Colégio Militar de Porto Alegre sob ataque: professores de esquerda denunciam “assédio ao pensamento progressista”

Atividades presenciais estão suspensas desde março na instituição, administrada pelo Exército brasileiro
Diego Vara / Agencia RBS

A Associação de Professores  do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA) formalizou denúncia junto ao MPF gaúcho, alegando “cerceamento da liberdade de ensinar e aprender”.

Ricardo Montedo

Sob anonimato, um professor afirma: “Estamos vivendo uma forte perseguição à liberdade de cátedra e todo tipo de assédio aos que pensam de maneira mais progressista”.

Segundo um oficial da reserva ouvido pelo blog, os articuladores são professores militantes de esquerda, que fazem coro à orquestração nacional que visa acabar com o Colégios Militares e as escolas Cívico Militares. A ação foi encampada pelo Sindicato dos Professore Privados do RS (SINPRO-RS), entidade há anos dominada pela esquerda.

A denúncia dos professores recebeu forte rejeição da comunidade escolar, principalmente de pais e ex-alunos do CMPA. Divulgada no site Extraclasse, do Sinpro/RS, a denúncia recebeu diversos comentários contrários.

Confira alguns depoimentos:

“Meu Deus, quanto absurdo, mentira!
Minha filha estuda no colégio Militar e conheço muitas crianças e pais de lá. Posso afirmar que esse conteúdo dessa matéria é uma mentira!
As crianças que conheço incluindo minha filha são apaixonados pelo colégio Militar.
É uma escola maravilhosa, onde os alunos são tratados muito bem, com muito carinho por todos, e além disso a educação que recebem ali é maravilhosa!
Uma pena quem Vaz esse tipo de matéria, pois estão tentando acabar com uma escola tão boa.
Agora né digam, qual escola que não tem câmeras? Inclusive, as escolas que ainda não tem, deveriam ter. Estamos falando sobre a segurança das crianças!
Quanto absurdo!”

“Esta matéria está extremamente tendenciosa. Qual escola não possui monitor, não remaneja professores, não tem circuito de câmeras de monitoramento? Não compactuo com as afirmações equivocadas expostas. O sistema de ensino forma indivíduos capacitados a pensar, explorar seus potenciais mentais e físicos. Professores partidários, que tentam IMPOR ideologias equivocadas, de forma punitiva e perseguidora, devem sim ser controlados. Não compactuo de forma alguma com a explanação feita nesta matéria. Eu como mãe fico indignada com tal absurdo relatado. A escola educa, ensina e forma indivíduos. E percebe-se pelos concursos acirrados que é o sonho de muitos pais e alunos de adentrarem neste sistema. A escola deve contribuir na formação política, mas de maneira alguma partidária, como alguns professores fazem em sala de aula. Espero sim que o corpo diretor não permita tais atitudes.”

“Traduzindo, professores querem impor suas mais absurdas ideologias dentro CMPA e são impedidos pelo excelente comando do Colégio, então o que lhes resta é difamar a instituição. Recebem polpudos salários em um Colégio que prima pela segurança, disciplina, ou seja, têm toda tranquilidade que jamais teriam nas escolas públicas e o que lhes incomoda é não poderem inserir na mente de nossos filhos as nefastas ideologias progressistas! Vergonha desses professores!!!
Que o comando do Colégio se mantenha firme diante dessas difamações, jamais conseguirão manchar a imagem desse lugar que forma excelentes profissionais e sobretudo, excelentes cidadãos!
Meu filho, que se formou esse ano no CMPA, passou em 6° colocado na UFRGS, agradece aos bons professores, àqueles que realmente trabalham em prol de um Brasil melhor, não a esses mentirosos que querem impor suas vontades de forma baixa e vulgar!!!
CMPA! CMPA!”

“Tudo mentira e tem 2 soluções simples:
1 – o professor(a) que não se sentir bem, peça as contas;
2 – que se mude o corpo de professores e passe a ter apenas professores que sejam militares.
Muito mimimi, geração que só quer ter direitos e não ter deveres; verifiquem a quantidade de casos de violência, uso de drogas e outras “infrações” nas escolas civis e depois comparem com a disciplina dos Colégios Militares.
Os incomodados que se retirem.”

A reação dos pais e ex-alunos

Pais e antigos alunos fizeram um abaixo-assinado público, que já alcançou três mil assinaturas em menos de vinte e quatro horas.

