Escolha uma Página

Em seu último relatório sobre o país, Ban Ki-moon sugere ajustes na configuração da missão da ONU; ele pede também às lideranças haitianas que busquem soluções para os problemas nacionais, com apoio da população. O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que existem razões substanciais para acreditar que o Haiti está se distanciando dos conflitos do passado e seguindo em direção a um futuro de desenvolvimento pacífico.

A declaração faz parte do seu último relatório sobre a situação da ilha caribenha, divulgado nesta quinta-feira, em Nova York.

Lideranças
Ban fez um apelo para que as lideranças haitianas mantenham os esforços de identificação de soluções para os problemas nacionais, com apoio da população, incluindo o fortalecimento das instituições de Estado.
No entanto, o Secretário-Geral alerta que os progressos obtidos até o momento permanecem frágeis e sujeitos à contratempos e retrocessos.
Ele reconheceu a necessidade de um ajuste na configuração da Missão Integrada das Nações Unidas no Haiti, Minustah, para melhor atender as necessidades no terreno.
Segundo Ban, a necessidade de realizar operações de segurança em larga escala foi reduzida e, assim, a missão da ONU poderia substituir seus veículos blindados de transporte de tropas por carros de patrulha.

Extensão
Ele acrescentou que, ao mesmo tempo, é necessária a presença de mais policiais nas ruas para apoiarem as atividades das autoridades haitianas junto à população.
O Secretário-Geral recomenda ainda ao Conselho de Segurança a extensão por um ano do mandato da Minustah, até 15 de outubro de 2010.

As tropas da ONU no Haiti são lideradas pelo general brasileiro Floriano Peixoto.
Do blog piedadedemimjaucy

Skip to content