Escolha uma Página
Circula na internet por esses dias um documento do Tribunal de Contas da República da França dando conta que o Dassault Rafale F3, similar ao oferecido para o Brasil dentro do programa FX2 de reaparelhamento da Força Aérea Brasileira, teria o preço de CUSTO de 101 milhões de Euros e de MERCADO de 142 milhões de Euros.
Ora, vamos então pras nossas multifamosas “continhas de padaria”?
a) Se o Rafale tem preço de CUSTO de 101 milhões de Euros;
b) Se o Rafale tem preço de MERCADO de 142 milhões de Euros;

Então temos:
a) 101 X 2,30 (cotação Euro hoje): R$ 232,30 milhões por aeronave;
b) 142 X 2,30 (cotação Euro hoje): R$ 326,60 milhões por aeronave;

Projetando para 36 caças teremos então:
a) R$ 232,30 X 36 = R$ 8,362 bilhões;
b) R$ 326,60 X 36 = R$ 11,757 bilhões.

Concluímos que:
1. aquele número anterior noticiado do valor total da proposta do Rafale de R$ 6,2 bilhões foi PRO VINAGRE! Com efeito, independente de ToT, armamentos, custo político, 10 anos de manutenção “no Vaxcão”, etc, e essa trollagem toda que os adeptos do Min Def balbuciam aqui e acolá, é IMPOSSÍVEL a vinda desses caças para cá com esse preço. Não paga o FRETE para o Brasil!
2. É mais do que evidente, até porque as finanças tanto da França quanto da Dassault estão bastante combalidas, que não há como pagarmos o preço de CUSTO dos Rafale.
Se o governo francês tentar fazer isso, de duas uma: ou quebra a Dassault (que não terá lucro algum, v.g. terá na verdade PREJUÍZO), ou quebra a França (coisa que não acontecerá no momento de mais baixa popularidade de seu presidente).
Perceba-se: se pagarmos o preço de CUSTO dos Rafale, estaremos pagando menos do que o AdlA! Imagino que isso “NOM ECXISTA” nem mesmo no mais tresloucado devaneio da mais fanática rafalechete!
Na verdade não creio nem mesmo que Sarkozy tenha tido jamais a intenção ou idéia de fazer um negócio tão bom para seu “parceiro estratégico” Luiz Inácio da Silva.
Não creio por fim, mesmo sabendo que trata-se de um notório cara-de-pau (no bom e no mau sentido), que mesmo o governante brasileiro tenha tido a ousadia de cogitar algo assim.
3. Concluímos assim que o custo da proposta francesa, sem ToT, sem armas, sem pods, sem 10 anos de manutenção “no Vaxcão”, enfim, sem as trollagens rafalíticas usuais, é sim da ordem de R$ 11,757 bilhões.
REPITO: 11,757 BILHÕES DE REAIS!
Por 36 caças!
Coloquemos ainda aí em cima o preço das tecnologias que a FAB pleiteou em sua RFI/RFP. Lembrando que estas são apenas ALGUMAS tecnologias a que a FAB ou a indústria nacional não tem acesso. Nada de “ToT irrestrita”, a uma porque a FAB não quer/não pediu isso, a duas porque sequer precisa disso.
Qual a conclusão a que chegamos?
Que a eternamente guerreada, maltratada, odiada, desdenhada, excomungada, maldita, Folha de São Paulo, NÃO ERROU ao dizer que a proposta francesa poderia chegar a R$ 18 bilhões!!! DEZOITO BILHÕES DE REAIS!
Vamos lá calcular o que dá pra comprar com nosso novo número (R$ 11,757 bilhões)? Desprezo decimais, lembrando que este é o custo de MERCADO do Rafale LIMPO, ou seja, sem NADA, sem inclusive COMBUSTÍVEL para voar até o Brasil:
 

– F-35 (US$ 94 milhões): 125
– F-22 (US$ 150 milhões): 78
– Gripen C/D (US$ 61 milhões): 192
– F/A-18E (US$ 60 milhões): 195
– Eurofighter Typhoon (US$ 82 milhões): 143
– Su-35 (US$ 65 milhões): 180
– Su-30 (US$ 45 milhões): 261
– PAK-FA (US$ 100 milhões): 117
– J-10 (US$ 27 milhões): 435
– MIG-29 (US$ 25 milhões): 470
(todos valores da wikipedia.en)

Manifestem-se agora os que acham que essa porcaria vale a pena.
Já havia dito antes: o Rafale é o caça MAIS CARO DO MUNDO!

Skip to content