Escolha uma Página

Por Yann Le Guernigou
O Brasil entrou em fase final de negociações com a França para a compra de 36 caças de combate Rafale, informaram os dois países em comunicado conjunto divulgado nesta segunda-feira, durante visita do presidente francês, Nicolas Sarkozy, ao país.
A França, que está buscando o primeiro comprador dos jatos Rafale no exterior, disputou com Estados Unidos e Suécia a venda de 36 aviões para renovação da força aérea brasileira.
O Rafale, fabricado pela Dassault Aviation, estava concorrendo com o F/A-18E/F Super Hornet da Boeing e com o Gripen da sueca Saab.
O contrato do Rafale entre França e Brasil estaria avaliado entre 4,5 e 5 bilhões de euros, e a primeira aeronave seria entregue aos brasileiros em 2013, segundo uma fonte próxima ao presidente francês.
Em troca, a França concordou em comprar aproximadamente uma dúzia de aviões de transporte militar KC-390, que serão fabricados no Brasil pela Embraer, em um contrato avaliado em 500 milhões de euros, segundo a fonte francesa, que pediu anonimato.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse no domingo que as conversas com a França estavam bastante avançadas. Os dois países haviam sinalizado uma aliança estratégica na área de defesa no ano passado.
As ações da Dassault Aviation subiram 1 por cento, enquanto os papéis da Saab caíram na Suécia. Os mercados dos Estados Unidos estão fechados nesta segunda-feira pelo feriado do Dia do Trabalho.
Qualquer acordo deve marcar uma grande conquista para Sarkozy, após anos de esforços de seu antecessor para vendas dos aviões de combate Rafale.
Críticos dizem que o preço estabelecido para o Rafale o torna muito caro, mas executivos franceses rebatem a crítica e dizem que o caça tem baixo custo de operação e boa performance.
ACORDO PRÓXIMO
O Rafale resultou de uma decisão do governo francês de construir seu próprio avião de guerra, tomada nos anos 80.
A França acredita que, garantindo uma vitória para o Rafale, vai ampliar suas chances enquanto o mercado global de aviões de combate mostra aquecimento.
A Dassault Aviation avalia que há “todas as razões” para o Brasil comprar seus caças de combate Rafale, de acordo com o que um porta-voz da empresa informou nesta segunda-feira.
Segundo o representante da companhia, o acordo deve ser concluído em 2010.

Reuters

Skip to content