Escolha uma Página

Um dos presos na Operação Favorito, nesta quinta-feira (14), discutiu com um militar a simulação de preços para o insumo. PF também prendeu o ex-deputado Paulo Melo e um ex-sócio dele, Mário Peixoto. Em Valença, PF apreendeu R$ 1,5 milhão em espécie.

Arthur Guimarães, Leslie Leitão e Marco Antônio Martins, G1 Rio
As investigações da Lava Jato no RJ que levaram à Operação Favorito, deflagrada nesta quinta-feira (14), apuram também uma suposta fraude na compra de álcool em gel pela Marinha, dentre as medidas contra o coronavírus tomadas este ano.
Alessandro Duarte, um dos presos na operação, foi flagrado em mensagens interceptadas com autorização da Justiça discutindo – com um militar da Força – a simulação de preços para a compra emergencial do insumo.
Pela conversa, Alessandro ganhou a compra.
O juiz Marcelo Bretas determinou que o Ministério Público Federal envie uma cópia do processo para a Justiça Militar, para apurar a conduta do suspeito de condutas ilícitas.
G1/montedo.com

Skip to content