Vídeo: Lawand é chamado de “covarde” e “mentiroso” durante CPI do 8/1

(crédito: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

Lawand aparece em mensagens trocadas com Mauro Cid, supostamente estimulando o ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro a atos golpistas

Ana Flávia CastroSandy Mendes

O coronel Jean Lawand Júnior, ex-subchefe do Estado Maior do Exército, foi criticado por parlamentares nesta terça-feira (27/6) durante a participação dele na CPI dos atos antidemocráticos de 8 de janeiro. O militar foi chamado de “covarde”, por se manter em silêncio, e “mentiroso”, por deputados da base governista.

O militar aparece em mensagens trocadas com Mauro Cid, supostamente estimulando o ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro a seguir o caminho do golpe contra o resultado da eleição presidencial e, consequentemente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele foi citado nas investigações da Polícia Federal (PF) que apuram a mobilização de atos golpistas por militares.

Durante a manifestação na CPI, o deputado Duarte Júnior (PSB-MA) fez referência a declarações da oposição, de que as pessoas presas pelas invasões às sedes dos Três Poderes, na ocasião, estão detidas “injustamente”. Segundo ele, Lawand tem a oportunidade de separar quem são as “sardinhas” e os “tubarões”.

“Coronel, com toda a educação, eu lhe peço: as pessoas aqui, a base de oposição ao governo, o próprio deputado que me interrompeu vai à tribuna, faz manifestações afirmando que tem pessoas presas injustamente, as sardinhas. E o senhor está aqui tendo oportunidade de nos mostrar quem são os tubarões”, declarou.

“O seu silêncio é covarde. Sabe por que, coronel? Seu silêncio é covarde porque o senhor está permitindo que pessoas, entre aspas, ‘inocentes’, estejam presas. Quem estava lá, há 52 dias, cagando num banheiro químico. O senhor está aqui deixando que elas estejam presas porque o senhor está protegendo os tubarões”, prosseguiu.

Duarte pediu que o militar “proteja esses inocentes, que, em tese, estão sendo punidos injustamente. Esse é o seu momento de fala. O seu silêncio não pode ser covarde, o seu silêncio tem de proteger as pessoas”. Lawand, contudo, permaneceu em silêncio.

“O senhor está mentindo”

Em seguida, o deputado Rogério Correia (PT-MG) voltou a questionar as falas de parlamentares da oposição, de que o ex-presidente Bolsonaro não tem participação nos atos antidemocráticos. No entanto, lembrou as mobilizações em frente aos quartéis, e que o então “presidente não deu ordens para saírem do Exército para apaziguar o país”.

Você pode gostar

Air FryerLoja faz reinauguração e air fryer 4 em 1 é vendida por apenas R$ 189,90

Dure Mais na CamaPotência, duração e volume intimo. Homens usam diariamente!

Inteligência FinanceiraBrasil vai virar a Suíça latino-americana? O economista Robin Brooks disse que sim – e criou uma polêmica na internet

theLotter.comLoterias dos EUA disponíveis no Brasil: bilhões de reais a serem ganhos

Lote de EletrônicosCelulares não vendidos estão sendo comprados por preço de fábrica

“Isso é o que a gente vai tirar do depoimento do senhor até agora. O senhor está vendo que o peixe morre pela boca? O senhor já ouviu esse ditado? Que a mentira tem perna curta, o senhor já ouviu? O senhor vai continuar mentindo e culpar o presidente Bolsonaro?”, questionou o parlamentar.

Ele, então, afirmou: “O senhor está mentindo! E eu vou provar que o senhor está mentindo. O senhor é um mentiroso, coronel! O senhor não está tergiversando, não! O senhor está mentindo!”.

Veja o vídeo:

Investigação da PF

Lawand era subchefe do Estado Maior do Exército e, de acordo com a PF, incentivou Mauro Cid a convencer Jair Bolsonaro de impedir que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tomasse posse em 1º de janeiro deste ano.

Em mensagens trocadas com o ajudante de ordens, Lawand pediu que o militar “convencesse o 01 [em menção a Bolsonaro] a salvar esse país”.

“Cid, pelo amor de Deus. O homem tem que dar a ordem. Se a cúpula do EB [Exército Brasileiro] não está com ele, da divisão para baixo está. Assessore e dê-lhe coragem”, escreveu.

A convocação de Lawand consta em requerimentos apresentados por parlamentares governistas, como Eliziane Gama (PSD-MA), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), Duda Salabert (PDT-MG) e Duarte (PSB-MA).

METRÓPOLES

 

9 respostas

  1. Ser chamado de covarde e mentiroso é o minimo. Isso que ele fez não é coisa de homem não. Portou-se como um rato. Se errou, assuma seus erros. Vi um coronel do Exército agir como um Sd Ev. Uma vergonha.

  2. assim sao todos os Of da academia. leoas de alojamento. ebravejam com os subordinados, protegidos pelo sistemas. quando estao na frente de um juiz ou uma autoridade contituida, sao covardes. tos mistura de pato com peru: papudo e cagao

  3. So constataram o óbvio que quando chamados a responsabilidade essa pequena parcela mente descaradamente, falseia a verdade ou se cala. Bozonaro não é o único culpado, pois cada um desse aí resolveu seguir seu delírio por pura vontade, ou seja, o caráter deturpado já era ínsito dentro desse pessoal e apenas foi aflorado com as ideias fora da lei de seu ídolo.

  4. Que satisfatório ver esses oficiais de academia sendo colocados contra a parede e vê-los ficarem bem “pianinhos” diante desses políticos. uma das maiores vergonhas alheias foi quando o coronel 01 foi perguntado sobre o que seria cagoete e o mesmo tentando explicar. PQP, coronel. que desculpa mais esfarrapada! que vergonha!

    “seja homem, Coronel! / o senhor é um lixo!!

  5. Esse e o Nível dos nossos oficiais. Ontem mais um oficial do nosso glorioso exercito foi acusado de ser o Informante de uma Organização criminosa. E se achando mais esperto que todo mundo usava a conta da esposa para Receber propina.

  6. esses aí, os coroneis juntamnete com a grande maioria dos oficiais, se acham acima do bem e do mal, são leoes contra os praças e contra todos os subordinados, mas nahora do front se mostram bem o que são, um bando de lixo!!! que vergonha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo