Exército relutou em conter golpistas no Planalto no 8/1, diz documento

Invasão Planalto

Documento da PM do DF enviado à CPI é mais um a desmentir inquérito do Exército que livrou a própria tropa de responsabilidade

Eduardo Barretto
Um documento da Polícia Militar (PM) do Distrito Federal afirmou que militares do Exército resistiram em conter os golpistas que haviam invadido o Palácio do Planalto durante o 8 de janeiro. O relatório, enviado à CPI do 8 de Janeiro e obtido pela coluna, é mais a desmentir um inquérito do Exército que livrou a própria tropa de responsabilidade.
As informações foram produzidas pela PM em 12 de janeiro, quatro dias após as sedes dos três Poderes serem saqueadas em Brasília. Nesse material, a corporação fez um balanço detalhado da operação, que contabilizou 19 policiais feridos.
O comandante do Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque) da PM, Calebe Teixeira, relatou como foi a entrada da tropa no Planalto, tomado por extremistas:
“Ainda que com uma certa resistência por parte de militares do Exército que estavam no interior do edifício [Planalto], foi emanada a ordem para que todos os que ali estavam cessassem com a baderna”, afirmou, acrescentando que em seguida os PMs deram ordem de prisão aos invasores.
A versão do PM é reforçada por diversos elementos, como mostrou a coluna. No mês passado, policiais militares afirmaram à Justiça que soldados do Exército fugiram do Planalto enquanto o prédio era depredado. Um vídeo mostra que um PM deu dez ordens em 40 segundos aos soldados do Exército no Planalto, que seguiram apáticos. Há ainda um servidor que narrou à Polícia Federal que militares do Exército confraternizaram com os extremistas.
Procurado, o Exército afirmou que prestará esclarecimentos sobre o 8 de janeiro “exclusivamente aos órgãos competentes pelas apurações”
Guilherme Amado (METRÓPOLES)

2 respostas

  1. Isso não vai terminar bem, essas narrativas irresponsáveis desses colunistas fofoqueiros que se escondem nas fontes anonimas para inventar suas ficções a troco de muita grana.

  2. E o mantra “golpista” como narrativa dos “comunas-petistas”continua para dar a impressão que que é verdade. É a primeira vez que uma tentativa de golpe com velhinhas(os) e crianças rezando em frente aos quartéis foi tentado. É até um paradoxo:os canhões nos quartéis e fora só os “c…lhões, e mesmo assim foram arrastados como golpistas para o “campo” improvisado. Deve ser carma!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo