Ordem do Comandante: integrantes do Exército devem se pautar pela legalidade

General Thomás CMSE

Ordem aparece em boletim após suspeita envolvendo ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL)Caio Junqueira da CNN
São Paulo – O comandante do Exército, general Tomás Paiva, publicou, em um boletim interno da Força, uma ordem às tropas que diz que seus integrantes devem se pautar pela legalidade.

O documento, obtido pela CNN, foi publicado na manhã de sexta-feira (18), dia seguinte à revelação da revista Veja de que o advogado do coronel Mauro Cid ter dito que ele confessaria ter vendido um Rolex que Era do estado e repassado dinheiro ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Cid foi ajudante de ordens de Bolsonaro.

No boletim, Tomás diz que “o Exército Brasileiro (EB) é uma Instituição de Estado, apartidária, coesa, integrada à sociedade e em permanente estado de prontidão” e que “os quadros da Força devem pautar suas ações pela legalidade e legitimidade, mantendo-se coesos e conscientes das servidões da profissão militar”.

Também diz que “existe um desconhecimento, por parte da sociedade, das ações desenvolvidas pela Força Terrestre em todo o Brasil e que trazem benefícios para nossa população” e que “há a necessidade de maior inserção e integração do tema Defesa Nacional no meio acadêmico e no setor industrial, bem como a manutenção do marco legal”.

O comandante fala ainda em “intensificar as ações que contribuam para a proteção e o fortalecimento da imagem e da reputação do Exército, de forma alinhada, integrada e sincronizada, gerando sinergia nos resultados, evitando-se a desinformação”.

Leia a íntegra do documento:

ORDEM FRAGMENTÁRIA Nº 001 À DIRETRIZ DO COMANDANTE DO EXÉRCITO 2023–2026 (BE de 18/08/2023)

Diretriz Especial de Apoio à Gestão Institucional 2023/2024.

1. INTENÇÃO DO COMANDANTE
Minha intenção é orientar, com oportunidade, por intermédio de articulação sinérgica, as ações a serem desenvolvidas pelo Exército, em diferentes níveis, para continuar o processo de fortalecimento da coesão interna, valorizando a Família Militar, a dimensão humana e o culto aos valores e às tradições, bem como realizar e comunicar, da melhor maneira possível, as diversas ações desenvolvidas em prol da sociedade em geral, além de acompanhar temas do interesse do Exército.

2. SITUAÇÃO
a. O Exército Brasileiro (EB) é uma Instituição de Estado, apartidária, coesa, integrada à sociedade e em permanente estado de prontidão.
b. A consolidação do sentimento de pertencimento é fundamental para uma Força Terrestre (F Ter) voltada essencialmente para suas atividades profissionais.
c. Existe um desconhecimento, por parte da sociedade, das ações desenvolvidas pela Força Terrestre em todo o Brasil e que trazem benefícios para nossa população.
d. Há a necessidade de maior inserção e integração do tema Defesa Nacional no meio acadêmico e no setor industrial, bem como a manutenção do marco legal.
e. Os quadros da Força devem pautar suas ações pela legalidade e legitimidade, mantendo-se coesos e conscientes das servidões da profissão militar, cujas particularidades tornam os direitos e os deveres do cidadão fardado diferentes daqueles dos demais segmentos da sociedade.

3. CONCEPÇÃO
A par da defesa da Pátria, da garantia dos poderes constitucionais e da lei e da ordem, o Exército de Caxias continuará comprometido a apoiar a população brasileira, particularmente em situações de emergência. A fim de contribuir para um melhor ambiente para os públicos interno e externo, as seguintes ações devem ser implementadas:
a. intensificar as ações que contribuam para a proteção e o fortalecimento da imagem e da reputação do Exército, de forma alinhada, integrada e sincronizada, gerando sinergia nos resultados, evitando-se a desinformação;
b. dar continuidade, em parceria com as demais Forças, às medidas que garantam um Sistema de Proteção Social dos Militares das Forças Armadas adequado às necessidades da Família Militar;
c. fortalecer as ações voltadas para o bem-estar da Família Militar, a fim de ampliar a coesão e a satisfação do público interno, otimizando o Sistema de Assistência Social;
d. aperfeiçoar o Sistema de Saúde do Exército, melhorando as estruturas de saúde existentes;
e. aperfeiçoar o Sistema Colégio Militar do Brasil, sobretudo por meio do avanço do processo de seleção de professores, instrutores e monitores;
f. majorar o número de moradias em guarnições de difícil recompletamento;
g. acompanhar a tramitação do novo arcabouço fiscal, visando ações oportunas para o atendimento de demandas reprimidas;
h. buscar a ampliação de recursos orçamentários, por meio de créditos adicionais, emendas parlamentares, convênios com ministérios e outras parcerias de interesse do Exército;
i. dar continuidade ao trabalho de aperfeiçoamento da gestão ambiental, do desenvolvimento e da difusão de tecnologias que permitam estabelecer um modelo de aproveitamento sustentável das riquezas disponíveis, sobretudo na região amazônica, garantindo maior integração e proteção àquela área;
j. intensificar o contato com veteranos, pensionistas e ex-alunos dos colégios militares, com vistas a manter a coesão e estimular o convívio da Família Militar;
k. criar uma associação de amigos do EB, em nível nacional, proporcionando a interlocução com personalidades e autoridades civis;
l. conferir especial atenção aos seguintes objetivos estratégicos: fortalecimento da imagem e da reputação do Exército; aprimoramento da gestão da dimensão humana; e compatibilização do orçamento com as demandas da Força;
m. aproveitar oportunidades para implementação de ações estratégicas;
n. prosseguir no Processo de Racionalização da Força; o. capacitar os militares do EB para os desafios atuais e futuros, ampliando a utilização da modalidade de educação a distância na complementação da carga horária dos estabelecimentos de ensino;
o. enfatizar a Comunicação Estratégica, com vistas a alinhar, integrar e sincronizar o discurso no âmbito do EB; e q. identificar outras ações que atendam à intenção do Comandante do Exército.

4. DECISÃO
A fim de estabelecer um ciclo virtuoso de ações voltadas para o apoio à gestão institucional, determino:
a. criar o Grupo de Trabalho de Apoio à Gestão Institucional (GTAGI), sob coordenação do Estado-Maior do Exército (EME), que deverá contar com representantes (titular e suplente) do Órgão de Direção Operacional (ODOp) e de cada órgão de direção setorial (ODS) (prioritariamente um oficial-general ou um coronel), bem como do Gabinete do Comandante do Exército (Gab Cmt Ex), do Centro de Comunicação Social do Exército e do Centro de Inteligência do Exército, a fim de orientar a implementação das ações e medidas delineadas nesta Diretriz Especial;
b. ao EME, adotar, em coordenação com a Secretaria de Economia e Finanças, as ações necessárias, particularmente perante as demais Forças e o Ministério da Defesa, para que sejam apresentadas as demandas visando à recomposição salarial dos militares;
c. ao ODOp/ODS/comandos militares de área/órgãos de assistência direta e imediata ao Comandante do Exército, apoiar as ações a serem estabelecidas pelo GTAGI para que a intenção do Comandante seja alcançada; d. à Secretaria-Geral do Exército, a missão de criar a Associação de Amigos do EB, em nível nacional; e e. ao Gab Cmt Ex, participar ativamente das ações previstas na presente Diretriz Especial.

5. PRESCRIÇÕES DIVERSAS
a. Os órgãos citados na letra “a” do nº 4 deverão indicar seu representante ao EME no prazo máximo de 15 (quinze) dias a contar da publicação desta Diretriz Especial.
b. Ficam autorizadas as ligações entre os órgãos para obtenção de dados, a fim de potencializar a percepção da consciência situacional.
c. Esta Diretriz será atualizada por meio de Ordem Fragmentária, quando necessário.

CNN Brasil

24 respostas

  1. O senhor anda muito mal acessorado.
    Legalidade é regra básica em qualquer carreira de Estado.
    É o mesmo que bumbo no pé esquerdo.
    Marchou errado: cadeia e exclusão a bem da disciplina.
    Básico.

    1. É o mesmo que chegar na formatura geral e dizer: por favor, não furtem nada do Quartel!!!

      Sem saber fazer a continência o Recruta Sabe disso…será que os chefes sabem???

  2. Está no EM – Lei 6880/80, está na lei 8112/90 e está na CFRB/80 e ressalte-se Legalidade Estrita, o servidor só pode fazer o que a lei prescreve, diferente do particular que pode fazer tudo que a lei não prescreve, isso é chamado dever de ofício do servidor. Portanto, essas atuações perpetradas por alguns militares não tem nem amparo jurídico e estão em dissonância legal e constituem infração a lei penal.

    1. Daqui uns tempos os praças estarão passando é fome com esse comandante e seus generais só no caviar. Governo dar reajuste em diárias, é muita palhaçada, e vem falar em legalidade.

  3. Se tivessem avisado isso antes o General Villas Bôas não teria soltado aquela notinha ao STF, Mourão feito manifestação contra o governo Temer, Bolsonaro teria sido preso em 1988, não teria atentado do Rio Centro, Pazuello não teria feito soldado puxar carroça com ele encima, o ex-comandante do Exército Júlio Cesar de Arruda não teria perdido o cargo, Marco Antônio Freire Gomes não receberia o hacker Walter Delgatti, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira não iria tentar trabalhar em empresa que ele privilegiou quando era Ministro da Defesa, Cid filho estaria comandando Unidade, Cid pai estaria orgulhoso, …

    1. Eu apenas inverteria a ordem desses fatos narrados, se tivessem prendido ou expulso o bozonaro, tudo que relatou não aconteceria, se bem que devo também anuir, pois o nine ganharia e tudo o que falou não existiria. 🤣😅

  4. Legalidade (dentro da Lei?)
    Hierarquia.
    Honra.
    Lealdade.
    Coragem.
    Afeição.
    Bondade.
    Irmãos de arma.
    Pátria.
    Bajulação.
    Servilismo.
    Ostentação.
    Poder.

  5. Veja como o nosso EB falha em não se distanciar do século XIX.

    um general e um tenente-coronel estão agora no olho do furacão por decisão própria de fazer coisas fora da “legalidade”, contrariando tudo aquilo que aprenderam na “fábrica”.

    Aí me vem o Cmt e distribui uma nota dando a entender que todos os militares estão na berlinda e não apenas o pai e filho de “acadimia”.

    Na tropa sempre foi assim: o oficial errou, toda a tropa paga, especialmente o pracinha que nem presenciou o erro do oficial.

    A asessoria deveria lembrar ao Cmt que mais de 90% dos militares cumprem as leis, dentro e fora do quartel, ou seja, ajem dentro da “legalidade”.

    Quem errou feio, repito, foi um general de “4 estrelas” e seu filho, um tenente-coronel coroado com Marechal Hermes.

    Que a chamada à responsabilidade seja direcionada aos dois, não à tropa. enquanto pai e filho estavam se lambuzando na possibilidade de se dar bem com tanto mel, essa mesma tropa nos quatro cantos do país estava concentrada em suas atividades militares.

    Por isso, em plena Era do conhecimento, século XXI, é triste perceber que o glorioso EB ainda pensa como na época em que seus patronos ainda davam serviço na caserna.

    P.S.: corridinha “mixuruca” com recruta não vai aumentar a coesão que já existe.

    “Cobre” firme a observância da legalidade por parte do “estamento superior”, dando exemplo de imparcialidade da “legalidade castrense” e verás a coesão aumentar substancialmente.

  6. As ffaa são as ffaa. Não são culpadas de absolutamente nada. Quem aproveita essa “onda” e prega a extinção das Ffaa é simplesmente um agitador antinacionalista de muita má fé e está contra o Brasil e faz um serviço sujo em favor do inimigo externo. Muitos tentarão, de forma sutil e disfarçada, semear todo o tipo de caos para de alguma forma desagregar ou tentar semear a Desunião na nossa pátria. Os integrantes das ffaa que usaram os cargos e as fardas, deverão ser responsabilizados, acusados, julgados e rigorosamente punidos. Obviamente devem ser expulsos das gloriosas ffaa e pronto. Muito simples. Tenho certeza que grande parte de seus Integrantes entendem perfeitamente a natureza criminosa da junta de bandidos que se uniu num consórcio nefasto para destruirem o Brasil e pelas beiradas o saquearam no que foi possível. Nesse triste e perigoso momento que a nossa pátria viveu, jamais o povo Brasileiro deverá culpar as ffaa nacionais por causa desses traidores que as traíram, traíram o povo e traíram o Brasil. Viva o exército, viva a marinha, viva nossa força aérea. Viva o Brasil! Nossa amada e gigantesca Pátria é E será eternamente INDIVISÍVEL. Traidores do Brasil aventam essa loucura mas jamais terão êxito pois o povo verdadeiramente brasileiro e nossas Gloriosas ffaa jamais permitirão esses delírios de Traidores aqui dentro do Brasil.

