Escolha uma Página

O cabo Eberson Goedert, de 22 anos, ousou no pedido de casamento e mostrou que há romantismo por trás da farda

SOFIA MAYER, JOINVILLE
Por trás da farda, bate um coração. O cabo Eberson Goedert, de 22 anos, deixou claro que há romantismo no 62º Batalhão de Infantaria, em Joinville. Foi lá, durante sua formatura no Exército, na sexta-feira (8), que o jovem pediu a namorada em casamento.

Por três semanas, ele preparou a surpresa para Franciele Mees Laurindo, de 21 anos, que não esperava ver nada além da cerimônia do companheiro, que seria promovido a cabo.
“Ela foi lá sem esperar nada além da formatura”, comenta Eberson. “Eu fiquei muito nervoso na hora. Estava tremendo bastante, porque se tratava de um momento muito importante nas nossas vidas”, afirma.
Os dois são natural do Alto Vale do Itajaí e se conheceram no Ensino Médio, em 2014, quando entraram para o IFC (Instituto Federal Catarinense), em Rio do Sul. Dois anos depois, começaram a investir em um relacionamento amoroso.
“A gente começou a namorar no final de 2016 e, por conta do meu sonho de ser militar , eu decidi migrar para Joinville em 2018, onde estabeleci minha segunda casa”, explica.

Pedido de casamento aconteceu durante de cerimônia de promoção para cabo – Foto: 62º Batalhão de Infantaria/Divulgação/ND

A ideia, que surgiu após pensar bastante, revela significados importantes para ele. “Que sirva para mostrar que, por baixo dessa farda, temos cidadãos que não só são apaixonados pela nossa pátria, mas que também são pessoas que amam, que têm sentimentos, que têm laços”, conclui.
nd+/montedo.com

Skip to content