Escolha uma Página

Força Aérea Brasileira afirmou que militares que optarem por se imunizar não serão punidos

Júlia Portela
A Força Aérea Brasileira (FAB) vai autorizar o retorno de militares não vacinados ao trabalho presencial, com a condição de que assinem um termo de recusa de imunização. A informação é do jornal O Globo.
No documento, o militar assina a seguinte mensagem: “Declaro para os devidos fins que me recuso a ser vacinado contra a Covid-19, mesmo sendo encaminhado para a vacinação pela minha Organização Militar e orientado quanto à importância da vacinação para a imunização e proteção da minha saúde, estando ciente ainda que a falta de imunização, neste caso, não importará em não exercício das minhas atividades profissionais habituais”.
As Forças Armadas nacionais não tornaram a vacinação dos militares obrigatória, posição diferente da tomada pelo exército dos Estados Unidos, por exemplo.
Procurada, a FAB afirmou que o termo tem o objetivo de “controle e acompanhamento do efetivo da Força Aérea Brasileira por meio de sua Diretoria de Saúde”. Além disso, informou que militares não imunizados não sofrerão qualquer tipo de sanção.
“Por conta da transmissão comunitária do novo coronavírus em todo o território nacional, não é possível afirmar a origem de contágio para casos da doença. Desde que foram reportados os primeiros casos do novo coronavírus no Brasil, a FAB tem empenhado esforços para garantir a saúde e proteção de seus integrantes, readequando atividades e implementando procedimentos de prevenção alinhados aos protocolos previstos”, afirma a nota.
METRÓPOLES/montedo.com

Skip to content