Blindados do Exército chegam a Roraima em meio à nova etapa da crise na fronteira

Vista aérea dos blindados na primeira brigada de Infantaria de Selva (Foto: Exército Brasileiro)

Enviados pelo Ministério da Defesa, os veículos percorreram mais de seis mil quilômetros pelo País. Viaturas reforçam segurança na fronteira

Lucas Luckezie
Boa Vista – Dezesseis viaturas blindadas chegaram ao complexo da primeira Brigada de Infantaria de Selva (BIS), em Boa Vista, em meio à nova etapa da crise entre Venezuela e Guiana em torno da disputa pelo território de Essequibo. A informação foi confirmada pelo Exército Brasileiro em Roraima. Enviados pelo Ministério da Defesa, os veículos chegaram na terça-feira (2) após percorrerem mais de seis mil quilômetros pelo País. A viagem iniciada no dia 6 de dezembro, em Cascavel (PR), tinha previsão para durar 20 dias.

Blindados do Exército Brasileiro em Roraima (Foto: Exército Brasileiro)

As viaturas blindadas multitarefas leve sobre rodas Guaicuru prometem manter a segurança na fronteira. Com a chegada dos blindados, o Estado passa a ter 28 veículos desse modelo. Batizado em homenagem a indígenas da região Centro-Oeste, o Guaicuru foi projetado para situações que incluem o emprego em operações de reconhecimento, missões de segurança e ações contra forças irregulares.

Segundo o Escritório de Projetos do Exército, o Guaicuru “possui elevado nível de blindagem”, motor a diesel, transmissão automática de seis marchas e sistema de comando e controle. Possui, ainda, estação de armas com reparo automatizado, que pode ser operado do interior do veículo, ou reparo manual. O compartimento da tripulação possui capacidade para até cinco passageiros, conta com proteção balística nível 2 e proteção antiminas.

Os veículos serão integrados ao 18º Regimento de Cavalaria, antigo 12º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado reformulado em dezembro. A transformação do esquadrão estava prevista para ser concluída em 2025, mas a situação na fronteira fez o Exército antecipar a mudança em um ano. Sendo assim, o número de militares, apenas no regimento de Boa Vista, aumentará para 600.

A transformação do regimento é realizada em fases, que incluem transferência de pessoal, distribuição de equipamentos militares e construção de instalações. A ação faz parte do plano do Exército para fortalecer a prontidão operacional e logística da brigada.

Blindados do Exército Brasileiro em Roraima (Foto: Exército Brasileiro)

Nova crise
Em meio ao litígio sobre Essequibo, Venezuela e Guiana se comprometeram a não usar a força na disputa pelo território sob domínio guianense. No entanto, a situação voltou a ficar instável após o Reino Unido enviar um navio para a Guiana, o que para o ditador venezuelano Nicolás Maduro, soou como uma provocação. Em resposta, Maduro mobilizou 5,6 mil militares.

A Venezuela chegou a pedir que o país vizinho evitasse de se “envolver potências militares na controvérsia territorial”. O exército de Maduro, caso decida invadir a Guiana por terra, precisaria passar pelo território brasileiro, cortando Pacaraima, Normandia e Bonfim em percurso que totalizaria mais de 350 quilômetros.
FOLHA BV

10 respostas

  1. A Intendência é o serviço de maior prioridade diante da necessidade logística de suprir uma posição defensiva ou de ataque.
    Napoleão Bonaparte sempre soube que só lograria êxito em suas batalhas se pudesse confiar na sua cadeia de suprimentos com eficiência e precisão.
    O Brasil por ser um país de dimensão continental, vai sofrer em suprir algumas posições, sendo importante montar uma estratégia na cadeia de abastecimento em contínuo movimento para os diversos pontos logísticos distribuidos ao longo do caminho na direção do conflito, e no caso da expectativa de estratégias de longa duração, vai ser mais fácil suprir o front de combate, sem ficar desabastecido e sem operacionalidade, sem Perder todo espaço conquistado e defendido.

    1. Sempre trabalhando para a paz mas preparado para a guerra, todo modal logístico em ferrovias, rodovias, navegação marítima e fluvial, postos de controle e abastecimentos, aeroportos, etc deveriam sempre ser pensados e projetados em todo o continente incluindo proteção nuclear em subsolo como foi pensado na década de 70 com a construção de vários níveis de metro nas capitais.

  2. Não há o que se preocupar. se Napoleão tivesse o “gênio da logística” como nós temos, Moscou seria francesa e Napoleão ainda estaria vivo…

  3. Mandar este monte de equipamento com alto valor Tecnológico agregado! Mal vao conseguir formar mororista meia boca! Os falcon iII jamais serao ligados! Vão usar conceitos antigos da cavalaria! Da um jeito de rebater o parabrisa, a queimar toda a eletronica Do painel! Tiro de remax vai ter q ser a comando” …“Não sou o mensageiro da ma noticia nao”! Mas e o que acontece! O 28 BLog esta ha anos lidando com guarani e estao apanhando ate hoje! Imagina este BLog de Boa Vista! Pelo amor de deus!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo