Escolha uma Página

Paulo Chagas afirmou que partido do presidente ” possivelmente poderá “acolher práticas delituosas” e torce por novo surgimento de novo nome

Caio Barbieri
Ativo sobre política nas redes sociais, o general da reserva Paulo Chagas criticou, nesta sexta-feira (3/6), o Partido Liberal (PL), atual sigla do presidente Jair Bolsonaro.
Chagas foi candidato ao Governo do Distrito Federal em 2018 com apoio do atual titular do Palácio do Planalto, mas abandonou o presidente após a demissão do ex-ministro Sergio Moro.
Na publicação criada no Facebook, Chagas afirmou que o partido “alberga corruptos” e que, possivelmente, venha a acolher “as suas práticas delituosas”.
“Corroborando a comparação e a dedução, encontramos, incorporados ao PL, na qualidade de dirigentes e de líderes do mais alto escalão, políticos acusados, investigados, julgados, condenados e apenados por corrupção!”, escreveu.
“Valendo-nos do ditado popular que sentencia os mal acompanhados com a frase ‘dize-me com quem andas e te direi quem és’, sentimo-nos também autorizados a concluir que o Partido Liberal não deve ter qualquer interesse em combater o crime cuja prática atingiu o seu clímax destrutivo durante os governos liderados pelo PT, o partido de Lula da Silva”, continuou.
No mesmo texto, o general da reserva diz que ainda acredita no surgimento de um nome que agregue quem não concorda com a polarização entre Lula e Bolsonaro.
“Somos mais de 200 milhões de brasileiros e estamos em tempo de pré-campanha eleitoral, portanto, ainda há tempo para que se apresente o representante do projeto que, bem ou não tão bem, nos tirará desta arriscada ‘sinuca de bico’”.
JANELA [I]NDISCRETA/montedo.com

Skip to content