Diz o texto no Change.org:

A Associação de professores formalizou no dia 21 de dezembro do corrente ano uma denúncia contra o comando do Colégio Militar de Porto Alegre por “descumprir a Constituição Federal ao cercear a liberdade de ensinar e aprender”.

Fonte: https://www.extraclasse.org.br/educacao/2023/12/censura-cerceamento-e-punicoes-rondam-as-salas-de-aulas-do-colegio-militar-de-porto-alegre/

Nós como pais, somos extremamente gratos ao Comando do Colégio e ao sistema de ensino militar. Haja visto que a didática e a disciplina é de excelência, isso é comprovado pelos inúmeros alunos que ao findar seu ensino médio são aprovados em Faculdades e concursos públicos disputadíssimos.

Corroborando com o assunto, foi feito este abaixo assinado para demonstrar que nós pais somos a favor da didática ministrada pelo sistema Colégio Militar, seja no campo pedagógico, assim como no disciplinar.

Ainda nesse contexto, nossos filhos são realizados pelo sentimento de pertencimento ao “Casarão da Várzea” que sim, não é uma escola “convencional”, lá se aprende também sobre cidadania, espírito de corpo e principalmente ao culto de honestidade, afeto e respeito.

Assim, se for possível, é importante a manifestação e o posicionamento públicos de cada um de nós sobre o sistema de ensino dos Colégios Militares do EB, para ficar claro que é uma minoria que pensa diferente.

Clique no link e assine!

Sou a favor do sistema de educação do CMPA

 

24 respostas

  1. Isso é o resultado de um Cmt do EB não saber se impor dentro das responsabilidades que a sua função exige. Quando se curvou aos mandos e desmandos dos comunistas assinou ali sua derrocada.

    1. Esse “pensamento progressista” pode ser traduzido em:

      1. Anulação do indivíduo como ser autônomo, passando a seguir apenas o que se ditam as “coletividades”;

      2. Destruição das relações familiares, resultando em crianças de 9 anos, por exemplo, determinando o que vai fazer, alheias às orientações dos pais, pessoas já vividas e com experiência para mostrar-lhes o certo e o errado;

      3. Relativização da ética e de valores morais, criando uma sociedade doentia que defende criminoso e condena a vítima; recompensa e releva político bandido e vira o rosto ao que é correto, honesto;

      4. Ditar regras e “verdades” para 95% da população brasileira para beneficiar apenas 5% de indivíduos, muitos deles com desvio de caráter.

      E assim por diante.

      Esse é o “pensamento progressista”.

      Usam um nome bonito – progressista – como se fosse sinônimo de coisa boa, de evolução.

      É a novilíngua de Orwell: os “progressistas” quando falam em democracia, significa tirania, totalitarismo.

      O “progressismo” no Brasil condena quem pensa diferente, quem se recusa a seguir a cartilha ideológica ditada por uma minoria que insiste em destruir o mundo que os acolheu em nome de um mundo utópico.

      Querem fazer nos Colégios Militares o que já fizeram nas escolas públicas. Vide os resultados das escolas públicas em termos de conhecimento e habilidades cognitivas de seus egressos.

      Feliz Natal!

      1. É o sequestro, difamação, degeneração do significado e origem das palavras, da história, da politica, do individuo, das leis e da sociedade.

      2. Petistas mentem. Profissionais das Ciências sociais sao quase todos comunistas. Rússia oferece doutorado gratis para esses profissionais no estado terrorista. Será por que?

    2. Comunismo? Defina COMUNISMO, mas sem achismo, cientificamente.
      Pelo jeito você não estudou História. Lula é comunista? Alkmin é comunista.
      Colega, discuta a questão apresentando argumentos com o mínimo de embasamento.

  2. Parei de ler em “professores de esquerda…” Eu quero para meus filhos apenas professor, e não professor de esquerda ou direita. Repito, quero apenas professor que ensine as disciplinas, e não que faça militância e lavagem cerebral nos alunos.

    1. Eis a questão. O estudo da História muita vezes não agrada. O historiador(a), como cientista, elabora seus trabalhos científicos em cima de hipóteses e evidências. Dentro da caserna prevalece, desde o golpe de 15 de Novembro de 1889, a corrente Positivista, cujas metodologias contaminaram o ensino militar, impondo apenas uma única verdade Histórica, Sociológica e Filosófica. Para grande parte dos militares das três forças, professor de história é ‘ esquerdista’, ‘baderneiro’ etc etc., um grave erro potencializado pelo fanatismo religioso e radicalismo político. João Goulart era comunista? O 15 de Novembro de 1889 ( feriado nacional rs) não foi golpe? Bolsonaro é democrata? O Exército de Caxias é ‘ invicto’? Não tem falhas humanas e estruturais? Um bom livro de cabeceira fará sempre bem aos que se acham superiores só porque decoram manuais militares ou datas.

