Exército monta operação para buscar nos EUA coronel com mandado de prisão em aberto

Bernardo Romão Corrêa Netto, coronel do exército — Foto: Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de Porto Alegre/Facebook

Corrêa Netto deverá ser recebido no aeroporto de Brasília por agentes da PF; depois, ficará preso em área militar

Jussara Soares Mayara da Paz da CNN

Brasília – O Exército Brasileiro montou uma operação para trazer de volta ao Brasil o coronel Bernardo Romão Corrêa Netto, um dos militares alvos da Operação Tempus Veritatis, deflagrada nesta quinta-feira (8) pela Polícia Federal.

O militar está nos Estados Unidos, onde está desde 30 de dezembro de 2022 para fazer um curso de medidas administrativas no Colégio Interamericano de Defesa, em Washington.

Além de Corrêa, outros três militares foram presos na operação da PF.

Segundo fontes militares relataram à CNN, logo após ter sido alvo da operação, Corrêa Netto foi desligado do curso.

Agora, o Exército está providenciando uma passagem de volta para que o coronel retorne ao Brasil. Ele fará a viagem escoltado por um oficial da Força.

Quando chegar ao Brasil, o que ainda não tem data confirmada, Corrêa Netto deverá ser recebido no aeroporto de Brasília por agentes da Polícia Federal. Depois, assim como os outros militares alvo da operação, ficará preso em área militar.

Corrêa Netto foi alvo da operação da PF contra aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Todos, incluindo o coronel, deverão entregar seus passaportes, não poderão sair do Brasil nem manter contato com os demais investigados.

Entenda
De acordo com as investigações, Corrêa Netto é suspeito de convocar reuniões com militares “kids pretos” – também chamados de Forças Especiais (FE) – para atuarem em favor das manifestações nas portas dos quartéis e nos atos voltados às invasões no 8 de janeiro 2023, quando as sedes dos Três Poderes, em Brasília, foram depredadas.

“Kids pretos” são militares da ativa ou da reserva do Exército, especialistas em operações especiais., treinados para participar de missões com alto grau de risco e sigilo. O trabalho inclui operações de guerra irregular, como terrorismo, guerrilha, insurreição, movimentos de resistência e insurgência.

O grupo também é preparado para atuar em situações que envolvem sabotagem, operações de inteligência, planejamento de fugas e evasões.

Para a PF, a permanência do coronel nos Estados Unidos, “somada as circunstâncias da designação da missão, que somente foi publicada no fim do governo anterior” demonstram indícios de que o militar agiu para escapar do alcance de investigações e, consequentemente, de responsabilização criminal. Por esses motivos, a corporação pediu a prisão preventiva dele.

Ao todo, 16 militares das Forças Armadas estão na mira da PF por, segundo as investigações, terem participado da elaboração de um golpe de Estado para manter Bolsonaro no poder.

Foram presos na operação desta quinta os militares Rafael Martins de Oliveira, major do Exército, e o coronel da reserva Marcelo Câmara, que era assessor direto de Jair Bolsonaro.

CNN Brasil

13 respostas

    1. Nada contra o Cel! Que por sinal tenho grande admiração! Mas agora golpe “mentes e coraçoes” nao funciona! Este papinho so funciona na AMAN e no curso de Comandos! Nem na tropa funciona!rss nao vou nem falar sobre seguranca cibernetica, entretanto acho obrigacao um FE saber muito nos dias de hoje, mas instrucoes basicas de comunicaoes como uma simples criptografia, transmissao de mensagens foram ignoradas… esses FE so querem saltar na Barra, mergulhar em Niterói Angra, utilizar tunel do vento, malhar e pagar embuste…

      1. A única diferença entre FE, Comandos e as demais tropas é que seus integrantes possuem os melhores equipamentos. Vi recruta de selva ter capacidade de apneia subaquática superior a qualquer FE ou Comandos. distribuam 180 mil paraquedas e todo o Exército salta.

    2. Bem a história desmente essa sua tese. Existem golpes, inclusive sem tiros. Vá estudar história, matéria esta que deve ter faltado.

  1. Somente ao final gozará de uma prisão aquartelado, todavia, antes, deverá seguir a exame de corpo de delito, audiência de custódia e só e somente após, claro se não for tomado seu depoimento pela PF antes, seguirá para seu descanso merecido num camarote, para mim deveria ser numa cela e não quarto cela.

  2. O Coronel vai gastar todo aquele Dinheiro que ganhou para fazer curso no Exterior com Advogados. Vai ficar um bom tempo em cana, e no final vai ser excluido das FA. Estragou a sua vida, sua carreira e da sua Família. E detalhe iria sair general, assim como o cidinho, trocou a carreira para seguir os Delírios de um ex-Capitão indisciplinado, mau militar, que quando na ativa, planejou um atentado terrorista. Para refletir e pensar.

  3. isso é muito perigo para a Família Militar e pode explodir foco ação dentro da força armada. alguém lembrada do baixo salários do militares no governo sarney. (O capitão do Exército Luiz Fernando Walther de Almeida, então comandante da 1ª Companhia de Fuzileiros do 30º Batalhão de Infantaria Motorizado, reuniu 50 homens com “armamento leve, fardo de combate e capacete de aço”, cercou a prefeitura de Apucarana e entrou, armado com uma metralhadora, no gabinete do prefeito, onde entregou um “manifesto” contra “as autoridades políticas do país”. A tropa tomou o prédio por cerca de dez minutos. Cópias do “manifesto” foram distribuídas pelos soldados a emissoras de rádio e TV da região. (Agência Pública).

    1. O caso do Capitão Walter foi Tão suigeneris, Que ele foi punido, mas a carreira dele Não foi interrompida. Ele fez a ECEME. Por via das duvidas, Não deram a ele o comando de um Batalhão de infantaria. Se como Capitão e com 50 homens tomou uma prefeitura, imaginem o Que Não faria com um Batalhão. A ultima vez que o vi estava como Comandante do corpo De alunos do IME, ha muito tempo atras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo