Em cerimônia marcada por emoção, Exército faz entrega de escola revitalizada na zona Norte de Porto Alegre

Operação Taquari 2 entrega à comunidade Instituto de Educação Infantil Vitória após revitalização | Foto: Camila Cunha

Instituto de Educação Infantil Vitória retoma atividades após ser reestruturado por militares da Operação Taquari 2

 

Mais de dois meses após a enchente que devastou o bairro Humaitá, na zona Norte de Porto Alegre, o Instituto de Educação Infantil Vitória está apto para retomar as atividades. No auge do dilúvio, a creche chegou a ser invadida por mais de dois metros de água e, desde então, permanecia com as portas fechadas. Nesta sexta-feira, após ficar inoperante por 62 dias, uma cerimônia com a presença de país, alunos e autoridades marcou o recomeço da instituição.

A entrega da escola revitalizada é fruto do empenho do Exército Brasileiro, que já recuperou cerca de 130 instituições de ensino atingidas por chuvas e enchentes no estado. Foram os militares da Operação Taquari 2 que se dedicaram a ações de limpeza e reestruturação das áreas da creche. Nesta manhã, a comunidade pode conferir o resultado do árduo trabalho dos soldados que, durante semanas, não descansaram até concluir missão.

O instituto também recebeu duas toneladas de doações para as famílias da escola, com cestas básicas, itens de material de higiene pessoal e roupas, além de brinquedos e doces às crianças. Os alunos da creche ainda receberam cartinhas escritas por estudantes da rede pública de ensino do Rio de Janeiro, sendo que as mensagens foram transportadas pela Força Aérea Brasileira até o RS.

“No momento de desamparo, nós tivemos o privilégio de receber a ajuda dos anjos do Exército Brasileiro. Eles limparam a lama, retiraram entulhos e iluminaram a nossa escola. Ganhamos a esperança de recomeço, graças aos militares enviados por Deus”, afirmou emocionada a diretora do Instituto de Educação Infantil Vitória, Sandra Noeli Ferreira.

Outro que se emocionou durante a solenidade foi o comandante militar do Sul, general Hertz Pires do Nascimento. O oficial relembrou que a escola infantil atende 160 crianças, ao longo de 12 horas de serviço todos os dias, e chegou a ficar com a voz embargada ao relembrar o clamor de pais dos alunos que pediam a reabertura do estabelecimento.

“Há cerca de 30 dias, a diretora me disse que estava sendo pressionada pelos pais, que precisavam voltar ao trabalho e não tinham onde deixar os filhos. Agora a escola vai reabrir, e o Exército agrade a oportunidade de mostrar esse trabalho à população. Aquele soldado que hoje está em forma, no passado poderia ter sido um aluno, porque todos nós fazemos parte da mesma sociedade”, destacou o general Hertz.

O vereador Alvoni Medina (Republicanos), que mora no bairro Humaitá e foi um dos apoiadores da iniciativa, relembrou das dificuldades enfrentadas pela população durante a enchente na zona Norte da Capital. Por conta da catástrofe, o parlamentar chegou a ficar um mês fora de casa.

“Foi emocionante ver o empenho do Exército em resgatar a escola. Graças aos militares, os pais vão poder retornar ao trabalho e terão um local seguro para deixar os filhos. Em um momento tão difícil, onde as famílias perderam tudo, isso é algo fundamental”, disse Alvoni Medina.

CORREIO DO POVO

6 respostas

  1. Missão em cima de missão, todas cumpridas.
    Só falta conceder aos militares o reajuste salarial, aos mesmos índices que foi acordado com o funcionalismo civil, na maioria das categorias, 9% Para 2025 e 5 % Para 2026.
    Lembrando que neste ano de 2024, o funcionalismo civil da União teve 9% de aumento no seu salário, e as forças armadas Zero %.
    O Prazo Para Incluir nosso reajuste no Orçamento da União para o próximo ano, está se acabando…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo