Comandante fala sobre o Exército no cenário atual na FIESP

Comandante do Exército na FIESP

General Tomás tratou da missão constitucional do Exército, abordou os conflitos mundiais e expôs as últimas operações militares

São Paulo – No dia 6 de fevereiro, o Comandante do Exército ministrou a palestra “O Exército Brasileiro no cenário atual”, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Na ocasião, o General Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva tratou da missão constitucional do Exército, abordou os conflitos mundiais e expôs as últimas operações militares. A audiência foi composta por profissionais e representantes da indústria de Defesa, além de autoridades militares e de segurança pública.

O General Tomás apresentou, também, os programas estratégicos do Exército: Forças Blindadas, Astros, Aviação, Defesa antiaérea, Obtenção de Capacidade Operacional Plena e Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron). Reforçando a necessidade de investimento nas Forças Armadas, o Comandante concluiu: “Não se prepara uma Força Armada da noite para o dia”.

Ao tratar das ações humanitárias na Terra Indígena Yanomami, o Comandante ressaltou o trabalho do Exército. “Nossa meta é entregar 15 mil cestas básicas até o começo de abril. São 366 comunidades indígenas e só se chega lá em helicóptero pequeno (o Pantera), pois uma aeronave grande pode danificar as habitações”, esclareceu. “A gente tem que participar com o coração e com a alma. São brasileiros que estão lá”, acrescentou.

Na mesma ocasião, o Comandante foi homenageado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo com a comenda Ordem do Mérito Industrial, concedida a personalidades e instituições que atuam na promoção do desenvolvimento da indústria paulista.

O General Tomás se disse honrado com a comenda. “Uma semana atrás, eu estava na Terra Indígena Yanomami. É um problema real, um problema que se resolve conversando com as instituições”, afirmou o Comandante, enfatizando o bom relacionamento entre o Exército Brasileiro e demais instituições federais, estaduais e municipais. “Esta é uma comenda que vai para os 212 mil integrantes da Força”, completou.

A entrega da honraria ocorreu durante a reunião plenária do Departamento de Defesa e Segurança (DESEG) e do Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa (Simde). Estiveram presentes o presidente da FIESP, Josué Gomes da Silva, o Comandante Militar do Sudeste, General de Exército Guido Amin Naves, o Comandante-Geral de Apoio, Tenente-Brigadeiro do Ar Ricardo Augusto Fonseca Neubert, entre outras autoridades civis e militares.

defesanet – Edição: Montedo.com

12 respostas

  1. A única Federação de Indústrias do mundo que é contra a industrialização do próprio país. Por eles, o brasil será um eterno exportador de produtos primários, de sua própria terra, sem agregar valor nenhum.

    1. Não diga essas bobagens. A desindustrialização do Brasil foi promovida para atender interesses internacionais. Me diga quem começou a destruir as estradas de ferro do Brasil e em beneficio de qual empresa alemã? Tem mais e eu não vou citar para não me alongar e essas ações vem desde os tempos da cana de açúcar para beneficiar os ingleses.

  2. Fantástico! Desde os tempos do Capitão Rondon em 1892 com as linhas telegráficas, a Comissão Rondon em 1907, a problemática indígena está resolvida.

  3. “Homens da Guerra”!

    O comandante do batalhão de Operações Psicológicas desmaiou, isso mesmo, desmaiou, agora pela manhã ao receber a PF e saber que passaria por busca e apreensão.

    Repito: o comandante das “operações psicológicas” do Exército DESMAIOU ao receber a PF.

  4. Oficial da “Acadimia” delatar superiores?

    Nunca!

    Um dos princípios do código de honra dos cadetes da “Acadimia” é a “LEALDADE”.

    Só que não!

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    O ParMito fez uma enorme contribuição ao país. Fez o civil conhecer a verdade sobre esses senhores.

    E ainda teve coronel “guerra na selva” que desmaiou hoje ao receber a PF.

  5. Lamento muito mais foi na FIESP, não foi a FIESP. A Promoção FOI DO Departamento de Defesa e Segurança (DESEG/FIESP) e do Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa (Simde). Tudo haver, eles devpires nas mãos e o melancia aliado do Lula, uma homenagem faz bem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo