78 mil (é o que dizem, mas parece que foi muito mais de 100 mil) e falsificou a assinatura do OD do 3º RCG em 2007 conforme matéria desse próprio site https://www.montedo.com.br/2012/02/20/tenente-do-exercito-e-condenado-por/
    e hoje já é major, recebeu todos os atrasados desde a época que deveria ter sido promovido, uma bolada quase 500 mil e foi perdoado pelo STF e pela comissão de oficiais e manteve seu oficialato, 16 mil é troco, o máximo que vai acontecer com esse capitão é ser transferido pra um quartel próximo a praia e ainda vai ganhar um boa bolada, se fosse um praça aí estava F…………….
    Enquanto isso o “mito” continua com medo de voltar e ser preso com seus filhotes queridos e santos!

    1. A não ser que seja um QAO. Se for ta f…… Vai ter a cabeça servida em bandeja inox no próximo jantar de boas vindas que a OM realizar utilizando recursos que deveriam ser aproveitados na alimentação da tropa….

  2. “O capitão Enes Fonseca Júnior, ex-comandante do pelotão de transporte da Guarda Presidencial, virou réu na Justiça Militar pela acusação de que roubou e revendeu 260 pneus
    De acordo com denúncia apresentada pela promotora Caroline Piloni, Fonseca Júnior roubou e revendeu os pneus para o empresário Carlos Alberto de Aguiar Lopes, dono da empresa Carlão Pneus, de quem era próximo.”
    Roubo ou furto: Em um inquérito ou acusação judicial faz a diferença.
    Bem pode ter sido erro do periodista que talvez não saiba a diferença; aí cabe ao ofendido quem sabe até danos morais?
    Ou quem sabe faz parte dessa nova língua genérica?

  3. A reportagem deveria esclarecer não se tratar de um Capitão das Armas. Alguns aproveitam a desinformação para insultar a qualidade do nosso Oficialato, mas estejam certos, quem cursa 4 anos de Academia Militar passa por todas as avaliações de caráter possíveis, e por isso a Academia continua sendo e sempre será nosso celeiro de homens corretos

    1. Caráter não vem da escola que se cursa, do dinheiro que se tem, cargo que ocupa ou posição social. Caráter vem da educação familiar. Não se pode aqui colocar que só porque cursou alguma escola militar deve ser incorruptível e que por via transversa, quem não cursou isso seja inclinado ao Mal Caratismo. Não se pode tarjetar o Criminoso, pois ele não tem Cara. Simples assim.

    2. Pois é. Da AMAN sairam golpistas e traidores como Prestes e Lamarca. Não podemos esquecer dos torturadores chefiados por Ustra e terroristas do Rio Centro como Newton Cruz e companhia.

      A “acadimia” também formou os revoltosos do Forte Copacabana e o golpista MOR responsável pela desgraça república tupiniquim, um tal de Deodoro da Fonseca.

  4. É um auxiliar de Oficial, podem pesquisar no google, seis processos na justiça civil e foi candidato. É só escrever o nome no google.
    Antes que venha um revoltado com nossa classe…..

    1. Sério?

      Está querendo dizer que um QAO é mais propenso à desonestidade que um oficial de “Academia”??

      De duas, uma: ou seu comentário é ironia ou vive numa bolha.

      1. Ele é defensor, intuitivo, da Teoria do Criminoso Nato de Cesare Lombroso, se bem Que duvido de que ele saiba quem seja ou tenha estudado sobre Isso.

      2. Não foi isso que quis dizer. Existem excelentes militares do QAO. Apenas quis dizer que a formação dos Oficiais das Armas é longa, cansativa e sob vigilância integral, permitindo que se excluam os indivíduos sem pendor ou mesmo as maçãs podres. As estrelas sao conquistadas a muito custo, e são raros os casos de desvio, pois temos uma das melhores formações do mundo. Só posso falar pela formação dos Oficiais combatentes.

        1. Senhor Cel R/1 BUSTAMANTE, deixa de conversa fiada, nenhum curso ou formação longa significa que o indivíduo será mais ou menos corrupto.
          “são raros os casos de desvio, pois temos uma das melhores formações do mundo” kkkkkkkkkkk

          só pesquisar no mesmo google que o senhor orientou a palavra “desvio de generais, coroneis, oficiais” nas forças armadas que os resultados serão enormes. Deixe de ser corporativista e seja mais sincero nas suas palavras, começou falando mal dos oficiais QAO e agora quer se desculpar e não sabe como.

  5. Agora sim! Vão usar a desculpa que não ocorreu omissão do DGP no 8 de Janeiro. Não haviam pneus para Que as vtr levassem a tropa para o local, agora tudo faz sentido. Tinha que ser um QAO, um eterno Praça associado aos infiltrados petistas, está tudo claro! Malditos comunistas!

  6. Cada pessoa é responsável por Seus atos e deve Responder por eles, independentemente da origem, posto ou graduação.

    Todos tem o direito de defesa, portanto as acusações devem ser comprovadas por instrumento judicial específico.

  7. O mais interessante é que esse Cap QAO se candidatou a deputado distrital no DF. Imagina o estrago que faria se tivesse ganhado. O sistema é muito falho mesmo. O cara conseguiu sair QAO.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo