Comandante do Exército: ‘Democracia transpôs obstáculo e percepção de ameaça não pode existir’

Transmissão sobre os seis meses do general Tomás no comando do Exército Foto: REPRODUÇÃO / ESTADÃO

General Tomás Paiva afirma que trabalho da Força é sujeito aos ditames constitucionais e defende reaparelhamento e comemora índice de confiança da população após eventos do dia 8 de janeiro

Marcelo Godoy
O general Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva reafirmou nesta quinta-feira, dia 20, que o Exército é força apartidária e apolitica. “Isso significa que nossa população pode ficar tranquila. Não houve nada este ano,. Nossa democracia foi preservada; ela transpôs um obstáculo”, referindo-se aos eventos de 8 de janeiro.

O general afirmou que, agora, é necessário “tirar do imaginário das pessoas a percepção de ameaça”, referindo-se a possíveis atentados contra o Estado Democrático de Direito.

“A percepção de ameaça não pode existir, pois a nossa concepção de trabalho é a sujeição completa aos ditames constitucionais”, afirmou Tomás. A declaração do comandante aconteceu durante live do Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa (IREE), que marcou os seis meses de Tomás a frente da Força Terrestre.

O general assumiu o comando do Exército depois da crise deflagrada pelos ataques à sede dos Três Poderes, em Brasília e com a resistência do general Julio Cesar Arruda de afastar o antigo chefe da Ajudância de Ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro, o tenente-coronel Mauro Cesar Cid, do comando do Batalhão de Ações do Comando. A posição de Arruda levou à sua demissão em 21 de janeiro. Tomás foi então convidado a assumir o comando.

A transmissão do IREE durou 1 hora e 18 minutos e teve a participação dos ex-ministros da Defesa Nelson Jobim, Raul Jungmann, Fernando Azevedo e Silva e do ex-ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen. Ao lado de Tomás, estava na sala de reuniões do Alto Comando do Exército o chefe do Estado-Maior da Força, o general Fernando José Soares.

Tomás começou o balanço de seus seis meses de comando comemorando o que chamou de crescente procura pela carreira militar. De acordo com ele, os cursos da Escola de Sargentos das Armas e da Academia de Oficiais das Agulhas Negras passaram a ter em média cem candidatos por vaga. Em seguida, o general relatou o ambiente geopolítico atual, com a volta da guerra na Europa, fazendo um relato de sua recente visita à Alemanha.

“O mundo está vivendo um incremento da competição entre as potências, uma espécie de paz relativa.” Descreveu então a decisão da Alemanha de gastar 2% de seu PIB na Defesa para garantir robustez, resiliência e sustentabilidade de suas Forças Armadas.

O general destacou em seguida seis dos 13 programas estratégicos do Exército como prioritários: o Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira), o reaparelhamento das forças blindadas, o Sistema Astros de artilharia, a Aviação do Exército e o sistema de guerra antiáérea. E listou deficiências, como o fato de apenas 20% do Sisfron ter sido concluído.

“Ele devia estar concluído em 2022 ou 2023.″ Tomás defendeu a compra de novos helicópteros pois 12 das 94 aeronaves do Exército terão de ser aposentadas em 2024. “Além de enxergar o que está acontecendo, precisamos ter capacidade de chegar lá”, afirmou o chefe do Estado-Maior em resposta ao ex-ministro Jobim.

O ex-ministro Fernando Azevedo indagou o comandante sobre a pesquisa do IPEC (ex-Ibope), divulgada na terça-feira, dia 18, que mostrava que o índice de confiança da população nas Forças Armadas oscilara um ponto porcentual, de 2022 para 2023, caindo de 67% para 66%. Fernando também questionou sobre o relacionamento do comando do Exército com o Ministério da Defesa e com o governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Fernando foi o primeiro ministro de Jair Bolsonaro e acabou demitido em 2021.

“A gente recebeu com muita satisfação (o resultado da pesquisa)”, afirmou Tomás. Ele seguiu lembrando que o Exército “teve um final de ano conturbado e muita exposição midiática”, referindo-se às manifestações em frente aos quartéis, após a vitória de Lula nas eleições. “Os valores são percebidos pela população. A Força é respeitada. Este ano começou com a calamidade (das chuvas) em São Sebastião. Quem estava lá em quatro horas?”

O comandante usou ainda a pesquisa para refutar os ataques que o Exército tem sofrido nas redes sociais, principalmente, de bolsonaristas radicais. Durante a transmissão, dezenas de comentários foram postados por usuários da internet com críticas à atuação legalista do Exército. “Há uma diferença entre a percepção real e a virtual. A virtual é potencializada por um grupo pequeno que critica, que produz um conteúdo negativo – e às vezes falso – que incomoda. A melhor resposta é cumprir nossa missão constitucional.”

