O silêncio do Clube Militar

SILÊNCIO

Apesar de terem críticas à Operação Tempus Veritatis da Polícia Federal, os militares da reserva preferiram não se manifestar, ao contrário do que ocorreu nos últimos anos

Em meio às investigações da Polícia Federal sobre a participação de integrantes das Forças Armadas em planos para um golpe de Estado, o Clube Militar, instituição que atua como porta-voz dos oficiais da ativa, preferiu permanecer em silêncio.

Segundo a Folha de S.Paulo, apesar de terem críticas à Operação Tempus Veritatis da Polícia Federal, autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), os militares decidiram não se manifestar sobre a investigação.

“Antes de falar ou tomar posição é preciso saber mais sobre o que aconteceu”, afirmou o general Paulo Chagas.

Na sexta-feira, 9, um dia após a operação da PF, uma nota falsa circulou nas redes sociais dizendo que os militares não poderiam mais “tolerar a atuação ilegal e corrupta do Poder Judiciário”. O texto também afirmava que oficiais-generais que se “tornaram lacaios do crime devem compreender que não serão mais tolerados”.

Irritados, os diretores dos clubes das Forças Armadas reagiram em nota oficial.

“Os presidentes do Clube Naval, do Clube Militar e do Clube da Aeronáutica reiteram se tratar de uma FAKE NEWS”, escreveram.

Outros tempos
O Clube Militar já foi bem menos cuidadoso. Em comunicado divulgado em abril de 2022, seus membros endossaram o indulto de Bolsonaro ao então deputado federal Daniel Silveira, condenado a 8 anos e 9 meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A mensagem, assinada pelo general da reserva Eduardo Barbosa, condenava a decisão do Supremo e afirmava que as togas dos integrantes da Corte não serviriam “nem como pano de chão”.

No ano anterior, o Clube Militar também tinha divulgado mensagem para apoiar manifestação em favor de Bolsonaro no 7 de Setembro, conclamando” sócios e amigos a prestigiaram esse movimento” e declarando “mais uma vez, seu apoio tradicional às grandes causas nacionais e democráticas!”.

O Antagonista

7 respostas

  1. Está aí: todos os argumentos do golpe de2023 são repetições do golpe de 1964: o apoio da sociedade que nunca existiu, apenas uma minoria de gado barulhento; apoio internacional que não existiu, apenas não quis perder o aliado; um monte de fakenews. Mas o oficialóide repete isso no auditório do quartel todo 31 de março, o verdadeiro dia da mentira.

  2. Quem tem medo a outra x falei nenhum um pio para reclamar e defender os praças da lei 13.954. Mas só pensaram no próprio bolso, umbigo. Mas aqui se faz aqui se paga. Nada melhor que um dia após o outro. O tempo é o senhor absoluto da razão. Isso é só um recado para um recalcado,mal amado, invejoso, e com uma paixão platônica pelos QEs. Pois qualquer coisa é o QE. Quem cuida da vida dos outros esquece a sua.

  3. Membros do Clube Militar sempre conspiraram. E não é de hoje. Existem diversas dissertações de Mestrado e Teses de Doutorado que abordam o tema. São conspiradores fanáticos, extremistas. Se acham os ‘ salvadores da pátria’; ainda estão na década de 1950 esperando um ataque dos comunistas da Coréia do Norte, Albânia e URSS.

  4. Se forem detectadas reuniões visando discutir o golpe, o STF deve fechar o CM , simples assim.

    Nada de positivo Para o país sai do CM a não ser Meios de manter e aumentar suas mordomias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo