Escolha uma Página
Bom exemplo de motorista que devolveu R$ 74 mil ao dono vira motivo de chacota
Selma Schmidt
RIO – O bom exemplo do motorista Joilson Chagas, de 31 anos, que devolveu ao dono os R$ 74.800 encontrados no ônibus que dirigia, na semana passada, virou motivo de chacota de alguns colegas. Ele lamentou que, enquanto descansava no dormitório da empresa, em Nova Friburgo, jogaram o seu crachá no vaso sanitário e escreveram na parede do banheiro “Chagas otário”. Chagas – que perdeu a casa na enxurrada de janeiro – não se arrepende de seu gesto:
– O dinheiro não era meu. É bom ficar com o que é nosso.
Em casa, o motorista recebeu o apoio da mulher – grávida de cinco meses – e do filho de 14 anos.
– Espero que meu filho chegue na minha idade com a minha cabeça – disse ele.
Já a Viação 1001, onde Chagas trabalha há quatro anos e meio e ganha cerca de R$ 1.400 por mês, quer valorizar a sua atitude. A empresa informou que estão sendo estudadas uma homenagem e até uma promoção.
O dono do dinheiro é um agricultor de cerca de 80 anos, que não quer ser identificado. Ele embarcou num ônibus em Friburgo, que parou na Rodoviária Novo Rio e no Terminal Menezes Côrtes. No fim da viagem, ao fazer a inspeção de rotina após o desembarque dos passageiros, Chagas encontrou um celular na poltrona 13 e um pacote junto à janela:
– Botei o pacote na poltrona e abri. Nunca vi tanto dinheiro. Estava enrolado em papel de pão e amarrado com barbante.
Chagas entrou em contato com seu chefe e retornou a Friburgo para entregar o pacote na sua empresa. Ao chegar ao terminal, avistou um senhor chorando e, na conversa com ele, descobriu tratar-se do dono do dinheiro. O homem ofereceu R$ 2 mil como recompensa, que o motorista não aceitou. O filho dele, então, entregou um relógio, pedindo que Chagas guardasse como lembrança.
– Vi a simplicidade do senhor. Achava que tinha perdido o pacote num bar no Largo da Carioca. Ele contou que tinha vendido um veículo para pagar o tratamento de saúde de uma filha.
O GLOBO/GLOBO VÍDEOS


Comento:
Fatos como esse dão bem a dimensão dos ‘valores’ que animam boa parte da população brasileira. Daí, conclui-se que não podemos nos queixar do ‘padrão moral’ de boa parte de nossos políticos. Enquanto alguns são ‘otários’ como este cidadão trabalhador, honesto e que, certamente, orgulha-se em ver seu rosto no espelho todos os dias, muitos são ‘espertos’ como os colegas que puseram seu crachá na latrina. É o Brasil.
Skip to content