  7. Se pautar pela legalidade, independente da legalidade?

    “Os quadros da Força devem pautar suas ações pela legalidade e legitimidade, mantendo-se coesos e conscientes das servidões da profissão militar, cujas particularidades tornam os direitos e os deveres do cidadão fardado diferentes daqueles dos demais segmentos da sociedade” e vice versa.

  8. Cadê o reajuste dos soldos, esse cmt só se preocupa em bajulação e formaturas, aumenta as próprias diárias, pois viaja a rodo, enquanto isso os praças lascados em dívidas.

  9. Quando digo que todos os brasileiros devem estar unidos e coesos e em defesa total e irrestrita de nossas ffaa, prestemos atenção no que pensa e diz (inclusive contra o Brasil) o candidato argentino javier Milei, que poderá ser o escolhido nas próximas eleições na Argentina .
    No Paraguai, o presidente de lá jurou que o Brasil terá que devolver todos os espólios de guerra, no Uruguai tem um governo nada simpático ao nosso querido e amado Brasil. Temos alguns países que no momento nos são amigáveis mas não sabemos se no dia que Nós entrarmos em choque com algum deles por algum conflito de interesses, poderemos contar com suas neutralidades. Nós, brasileiros, nunca deveremos esquecer que estamos sozinhos em toda a América, cercados por países e povos de língua castelhana, que na hora não exitarão em se Unirem contra nossa querida e amada pátria. Nosso povo e nossas ffaa deverão estarem coesos e prontos para os enfrentarem e os DERROTAREM. E assim será. Viva nosso glorioso e invicto exército, marinha e força aérea. Brasil para sempre!
    -‐—————————-
    Já escrevi em outro post o quê eu penso dessa estranhissim “ascenção” meteórica desse sujeito “Javier Milei”. Acho que tem até o DNA do império nessa “jogada”. Se esse sujeito fabricado for “eleito” (o que não seria uma surpresa), problemas seríssimos poderão ser criados em toda a América Latina e principalmente contra o Brasil, que estará diante de um ” próxy” dos eua bem ao seu lado. Imaginemos uma Argentina comandada por um louco desses, causando todos os tipos de problemas contra o Brasil, prontos para nós atacarem e o pior de tudo…..estarão armados até os dentes pelo império, que poderá inclusive os empurrar para uma guerra contra nosso país. Penso que a Argentina que o império pode estar preparando hoje, será a Ucrânia latino-americana de amanhã e o Brasil de hoje será a Rússia de amanhã. Outro fato bastante curioso e “estranhamente coincidente” é que esse sujeito surge Estranhamente no exato momento que a Argentina pode se tornar membro do brics e para sempre se livrar das garras dos eua. Acho que nenhum político, jornalista, pensador, leitor e etc atentou para essa “coincidência”. Mas que é um caso a se pensar é!

    1. Deixe de conversa mole. No Uruguai tem um governo nada simpático ao nosso querido e amado Brasil? Não é pelo Brasil, mas pelo voto impresso e contra o Foro de São Paulo. Acaso tu não vês a miséria de todos os países membros e o Brasil indo pelo mesmo caminho? Só não foi ainda pela pujança do povo trabalhador que ainda tem aqui. Cresça e apareça antes de ficar derramando besteirol.

  10. Recentemente ocupei um PNR sem condições minímias para tal. O fiz, como muitos colegas, para não pagar aluguel. Mas tive de gastar do meu próprio bolso os reparos necessários e sem nenhuma contrapartida da OM. Ou eu fazia isso ou pagava aluguel.

    Como vamos ter coesão interna com esse tratamento à “família militar”?

    Lembrando que a legislação é cristalina quando prescreve que o PNR ao ficar vago deverá ser inspecionado pela OM, reparado, manutenido e somente assim distribuído.

    Agora imaginem se o pracinha vai lá no Fiscal e diz isso a ele.

    É muito bonito falar que seguem a legalidade, mas na prática quem cobra a observância dessa mesma legalidade corre o risco de ser perseguido e taxado de “ponderador”.

  11. Generais, oficiais superiores, intermediários encheram os bolsos com Bozo no poder, enquanto restante da tropa vive de migalhas e agora vem falar de moralidade, tinham que ser presos juntos com Bozo.

  12. Paciência. um dia as FFAA não serão mais comandadas pelo ex-presidiário, e pra sempre: 1º de janeiro de 2027.
    Se for antes, melhor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo