Escolha uma Página

Laboratório da Força aumentou produção do medicamento para uso não comprovado contra covid-19

O Exército vai distribuir comprimidos de cloroquina que estão em estoque no LQFEx (Laboratório Químico Farmacêutico do Exército) para atender casos relacionados com as indicações da bula do medicamento. Uma das demandas refere-se ao uso para tratamento de malária. A informação foi divulgada pela CNN Brasil.
A produção de cloroquina pelo Exército é feita há anos para tratar malária. O remédio também é indicado para pessoas com lúpus e artrite reumatoide. Em 2020, a fabricação foi intensificada para uso contra a covid-19 a pedido do Ministério da Saúde e do próprio presidente Jair Bolsonaro. O medicamento tem a ineficácia contra a covid comprovada cientificamente.
O presidente é um dos apoiadores do uso ineficaz da cloroquina como parte de um suposto tratamento precoce contra a covid. Segundo dados do Facebook, Bolsonaro é o maior influenciador da cloroquina no mundo, em número de engajamentos e interações na rede social.
Segundo a CNN Brasil, o Exército tem 291.000 comprimidos de cloroquina 150 mg em estoque, com validade até junho de 2022. O Poder360 entrou em contato com a Força. Até a publicação desta reportagem não houve retorno.
Poder360/montedo.com

Skip to content