Em seguida, o general elogiou a atuação do ministro da Defesa, José Múcio Monteiro Filho. “Fazemos questão de delimitar que somos instituição de Estado, apolítica e apartidária. Isso não significa que não podemos assessorar em questões de política de Defesa.” Foi nesse momento que o comandante fez a declaração de que a população podia ficar tranquila, pois “nossa democracia foi preservada”.

ESTADÃO

22 respostas

  1. Esse Cmt do EB é o mais alienado do planeta, ou não quer enxergar que as forças armadas mais precisamente o exército depois do dia 8 de janeiro ficou mais queimado como nunca esteve antes, a confiança da população despencou. Não sabe de nada inocente…

  2. Esse cara não tem isenção pois foi a casa do General Villas Boas fazem Ingerência politica. Ele na percepção do povo não passa de um traidor da Pátria, um capacho de Petralhas.

  3. Impressionante o silêncio sobre a REAL situação financeira da tropa ! Vivem no mundo fantástico do BOB ! no mundo das mordomias do poder ! nem mesmo uma alusão ao fato que estamos sem reajuste desde 2016 !!! Se é auma reunião de Ex-Ministros, cadê o Aldo Ribeiro ??? ficaram com receio de ouvir críticas ??? tá tudo dominado.

  4. PMs podem ser punidos por ocorrência em que mais de 200 celulares foram achados em carro de guarda municipal
    Veículo com os aparelhos estava no prédio da agente, que é filha de um procurador federal. Ela afirmou que o automóvel pertencia ao marido dela. A CGD disse que apura o comportamento dos policias que atenderam a ocorrência.

    Está Manchete não está relacionada ao assunto acima, só para mostrar como ainda não vivemos em uma República.

    Sobre o CMT, se esforça para colocar as coisas na normalidade mas, os fantasmas do Bolsonazismo ainda atormentam a nação.

    Me fez lembrar uma ocasião de meados da primeira década do novo milênio que, Bandidos do PCC caçavam policiais em serviço e fora dele em SP, com diversas mortes e situação de caos. Um programa de TV entrevistou o CMT do Btl de Choque e pasmem, perguntado sobre as mortes ele de pronto respondeu: ” pelo contrário, as mortes diminuíram em SP, conforme os índices…”.

    Então, as verdades caem diante dos interesses.

  5. Realmente esse comandante do Exército Brasileiro, O melhor Exército do Brasil é um fanfarrão. Índice de confiança? Em que planeta esse senhor reside. Será que o mesmo não utiliza as redes sociais? É Lula é esperto, colocou um comandante de festim, em um exército de festim.

  6. Esse Cmt não vai por um bom caminho. Entrevista, live de Instituto…Sei não.
    Tá aparecendo muito. Será que ele acha que já está tudo certo com o dilmo?

  7. Duas observações:

    1. Se se quer FA fora do espectro político, os seus Comandantes deveriam evitar comentários ou declarações sobre política;

    2. Quando Se passa o tempo todo dizendo que as FA são apoliticas, significa justamente o contrário. Faz Lembrar uma frase da “Dama de Ferro” britânica sobre liderança: “quando o líder tem de lembrar a todo momento que é líder, significa que ainda não é líder”.

    Simples assim.

    P.S.: o EB necessitava, nesse momento delicado da nossa história, de um comandante a sua altura. Mas, as Forças têm os Comandantes que merecem.

    1. Tudo em nossas vidas, na prática, tem a ver com a politica: legislação, costumes, instituições de Estado e ações de governos; a saúde da população, o ensino nas escolas e universidades, a segurança publica, os planos e projetos para o pais, o preço do pão, dos remédios, dos combustíveis, da cesta básica, da energia elétrica, etc. FFAA Apartidárias, sim; apolíticas, nunca! No momento atual, a meu ver, a aceitação das influencias do Foro de São Paulo dentro do Estado Brasileiro através do governo atual tem a característica do cumprimento de uma agenda que espelha as catástrofes dos governos de esquerda na América Latina, especialmente, não me parece um rumo apropriado para as possibilidades de grandeza do nosso Brasil.

      1. Observe a recente declaração do Presidente do STM e verás que o “discurso” do Foro de São Paulo já está reverberando no Alto Comando Das FA não “apolíticas”.

        Simples assim.

  8. Prezado Gen tomas se vossa excelência deseja ter uma força terrestre braço forte e mão amiga..comece corrigindo as lacunas deixandas pela gestão anterior…

  9. Realmente este comandante aprendeu rápido com seu chefe, em como distorcer a realidade com narrativas envernizadas. Ele deve achar que o Brasil é composto apenas pelos jumentos que votou nesse descondenado.

  10. Confiança!? Em que realidade Paralela esse indivíduo está!? Ou tá seguindo exatamente o que o seu chefe faz de memhor. Mentir na cara dura.

  11. Enquanto não houver justiça salarial, as forças armadas continuarão um terreno Fértil aos Oportunistas e o momento nunca esteve tão delicado!!!

  12. Por leis existem duas carreiras, as Dos oficiais e dos praças, com Funções específicas.

    Cabe saber o que são funções propriamente militares em que os oficiais Combatentes são ocupantes Privativos e se essas funções podem ser delegadas.

    DECRETO-LEI Nº 3.864,  DE 24 DE NOVEMBRO DE 1941.

    Art. 48 Alem das funções de administração, instrução e justiça, incumbem especialmente aos militares de cada uma das categorias, armas, serviços ou quadros (oficiais, sub-tenentes, sub-oficiais, sargentos e outras praças das Forças Armadas), as funções abaixo indicadas :

    A) – No Exército :

    a) aos oficiais dos quadros combatentes cabe o exercício das funções propriamente militares, compreendendo as de comando e utilização das forças e unidades, a direção e a execução dos serviços relativos às armas e à preparação e eficiência das referidas unidades;

    b) aos oficiais dos quadros dos serviços cabe o exercício das funções correspondentes aos seus postos, nos orgãos de direção e execução dos respectivos serviços, especificados nos regulamentos em vigor ;

    c) aos sub-tenentes, sargentos e outras praças combatentes cabe, o exercício das funções regulamentares correspondentes às suas graduações nas respectivas armas;

    LEI Nº 6.880, DE 9 DE DEZEMBRO DE 1980

    Do Comando e da Subordinação

    Art. 34. Comando é a soma de autoridade, deveres e responsabilidades de que o militar é investido legalmente quando conduz homens ou dirige uma organização militar. O comando é vinculado ao grau hierárquico e constitui uma prerrogativa impessoal, em cujo exercício o militar se define e se caracteriza como chefe.

    Parágrafo único. Aplica-se à direção e à chefia de organização militar, no que couber, o estabelecido para comando.

    Art. 36. O oficial é preparado, ao longo da carreira, para o exercício de funções de comando, de chefia e de direção.

    Art. 37. Os graduados auxiliam ou complementam as atividades dos oficiais, quer no adestramento e no emprego de meios, quer na instrução e na administração.

    CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988

    DAS FORÇAS ARMADAS

    Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.

    § 3º Os membros das Forças Armadas são denominados militares, aplicando-se-lhes, além das que vierem a ser fixadas em lei, as seguintes disposições:

    I – as patentes, com prerrogativas, direitos e deveres a elas inerentes, são conferidas pelo Presidente da República e asseguradas em plenitude aos oficiais da ativa, da reserva ou reformados, sendo-lhes privativos os títulos e postos militares e, juntamente com os demais membros, o uso dos uniformes das Forças Armadas;

  13. Como dizia meu mais antigo, o último apague a luz. Antigamente julgava as pessoas que só pensavam em si….hoje,farinha pouca meu pirão primeiro. Tem conhecido com o tempo que tudo de errado compensa …pra que fazer as coisas certas e corretas? Vou ganhar algo a mais? Pra que? Complicado. Outra conclusão que cheguei hoje tambem na Marinha que o problema dela não funcionar direitos são os navios…acreditem. Tudo errado….país maravilhoso como nosso, que teria tudo para ser potencia e exemplo, perdemos para corrupção, pessoas que não tem compromisso com o povo , com a bandeira nacional. Se fossemos um país sério , seria possível ver as coisas que deveriam ser ocultas e não são. Ou somente eu estou vendo que o PCC esta comandando o Brasil?Tenho essas dúvidas

  14. “Há uma diferença entre a percepção real e a virtual. A virtual é potencializada por um grupo pequeno que critica, que produz um conteúdo negativo…”

    Dados da Anatel para o mês de mai/23, indicam que o Brasil encerrou o mês com 251,2 milhões de celulares e densidade de 116,4 cel/100 hab. Dizer que o VIRTUAL das redes sociais, sem incluir PCs nesse levantamento da ANATEL, é potencializado por um grupo pequeno, não seria um grave sinal de alienação da realidade?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo