Escolha uma Página

De setembro ao final de dezembro de 2020, governo federal distribuiu 482 mil doses do medicamento para tratar pacientes em estado grave de Covid-19

José Brito da CNN
em São Paulo
O Exército Brasileiro revelou à CNN que, sem demanda de Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, não houve distribuição de cloroquina 150 mg ao longo deste ano. O Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx) informa também que constam 290 mil comprimidos do medicamento armazenados no Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército (LQFEX), no Rio de Janeiro.
Entre os meses de setembro e final de dezembro de 2020, o governo federal distribuiu 482 mil doses do medicamento para tratar pacientes em estado grave de Covid-19. O remédio tem ineficácia cientificamente comprovada contra o novo coronavírus.
Em fevereiro, o Ministério da Saúde afirmou que o governo federal não ampliou a produção de cloroquina, tampouco a de hidroxicloroquina. No ano de 2020, 19 unidades de saúde de municípios do Rio de Janeiro devolveram 19 mil comprimidos de cloroquina enviados pelo governo federal ao estado. O total corresponde a quase metade dos 42 mil comprimidos recebidos pelas unidades de saúde.
Segundo o Exército informou à reportagem, em maio, estavam registrados 298.090 comprimidos de cloroquina em estoque. Questionado, na época, sobre uma redução na quantidade dos medicamentos em comparação com o mês de março (317 mil comprimidos), foi explicado que é devido ao “fornecimento da capacidade prevista para as Regiões Militares”. Leia mais.
CNN Brasil/montedo.com

Skip to content