      1. Hipótese não é ciência. Ciência é o achado comprovado. Plantar feijão e colher feijão é ciência. Plantar feijão e esperar colher arroz é hipótese. Bem simples assim para vc que é um tergiversador.

        1. Você nunca realizou uma pesquisa científica? O primeiro passo para a realização de qualquer pesquisa é a formulação de uma hipótese. Num segundo momento, a hipótese deverá ser comprovada com evidências. Acho que você faltou as aulas de Metodologia Científica. Estudar é sempre bom.

        2. Repetindo; todo trabalho científico tem como ponto de partida uma hipótese, que deve ser devidamente comprovada com sólidas evidências. Caso contrário teremos apenas achismos. Você andou faltando às aulas de Metodologia Científica. Estudar é sempre bom.

  3. Se alguém, por infelicidade, perde a perna direita em um acidente de moto no interior do Maranhão, Sergipe, Santa Catarina…a culpa recai sobre o Cmt do Exército…tudo é culpa do Comandante. Chega!!!

    1. Esse comandante é um fraco e catequizado ideologicamente.

      Qualquer zé mané já percebeu isso, o que dirá de esquerdistas que estudam a fundo o meio militar.

  4. O “Bartola” lá que lançou o abaixo assinado viu que outro bombou mais que o seu e pediu “arrego”. Vai embora tchê, pede para ir para o Instituto Federal e vende teu peixe lá a um bando de miolo mole, povo fácil de doutrinação ideológica do Papa Tango…

    1. Engano seu, nunca fui petista. Me considero de centro-direita. Se você cursar algum colégio militar ou escola religiosa, vai perceber que o estudo das diversas ciências humanas é direcionado, moldado a uma só verdade. Isso também acontece na Aman. Para os militares, que pouco conhecem a história do Brasil – e são muitos, infelizmente), a Proclamação da República em 1889 mudou o Brasil da água para o vinho. Pura falácia. O golpe civico -militar de 1964 libertou o Brasil do ‘ comunismo’, outra falácia. É por isso que insisto; estudar é sempre bom. No seu caso, retorne aos bancos escolares e pesquise o que significa a palavra comunismo. Estudar é sempre bom.

  5. Os Colégios Militares são Instituições Educacionais Sui Generis, isso quer dizer que ensina o que quiser, até muda a história se for conveniente para a carreira militar.

    AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 5.082 DISTRITO FEDERAL

    2. Os Colégios Militares, integrantes do Sistema de Ensino do
    Exército e instituição secular da vida social brasileira, possuem
    peculiaridades aptas a diferenciá-los dos estabelecimentos oficiais de
    ensino e qualificá-los como instituições educacionais sui generis, por
    razões éticas, fiscais, legais e institucionais.

    3. A quota mensal escolar nos Colégios Militares não representa
    ofensa à regra constitucional de gratuidade do ensino público, uma vez
    que não há ofensa concreta ou potencial ao núcleo de intangibilidade do
    direito fundamental à educação. Precedente.

    4. A contribuição dos alunos para o custeio das atividades do
    Sistema Colégio Militar do Brasil não possui natureza tributária, tendo
    em conta a facultatividade do ingresso ao Sistema de Ensino do Exército,
    segundo critérios meritocráticos, assim como a natureza contratual do
    vínculo jurídico formado.

    5. Ação direta de inconstitucionalidade a que se nega procedência

  6. Pelos comentários acima percebe-se que a maioria não é militar e, portanto, não tem filho no CM.

    Situação compreensível, pois muitos desses gostariam de ter seus filhos no CM por ser uma escola de excelência, por isso o recalque!

    Já para aqueles que são militares e tem filhos no CM e, ainda assim, estão reclamando, a situação é fácil de resolver, só retirar o filho do CM e dar a vaga para outro.

    Para os professores esquerdistas, a situação também é simples, pede pra ir embora e procure outra escola pra lecionar.

    O restante é tudo mi mi mi…

    Pronto falei…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo