Escolha uma Página
A nova tropa de elite do Exército Brasileiro já foi apresentada ao alto comando de carreira, mas ainda não sabe marchar ou prestar continência direito. Nunca pegou num fuzil e terá sua primeira instrução de tiro na sexta-feira. Acampamento na selva, só por dois dias, durante toda a formação militar. Cabelo reco não é obrigatório e tatuagens podem extrapolar os limites da farda. Quem tiver compromisso, basta avisar ao comando e está liberado do serviço. Com apenas um dia de quartel, os 72 novos incorporados (54 homens e 18 mulheres) já receberam a patente de 3º Sargento, com soldo de R$2,5 mil mensais. Alguma coisa estava fora da ordem unida, ontem de manhã, no Forte São João, na Urca.
Apresentados sob sol escaldante, de short preto e camiseta branca com patente, nome e sobrenome bordados, SGT Tiago Camilo, SGT Keila Costa, SGT Vicente Lenilson, SGT Natália Falavigna, SGT Hudson de Souza e SGT Leandro Guilheiro, entre outras autoridades do esporte olímpico brasileiro, terão a missão de defender a soberania nacional, durante os V Jogos Mundiais Militares, entre 17 e 24 de julho de 2011, no Rio.
Serão 4.900 atletas em 20 modalidades
No pelotão especial que repetia gritos de guerra, mas mostrava pouca intimidade com comandos do tipo “Sentido!” e “À direita, volver!”, havia até sargentos boleiros e velhos conhecidos do torcedor carioca: SGT Bruno Carvalho (ex-lateral de Vasco, Botafogo, Flamengo, Fluminense e seleção brasileira) e SGT Fábio Augusto (ex-volante de Botafogo, Flamengo e América).
– Aqui não é nossa praia, mas com um mês vamos aprender tudo. Estou sem clube e participei de alguns eventos de showbol. Agora, surgiu essa oportunidade de representar o Brasil novamente – disse Bruno Carvalho, de 35 anos, que chamava a atenção pelo gel no cabelo e pela imensa tatuagem tribal do pescoço ao antebraço esquerdo: – Quando fiz a tatuagem, nunca imaginei que seria sargento. Já parece que estou camuflado.
Considerado evento-teste para as Olimpíadas-2016, os Jogos Mundiais Militares vão reunir 4.900 atletas, divididos em 20 modalidades. O Brasil, garantido em todas as disputas, terá 250 representantes. Serão quatro pólos de disputa, em Deodoro, Copacabana, Barra da Tijuca e Maracanã, que pode ser substituído pelo Engenhão, por conta das obras para a Copa-2014.
O Exército cuidará de dez esportes. Marinha e Aeronáutica, de cinco, cada. Atletismo, basquete, boxe, hipismo, esgrima, futebol, iatismo, judô, natação, pentatlo moderno, tiro, taekwondo, triatlo, vôlei e vôlei de praia se unem a modalidades específicas, como pára-quedismo, orientação e pentatlos aeronáutico, naval e militar.
Os sargentos técnicos temporários apresentados ontem terão vínculo máximo de sete anos com o Exército, renovável ano a ano. Eles poderão continuar treinando em seus clubes e tendo patrocinadores particulares. Mas estarão sujeitos a penalidades e até afastamento caso se envolvam em indisciplina, mesmo fora do quartel, ou até em casos de doping.
– A vinda destes atletas foi pontual, para suprir a ausência de nomes de alto rendimento nas equipes militares – explicou o coronel Hertz, responsável pela comunicação social da convocação. – Se algum deles cometer ato que comprometa a imagem da instituição, estarão sujeitos a penalidades.
Segundo dados do Conselho Internacional de Esportes Militares (CISM), 755 militares participaram dos Jogos de Pequim-2008.
– Disciplina e hierarquia o judô já ensina. Duro mesmo é o sol na cabeça. Haja protetor! – brincou o campeão mundial (2007) e bronze em Atenas-2004, Tiago Camilo.
Para os novos sargentos, só bravura não dá medalha.
SGT Kaio e SGT Daynara, orgulhos da tropa
Em Estocolmo, nadador bate recorde mundial dos 200m borboleta
Nem todos os 72 novos sargentos convocados pelo Exército para os V Jogos Mundiais Militares-2011 se apresentaram segunda-feira, no Forte São João, conforme combinado. Os que já tinham competições agendadas foram dispensados e dois deles já se transformaram em orgulho do pelotão. SGT Kaio Márcio fez história ontem, batendo o recorde mundial dos 200m borboleta, com 1m49s11, e SGT Daynara de Paula ficou com o bronze nos 100m borboleta (56s52, novo recorde sul-americano), durante o Mundial de Piscina Curta, em Estocolmo, na Suécia. Já o “civil” Felipe França ganhou prata para o Brasil nos 50m peito, com 25s87.
Na final dos 200m borboleta, Kaio superou o russo Nikolay Skvortsov, que ficou com a prata (1m50s75). Era dele o recorde anterior (1m50s53), que durava desde fevereiro.
Foi o segundo recorde mundial em piscina curta da carreira do paraibano, que, em 2005, batera o dos 50m borboleta, com 22s60. Em excelente forma, Kaio disputou ontem a final da prova, pouco depois do ouro nos 200m borboleta, e superou sua própria marca, com 22s44, novo recorde sul-americano.
Daynara, por sua vez, assegurou o bronze numa prova em que a australiana Felicity Galvez bateu o recorde mundial, com 55s46.
Observação:
A foto acima é da equipe do Exército que venceu uma competição realizada no mês de junho, em Goiânia, que reuniu tropas de Forças Especias de 21 países das Américas, inclusive EUA.
Skip to content