Escolha uma Página
O sargento do Exército Vinícius Feliciano Machado, que ganhou notoriedade em agosto passado ao descer de rapel a ponte Rio-Niterói em protesto pelos baixos salários dos militares, acaba de lançar um livro. 
Abaixo, a apresentação de ‘Dez dias preso comigo mesmo – um livro para todos e para ninguém’:

Anos observando a contínua diminuição salarial dos militares. 

Como gritar e ser ouvido? 

Como gritar sozinho e ser ouvido na multidão? 

Meses de planejamento e um protesto criativo. 

Muitas coisas para um homem só e a mensagem não atingiu a dimensão desejada. 

Foi preso. 

Em outra época poderia ter sido pior. 

Foi preso por dez dias. 

Foi sozinho e levou uma missão. 

Escrever. 

E escreveu. 

Escreveu sem maldade, sem ódio e sem um objetivo claro. 

Só escreveu. 

Preso numa cela, livre em pensamentos. 

Descarregou tudo da cabeça para o papel. 

Começou sem intimidade com o papel, mas logo desatou a escrever sem medo dos resultados. 

Livre e sem barreiras, porém sem rumo. Sem foco. 

Vagando de um lado para outro no mundo das ideias alcançou pelo menos um objetivo. 

Acelerar o tempo. 

Dez dias é um pequeno período em uma rotina normal, mas dez dias mergulhado em sua própria consciência podem se tornar longos dias de reflexões extraordinárias a seu próprio respeito. 

Milhares de pensamentos podem passar pela mente em um minuto, mas uma caneta só pode registrar uma pequena parte deles e ainda assim com muita deficiência. 

Infância, adolescência, escola, trabalho, viagens físicas e viagens mentais, loucuras, sonhos, desejos, medos, segredos nas entrelinhas, protestos velados, piadas e coisas sérias, planos e futuros, ideias e mais ideias, erros e muitos erros, filosofia e pensamentos. 

O que deu para escrever foi escrito, e noventa por cento do tempo acordado foi passado escrevendo. 

Talvez seja melhor fazer mal feito que não fazer nada. 

Por isso este livro vai puro, sem revisões, com todos os erros gramaticais originais, pois se for esperar revisar até ficar bom, nunca será publicado. 

O subtítulo “Um livro para todos e para ninguém” não é apenas uma cópia de Nietsche. 

É o que é.

A obra pode ser adquirida através do site Amazon, por 6,99 dólares (aproximadamente R$ 12), frete incluído.

Skip to content