Exército inicia a criação de sua primeira companhia anticarro mecanizada

O MSS 1.2 AC está em fase final de homologação (Foto: EB)

Objetivo da nova unidade é criar condições para a incorporação de novos sistemas de misseis anticarro

Paulo Roberto Bastos Jr.*
O Estado-Maior do Exército, por meio da portaria 1.294-EME/C Ex, de 03 de abril de 2024, aprovou a diretriz de iniciação do projeto de criação da 1º Companhia Anticarro Mecanizada (1ª Cia AC Mec), com sede na cidade de Pirassununga (SP) e subordinada à 11ª Brigada de Infantaria Mecanizada (11ª Bda Inf Mec), a “Brigada Anhanguera”.

O objetivo principal desta nova unidade será a de criar condições para a incorporação dos novos sistemas de armas missil anticarro Spike LR2, da empresa Rafael Advanced Defense Systems, adotados pelo Exército (mas ainda não entregues por questões referentes ao conflito israelense), ou os futuros MSS 1.2 AC, da SIATT, que está em fase final do processo de homologação e a adoção, visando aprimorar a capacidade de dissuasão da Força Terrestre.

A organização prevista para a 1ª Cia AC Mec será de uma subunidade de comando (SU Cmdo), um pelotão de comando e apoio (Pel C Ap) e quatro pelotões de misses anticarro (Pel Msl AC), que contarão com quatro lançadores cada, utilizando as viaturas blindadas multitarefa (VBMT) 4X4 Guaicurus e/ou viaturas de transporte não especializado (VTNE) 4X4 ¾ ton Agrale AM21.

Em um primeiro momento, será empregada a doutrina atual de emprego, que tem como base o Manual de Campanha — Subunidade Anticarro (EB70-MC-10.334), porém, tendo em vista o caráter experimental do manual, poderá propor alterações na organização e dotação de material.

O Centro de Instrução de Blindados (CIBld) ficará encarregado de promover estágios para qualificação das frações dos Pel Msl AC, empregando os simuladores distribuídos pelo Programa Estratégico do Exército Forcas Blindadas (Prg EE F Bld).

* Paulo Roberto Bastos Jr.
Engenheiro de automação e Pesquisador militar, especialista em blindados e forças motomecanizadas da América Latina e Caribe.

Tecnologia & Defesa – Edição: Montedo.com

4 respostas

  1. Mísseis anti-carro já são orgânicos de todos os batalhões operacionais nos exércitos mais modernos. Por aqui, ainda estamos nível ‘ Companhia’.

  2. Me fala pra que mais unidades militar? Cheio de quartel velho caindo aos pedaços, fecha a metade e aumenta o salário da tropa se vier uma guerra chama os veteranos.

  3. Eita isto aí sociedade militar pensam q tem rei e rainha dentro da barriga q culpa outros q não tem nada haver q direito tem na vida minha e dos meus p mim lavei minhas mãos igual quando fizeram comigo sociedade ipocritas infelizmente moro neste país e sou Brasileira crueldades q faz conosco troco do q p embolsar manda t mulheres trabalhar iguais outras tem fórum previlegiados não pg nada p ferrar vida outros sente satisfeito em fazer fiq sabendo q outros não v t dó não.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo