Escolha uma Página

Argentinos reclamam formalmente de violações em túmulos de militares mortos nas Malvinas

Ermida no cemitério de Darwin sofreu vandalismo (EuroNews)

Renata Giraldi*

As autoridades da Argentina apresentaram ontem (1º) um protesto ao Reino Unido em decorrência de violações nos túmulos dos heróis argentinos nas Malvinas, na ermida do cemitério das ilhas, onde foram enterrados os militares mortos na guerra de 1982. Britânicos e argentinos disputam a soberania da região, sob controle do Reino Unido. A Argentina exigiu o imediato esclarecimento.
A Comissão das Famílias dos Mortos nas Malvinas informou que houve a profanação na Ermida da Virgem de Luján, padroeira da Argentina, no Cemitério de Darwin, onde estão os restos mortais de 238 soldados argentinos. Há fotos que confirmam os atos de vandalismo. Na Guerra das Malvinas, morreram mais de 900 pessoas, a maioria formada por militares argentinos.
Em comunicado, o governo argentino acrescenta que está “firmemente convencido de que, por meio do diálogo e do respeito pelas disposições das Nações Unidas, evitam-se e se neutralizam os atos de vandalismo”.
Para a Argentina, o episódio leva a busca pelas negociações sobre a soberania das Malvinas: “[Pedimos ao Reino Unido] a responder com o diálogo à intolerância e à violência de uns poucos.”
*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa.
Agência Brasil/montedo.com
Skip to content