Parceria inusitada une PSol a praças de patentes mais baixas que apoiaram Bolsonaro

Audiência púb

Cabos, sargentos e soldados se aproximam dos socialistas em busca de melhorias do sistema de proteção social das patentes mais baixas, principalmente a previdência. Reforma de Bolsonaro privilegiou generais e coronéis

Evandro Éboli
Em uma inusitada parceria, antigos aliados de Jair Bolsonaro se juntaram e foram buscar acolhimento num dos extremos da esquerda da política nacional, o PSol. Militares de baixa patente das três forças, como cabos, sargentos e soldados, e familiares se aproximaram de parlamentares do partido tido como o “mais radical” do Congresso ainda no governo do “capitão”, que se encerrou ano passado.

A proximidade e a interlocução entre esses segmentos das Forças Armadas com o PSol se fortaleceu a partir deste ano. Deputados do partido, casos de Glauber Braga (RJ) e Fernanda Melchionna (RS), têm recepcionado grupos desses ex-bolsonaristas em reuniões nos plenários da Câmara.

“A esquerda tem que lutar pela garantia de direitos de praças e com isso disputá-los também para uma orientação anti-imperialista, exatamente o contrário do que fez o governo passado.” Deputado Glauber Braga (PSOL-RJ)

A pauta que os uniu diz respeito à melhorias do sistema de proteção social dos militares, principalmente a previdência. A reforma das aposentadorias do governo Bolsonaro privilegiou os militares de alta patente, como generais e coronéis.

Ao Correio, o deputado Braga afirmou que a esquerda tem que atuar em favor dos direitos dos praças, ignorados por Bolsonaro, na lei aprovada pelo governo. “Com essa lei, Bolsonaro só olhou para os oficiais e deixou para trás mais de 80% das Forças Armadas. A esquerda tem que lutar pela garantia de direitos de praças e com isso disputá-los também para uma orientação anti-imperialista, exatamente o contrário do que fez o governo passado”, afirmou o deputado do PSol.

Muito acessada por militares da reserva, a revista Sociedade Militar chegou a publicar um texto com a informação de que “deputado do PSol toma de Bolsonaro posição de defensor de praças do Exército, Marinha e Aeronáutica”. Essa matéria afirmava que no Rio, “berço eleitoral” do ex-presidente, o parlamentar “ganha confiança de militares e protagoniza busca de direitos para a categorias na base da estrutura militar”.

Esses deputados do PSol organizaram uma audiência pública, há dois meses, com o plenário lotado de antigos bolsonaristas. Com muito custo, os parlamentares da esquerda conseguiram aprovar a realização da audiência na Comissão de Relações Exteriores, um espaço ocupado para discutir temas do oficialato, do orçamento das forças e verba para equipar Marinha, Exército e Aeronáutica.

“Na prática, esses militares perderam salário, seus familiares também perderam e as gratificações foram utilizadas apenas para o alto escalão das Forças Armadas, enquanto os de baixo têm sido penalizados e, inclusive, têm pagado na prática esse novo modelo, oriundo da reforma da previdência dos militares enviada pelo governo Bolsonaro na época, que foi bastante criticada por nós”, disse Fernanda Melchionna, que comandava a reunião e estava na recepção a esse pessoal. “São vidas, gente! São contracheques, são salários, são carreiras, são familiares que estão sofrendo com as consequências dessa lei.”

No plenário da Câmara, dezenas de familiares e militares, alguns mais ou menos engajados com Bolsonaro no passado. Uma das presentes era a pensionista Ivone Luzardo, que preside a Unemfa (União Nacional das Esposas de Militares das Forças Armadas), uma apoiadora do ex-presidente desde o início dos anos 2000. Luzardo participou das primeiras reuniões de Bolsonaro com as mulheres de praças e cabos, já que muitos deles, na ativa, não podiam se expor. Nessa época, esses encontros do ex-presidente, muitas vezes em praças das cidades do Distrito Federal, não reuniam sequer 10 pessoas.

Luzardo esteve em quase todos os protestos contra a reforma previdenciária de Bolsonaro. “Quero ver ele se eleger só com voto de general”, repetia Luzardo nessas reuniões. Representantes de outras entidades participaram dos debates, como George Brito, presidente do Sindicato dos Militares. Ele representa militares reformados. No encontro, ele exibiu o contracheque de um reformado cuja pensão militar era de R$ 430.

“Quero ver ele se eleger só com voto de general”
Ivone Luzardo sobre Bolsonaro

“Prestem atenção, meus irmãos de armas, não vamos conseguir reverter isso aqui, nem por decreto e nem por lei. Essas pessoas serão mendigas. Essas pessoas estão na sarjeta, passando necessidades. São suas irmãs e seus irmãos, eles têm fome como o senhor tem, como os senhores oficiais têm”, disse Brito, se dirigindo ao tenente [- coronel] Heraldo Rodrigues, representante do Ministério da Defesa na audiência. O oficial é secretário de Pessoal, Saúde, Desporto e Projetos Sociais da pasta.

No encontro, Rodrigues afirmou que uma das “premissas” da reforma previdenciária ocorrida no governo Bolsonaro foi premiar a meritocracia nas Forças, valorizar os de maior mérito, reconhecer a experiência profissional e a disponibilidade permanente da pessoa para a atividade militar e sua dedicação exclusiva à atividade militar, pelo adicional de permanência.

“Não há meritocracia para nós. A meritocracia é só para eles.”
Sargento QE Vanderley Carlos Gonçalves

O sargento Vanderley Carlos Gonçalves, representante dos militares das Forças Armadas de São Paulo, reagiu à fala do enviado do governo ao debate. “Sou sargento do Quadro Especial do Exército. Servi durante 30 anos na Força. E o que vejo na retórica do Comando das Forças Armadas é que nós somos os patinhos feios. Nós militares dos quadros especiais, ótimos militares, não temos mérito. Não há meritocracia para nós. A meritocracia é só para eles. Estamos cansados de mentiras. Vemos pessoas com certas funções dentro de instituições que, simplesmente, com retóricas mentirosas, chegam e atingem a imagem de mais de 30 mil militares que têm família”, disse Gonçalves.

CORREIO BRAZILIENSE

51 respostas

  1. Nunca fizeram nada pelos Praças…ISSO É UM FATO!
    Lula é os governos do PT sempre desprezaram a Caserna…Por quê somente agora querem nos ajudar???
    Tudo uma farsa….

    1. Jovem, quantos anos você tem?

      Os maiores aumentos foi com Lula e Dilma. fHC sucateou tudo das FA para deixar o dollar baixo

      Lembro de um recrutinha que ficou muito feliz ao ver o seu primeiro salário (junto com Os vales): 480,00. Essa história me comove até hoje.

    2. O mito fez alguma coisa ?????? Passou 4 anos humilhando praças e você não enxerga isso ??? Continua esperando o Messias voltar ????? O falso Messias encontra-se sepultado no meio político. Nunca mais
      esse personagem irá voltar para enganar os desavisados e esperançosos.

    3. Os maiores aumentos foram dado por Dilma.
      Temos que extinguir a pensão das filhas, a ativa em sua maiotia não tem esse privilégio imoral, mas é a ativa que custeia os inativos e as respectivas filhas.
      Em suma pagamos pelo que não teremos, e nem queremos por ser imoral.

      Sobrando orçamento na parada vai ter espaço pra orçamento

    4. Pelo contrário, durante os governos do PT não só ocorriam os reajustes como tinham a projeção anual e com índice maior para os de menor hierarquia, foi quando os recrutas passaram a receber um salário mínimo. Os grandes projetos de modernização das FA ocorreram sob o PT.

  2. “Carência”, meus amigos, essa é a palavra.
    Na Alemanha de Hitler, o povo alemão humilhado, empobrecido pela guerra, se apegou nas falas do bigodinho, que falava o que se queria ouvir.
    Aconteceu isso aqui também com Bolsonaro. Ele passou a carreira inteira falando o que as camadas mais humildes da caserna queriam ouvir e foi assim que ele elegeu toda a família.
    Entendam, a carência (afetiva) não tem essa de direita ou esquerda, tem apenas o carente querendo alguém (oportunista) para dar colo a ele. O da vez é o PSOL.
    Como toda ação emocionada, falta razão. A reestruturação está concluída, fim. Quem quiser perder tempo e ouvir lorotas, vão fundo, cada um faz o que quiser da vida.
    Devemos nos unir pelo REAJUSTE JÁ, porque reeestruturação da carreira não é reajuste como estão dizendo.

    1. Será? Não Tem como dar reajuste com todas essas discrepâncias, primeiro tem que fazer as “equivalências” pra depois pensar em reajuste. A fase do embuste acabou.

  3. Deputado espertalhão kkk vai pegar o voto de um monte de Sub raiz cachaceiro e QE’s endividados e não Vai resolver nada 😂😂😂 kkkk
    60% dos Praças votaram no ex-presidiário atrás De Aumento e Quando o Ministro da defesa foi Pedir aumento o Governo deu um baita” não ” kkkk 🤣🤣🤣

  4. O MiNTo é uma farsa!!! Que eu eu saiba o último reajuste foi no Governo da Dilma!!! QEs foram a 2° Graças ao Dep Paulo Pimenta do PT!!!A lei dos Taifeiros só foi cumprida gracas ao Lula!!! São verdades que doem mas a Direita não liga para praças ,lembrem-se também da união da direita e parte da esquerda para aprovar a maldita lei da Desestruturacao!! A da Farinha pouca,meu pirão primeiro.nossa união com esses quadros da Esquerda Farão diferença em nossas vidas!! Vamos a luta política!!!

  5. Esse tal sgt QE Vanderley Carlos Gonçalves, representante dos militares das Forças Armadas de São Paulo falando bobagem “Não há meritocracia para nós. A meritocracia é só para eles.” Também sou QE e já recebi minha meritocracia sendo promovido a 3º Sgt e 2º Sgt. Não sou concursado e nem especializado, portanto não mereço mais do que já recebi. Quando se da um dedo querem o braço inteiro. A jurunada deve ficar feliz como 2º Sgt.

      1. sim…uns ridículos que ficam atirando onde não é o problema, eu sou qe….e não assinei em 2000 também não vou deixar esse prejuízo mas ficar atacando nós assim ja e demais vc deveria ter estudado mais

  6. Iludido é quem acha que existe alguma diferença entre esquerda e direita.
    a política é uma só. é a busca pelo poder e a permanência no governo a todo custo!

    Quem se acha prejudicado tem todo direito de buscar seus direitos independente de ideologia!

    o pessoal de “carreira” deveria seguir o exemplo e ser mais unido pra buscar melhorar a sua condição também.

    de fato a reestruturação foi boa pra boa parte da força, mas migalhas são justamente os de carreira que aceitam. só analisar quanto de vantagem os praças tiveram em comparação com os oficiais.

  7. Não me surpreende.

    Na realidade a maioria dos QEs nunca foram de confiança.

    Vi vários dando o golpe no SV, pegando dispensa médica sem motivo, processando Cmt de BTL, dizendo para quem queria ouvir, dentro do Quartel, que o EB era só mais um empreguinho… fora outra coisas.

    Os senhores QEs querem o que? Serem promovidos na reserva? Não vai acontecer.

    O que resta a todos nos é aguardar a boa vontade do Governo para ver se concede os 9%.

  8. O que Bolsonaro tomar posição em favor dos Praças e Pensionistas, kkkkkkk.
    Bolsonaro esta preocupado e com o LEILÃO DAS JÓIAS NO VALOR inicial de US$ 50 mil (R$ 245 mil) e valor estimado entre US$ 120 mil (R$ 588 mil) e US$ 140 mil (R$ 686 mil).
    GENTE VAMOS ORAR, E MAIS FÁCIL DEUS NOS ATENDER, DO QUE O BOLSONARO RECUPERAR AS JÓIAS.

