Escolha uma Página
Açougueiro diz ter sido agredido por militares no Alemão

JOÃO PAULO GONDIM
Um açougueiro de 42 anos diz ter sido agredido com socos e pontapés por militares da Força de Pacificação do Complexo do Alemão (zona norte do Rio), na madrugada do último dia 25.
Segundo Denílson Ferreira Borges, tudo começou quando um homem não identificado ofendeu a tropa e fugiu, no largo da Vivi, no morro da Alvorada. Borges afirma que, logo depois, cerca de dez soldados vieram em sua direção e começaram a bater nele.
Um vídeo postado neste domingo (2) na internet mostra a suposta agressão. As imagens, um pouco escuras e feitas à distância, não permitem ver claramente o que aconteceu.
“Fui espancado na frente da minha casa, na frente dos meus quatro filhos. Um militar pisou tão forte no meu pé direito que arrancou a unha do meu dedão. Não fiz nada. Estou arrasado, é muita humilhação. Nunca passei por uma situação como essa”, afirmou.
O açougueiro disse ter ido ao hospital estadual Getulio Vargas, na Penha Circular (zona norte), após a agressão. “Já se passou uma semana e eu ainda estou machucado. Os soldados estavam sem identificação, nem pude fazer queixa. Esses militares são muito despreparados para o policiamento”, analisou Borges.
Procurado, o serviço de relações públicas da Força de Pacificação informou que só vai comentar o ocorrido após assistir ao vídeo.
Esse não foi o primeiro episódio de atrito envolvendo o Exército e moradores do Complexo do Alemão. No início do mês passado, um conflito resultou em três pessoas detidas e pelo menos uma mulher atingida por bala de borracha.
Folha.com
Skip to content