Escolha uma Página

Por Alberto MurrayEm ótima reportagem publicada hoje na Folha de São Paulo, o Jornalista Sérgio Rangel relata que o Comitê Olímpico Brasileiro (”COB”) quer “militarizar o esporte olímpico brasileiro.” Sempre defendi que as Forças Armadas deveriam participar de forma contundente na formação dos Atletas brasileiros e ajudar a massificar o esporte. Além de possuirem profissionais competentes na área da educação física, as Forças Armadas têm execelentes praças esportivas, que são subutilizadas. Ocorre que o que o COB quer fazer não é nada daquilo que precisamos para aprimorar tecnicamente os Atletas de alto rendimento, nem vai ajudar em nada a popularização dos esporte. O projeto do COB limita-se em pedir às Forças Armadas que incluam em seus quadros determinados Atletas de alto nível para que esses, ao mesmo tempo em que passam a ganhar uma remuneração melhor, poderão representar o Brasil nos Jogos Mundiais Militares, no Rio de Janeiro, em 2.011, a fim de que o País não faça um papel feio na competição. É a chamada institucionalização do “gato fardado”. Leia mais.ALBERTO MURRAY

Skip to content