  9. Uma das maiores sacanagens realizadas pelo Bolsonaro foi com a sra Ivone Louzardo. Eu quando servi em Brasília, novamente e como sempre nos Praças com os Salários defasados, foi ela juntamente com um grupo de esposas de militares que foram para a “guerra” em busca De melhorias do soldo, eu sei que o bolsonaro Ajudou a financiar o acampamento entre outras coisas. E quando o bolsonaro chega ao governo da uma facada nas costas de quem tanto o ajudou e fez campanha para ele.

  10. É aquela coisa: cada um sabe onde seu calo dói.
    Nós de carreira estamos “satisfatoriamente” atendidos pela Reestruturação.
    Agora, os Especiais, não.
    Os caras não podem contar com aqueles que institucionalmente poderia alterar esse quadro caótico de tantos anos sem reposição das perdas pela inflação.
    Então, recorrem até pra esses políticos aproveitadores de suas situações críticas.
    Outra grande ilusão é achar que a cúpula militar e bolsonaro está preocupado com essa fatia mínima de votos para 2026.
    Eles estão nem aí pra mim ou pra vocês.
    Já foram atendidos sobremaneira com a Lei do general.
    E, após goleada do STF por 11 a 0:
    – é que eles ensarilharam.

  11. St Desmotivado, Não julgue alguns QE por todos, sempre há excessão St. os QE sempre foram braço direito dos Sub Ten, nos acampamentos, Sou Sgt QE, e participei de misão real nesse 28 anos que passei no EB, coisa que muitos, que estão tão aqui falando merda de QE , nem sabe ok é uma missão real numa Selva, Militar ,é uma classe desunida, a maoria aqui, só serve para malhar seus companheiros de farda,, não veja que todos nós estamos no mesmo barco, e se o Barco afundar, afunda todos, por favor sejam mais inteligêntes em seus comentários, pois Vcs tem auto Estudos, Triste não

  12. Vejo um monte de comentários falando QE e isso, esquerda é aquilo etc. Percebo que tem muitos praças que não tem consciência de classe, pois acham que são a direita ou pertencem a direita. Larguem de serem toscos e mal informados. Praça é mão de obra, mão de obra é proletariado, proletariado está no espectro da esquerda.
    Praça pode até gostar das ideias da direita, mas agora achar que pertence a direita é uma piada.
    Dá um Google, Wikipedia, leia manistefo do Partido Comunista, o Capital, que vocês irão entender que não existe capitalista sem capital, sem money, sem dinheiro. Não digo uns meros caraminguás na poupança, mas sim, capital suficiente para sobreviver sem precisar vender sua força de trabalho ou depender de aposentadoria.
    Entrei no exército com a oitava série, sai de lá formado em direito, feito na universidade pública estadual, aprovado na OAB e com três especialização (Direito militar, Docência do ensino superior e Direito eleitoral).
    Quando se entra na universidade, principalmente no curso de Direito, você é apresentado a um monte de pensadores clássico como: Cesare Beccaria e seu Dos Delitos e das Penas; Michel Foucault e seu Vigiar e Punir, Maquiavel e o seu a O Príncipe, Thomas Hobbes e seu Leviatã, Aristóteles e seu A Política, Nietzsche e seu O Anticristo entre outros pensadores.
    Por isso que é comum alguns detraques afirmarem que as universidades estão cheias de esquerdista. Na verdade a universidade está cheia de pensadores, professores que te provocam a pensar, ler e entender a realidade e, principalmente, ter consciência de classe, pois infelizmente o dinheiro nos dividiu por classe.
    Quartel é um grande exemplo de divisão por castas, pois a divisão começa quando se classifica os militares em cabos e soldados, ST e SGT, oficiais intermediários, oficiais superiores e oficiais generais. Logo não me diga que somos todos iguais, pois a própria legislação já diz que não. Se as praças pensassem perceberiam que os oficiais tem vários benefícios que eles não tem. Onde fica a “igualdade”?
    Então ficar atacando quem está buscando um direito que acha possuir só demonstra a incapacidade cognitiva e intectual de muitos praças. O que é uma pena.

    1. Jovem, você confundiu todos os conceitos.

      Melhor ser um bom advogado, pois usar os conceitos corretos (proletariado, castas, classes) não é sua praia.

  13. Cada um corre atrás no melhor que lhe convém, aliás só o próprio sabe o que passa. Ninguém tem o direito de querer impor sua ótica na vida alheia, pois cada um sabe onde dói seu calo. Quem fala só sabe e fofocar.

  14. Eu só gostaria de entender uma coisa vi a postagem de um Segundo Sargento que é falando que não é concursado eu pergunto para esse senhor com todo respeito quando ele foi matricular no curso de cabo ele não fez um concurso interno?.obs alguns militares qe tem que se valorizar mais.vamos acordar.os militares do quadro especial que não tem cfc realmente não são concursados mas sgt qe falar q não é concrsado aí já é demais.existe uma diferença entre vc entrar no serviço militar obrigatório e matrícula no cfc pelo menos na unidade foi assim.

  15. O ST motivado vai servir cafezinho para quem realmente tem altos estudos, que são oficiais superiores que se destacam. Quem sabe pode até chegar a carregar a maleta de um deles, rsrsrsrs.

  16. É por isso que os militares do quadro especial são sempre Deixados para escanteio esses militares são a base de sustentação das suas respectivas forças Isso é fato outra coisa pelo menos na minha unidade para que a gente conseguisse matricular no CFC teríamos que passar por um concurso interno para quem não sabe o que é concurso basta olhar o dicionário vamos nos valorizar pessoal agora quem ignora a sua própria honra não é sequer digno de falar que é integrante deste quadro tão sofrido e discriminado por todos mas respeito com os integrantes

  17. Geralmente esses militares do quadro especial que acha que está tudo bem E às vezes agride até os outros companheiros que estão lutando em prol da categoria geralmente esses militares são aqueles moitas baba ovos só viveram na sombra dos companheiros por isso que falam isso guerreiro de verdade sempre valoriza a sua classe independente das condições atuais que vivemos

  18. Lula…o presidente das “migalhas”!
    Se realmente se importa com a “sub raça” irá conceder os 9% ainda este ano em igualdade aos Civis!!!
    Seria difícil para os militares bolsonaristas explicarem!!

    1. Como já disse um leitor aqui. Passamos por uma miséria que se iniciou no Governo Collor e piorou no governo FHC, que fechou com A MP do mal. No governo Lula Dilma foi a época que mais tivemos reajustes e investimentos nas Forças. No governo do falso meçias as maldades não foram restritas as Praças das FFAA, além dessa categoria, arrochou o civil com a reforma da previdência e só não acabou com o funcionário público por que não deu Tempo. A ideia dele e do seu “posto Ipiranga” era transformar o serviço público em cargos comissionados, ideia de ditador de quinta categoria.

  19. Cara quanta desunião, falar de QE, os que conseguiram ficar 30 anos foi por mérito, quem conhece a história sabe muito bem, agora para os recalcados que estão na ATIVA, não esquece que o BOZO, enfiou mas 5 anos pela guéla dos praças, agora e 35 anos de escala de serviço de 24 horas, e depois do serviço vai cumprir o resto do expediente na seção, acorda povão, isso no final os 35 anos vai dar 45 anos ou mas, vamos acorda

  20. É muita desunião entre as praças. Enquanto isso, oficiais dão risada do estamento inferior batendo cabeça. Os militares de carreira deveriam olhar um pouco para os QEs e tbm brigar para TODOS obterem melhorias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo