Escolha uma Página
Impedida de deixar Cuba, blogueira deseja assistir a documentário do qual é personagem na Bahia
Ângela Góes 
“O senhor tem dado mostras de que confia na boa-fé do governo cubano. Para manter viva essa confiança, o governo cubano não recusaria uma solicitação do amigo Lula”
  
Duramente criticado por dissidentes do regime cubano que o acusaram de omissão por não responder a uma carta com uma solicitação de ajuda a presos políticos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a ser alvo de pedidos de socorro vindos da ilha caribenha. Há cerca de duas semanas, a blogueira Yoani Sánchez endereçou ao presidente uma carta na qual pede que ele use sua influência junto aos irmãos Castro para ajudá-la a conseguir permissão para sair do país. O documento, datado de 14 de março, já começou a ganhar repercussão na imprensa internacional.
“O senhor tem dado mostras de que confia na boa-fé do governo cubano. Para manter viva essa confiança, o governo cubano não recusaria uma solicitação do amigo Lula”, diz Yoani na carta. “O senhor estaria pedindo o que para qualquer brasileiro – e para qualquer ser humano – é um direito inalienável”.
Segundo ela, Lula “sempre mostrou ser fiel aos governantes cubanos e esta é a sua oportunidade de mostrar que está do lado do povo cubano”.
– A carta tem a intenção de sensibilizar o presidente brasileiro com a situação de imobilidade a que nos vemos condenados pelo governo cubano. Quero fazê-lo refletir sobre as limitações de liberdade impostas ao povo cubano – disse ao GLOBO, por telefone, a blogueira.
Nos últimos anos, Yoani foi impedida de deixar a ilha pelo menos quatro vezes. Uma delas, para vir ao Brasil, em outubro de 2009, para o lançamento do seu livro “De Cuba com carinho”, lançado pela editora Contexto.
A jornalista é a convidada especial da estreia de um documentário brasileiro sobre liberdade de expressão que será lançado no dia 1º de junho em Jequié, na Bahia.
“Estou certa de que as autoridades do meu país vão me negar novamente a permissão para sair”, diz ela na carta, que seguiu caminhos tortuosos antes de se tornar pública e que ainda não chegou às mãos de Lula. 
O GLOBO
Skip to content