Acusado de feminicídio em MG, tenente ficará sob custódia do Exército, mas vai responder a crime na Justiça comum

Professora morta enquanto dormia evitou denunciar ex para não atrapalhar promoção dele no Exército — Foto: Reprodução / Redes Sociais

 

Luciana Sodré foi morta com tiro na cabeça em Elói Mendes (MG). Suspeito é o ex-companheiro dela que foi preso em Três Corações (MG), mas negou o crime.
EPTV 1

Três Corações (MG) – O tenente do Exército Brasileiro suspeito de assassinar a ex-esposa, Luciana Sodré Pereira, em Elói Mendes (MG), responder pelo crime na Justiça comum. Apesar disso, o militar vai seguir sob custódia na Escola de Sargento das Armas de Três Corações.

Segundo a advogada criminalista Júlia Oliveira, por ser militar, Gunther Morais tem a prerrogativa de se valer da “prisão especial” para não ter que ficar em um presídio comum.

“Sim, em razão da função dele, ele tem essa possibilidade de utilizar do instituto da Prisão Especial. Então, sim, enquanto ele estiver enfrentando a ação penal, enquanto ele estiver nessa caminhada de ser processado, ele poderá, sim, ter acesso a esse instituto. […] Como se trata de um crime comum, nós não estamos falando de um crime militar que ele utilizou da função para a prática do crime”, disse a advogada.

Ainda conforme a advogada, apesar de seguir em custódia na unidade do Exército, a competência da investigação do crime é da Polícia Civil. Mas só a conclusão de todo o processo dirá se poderia ficar preso em um presídio comum e ser submetido a um júri popular.

“Enquanto ele estiver enfrentando essa ação penal, ele estará sob à custódia do Exército do qual ele trabalha. Somente após o trânsito em julgado, somente após o encerramento, caso ele seja condenado em definitivo, aí sim ele poderá ser submetido ao encarceramento convencional”, disse a advogada.

Dentro da Escola de Sargento das Armas, em Três Corações, onde está custodiado, o militar ficará em uma espécie de sala isolada.

“Ele está isolado dos demais presos em uma sala, digamos que especial, em que ele não tem contato com outros presos. Geralmente ele fica isolado numa sala, em um local ali reservado”, completou a advogada. Leia mais.

g1 – Edição: Montedo.com

7 respostas

  1. O STF já se debruçou sobre prisões especiais, deixando apenas em alguns casos tal possibilidade (segurança pública) as demais foram consideradas inconstitucionais. Também deveria ter sido avaliada as prisões especiais no CPPM, hierarquia? Tudo bem pode ser respeitada, CB e SD, SO/ST e 1SG, 2 e 3SG, Praças Especiais, Of INT., Of Sub, Of Sup e Of Gen. Respeitando a hierarquia e em celas, não salas, especiais. Não tem porquê colocar em sala especial, camarote ou alojamento com a justificativa de manter a hierarquia, pois as praças acabam ficando em celas com grades.

  2. Como existe gente que gosta de lacrar a qualquer custo nas diversas redes sociais, inclusive condenando opiniões alheias sem ao menos se dar ao trabalho de lê-las. Absurdo isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo