Soldado do Exército é morto em ação da PM no litoral paulista

Marcos Muryllo de Sousa Costa era soldado da Bateria de Comando do Comando de Defesa Antiaérea em Guarujá, no litoral de São Paulo  (Reprodução redes sociais)

Marcos Muryllo de Sousa Costa era soldado da Bateria de Comando do Comando de Defesa Antiaérea

Guarujá (SP) –  O soldado do Exército Marcos Muryllo de Sousa Costa, de 20 anos, morreu na noite de domingo (11), durante operação da Polícia Militar na Vila Baiana. Dois homens foram presos. Com o trio havia drogas, uma pistola Taurus calibre ponto 40 e um fuzil Colt 5.56, ambas com a numeração raspada. O militar, que servia na Bateria de Comando do Comando de Defesa Antiaérea, portava o fuzil e uma identidade funcional do Exército, vencida em 25 de fevereiro.

Os presos são Edvaldo Alves Cruz Junior, de 30 anos, e Jandy Chagas da Silva, de 28. Eles foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo.

Segundo os PMs, eles ingressaram em uma área de mata para atingir um ponto de venda de drogas sem serem percebidos. Ao avistar os policiais, Marcos Muryllo apontou o fuzil para um deles e foi alvejado, morrendo no local.

Jandy travou luta corporal com outro policial, até ser algemado. Ele portava um rádio de comunicação e trazia na cintura a pistola, que estava municiada com dez balas. Edvaldo não reagiu à abordagem.

Foram apreendidas uma bolsa com R$ 198,00, supostas anotações da contabilidade do tráfico, 1.453 78 porções de maconha, 212 porções de cocaína e a base de carregamento do rádio de comunicação.

Com informações de SANTA PORTAL e g1

10 respostas

  1. Não estou aqui Defendendo o Soldado más por mais de trinta anos que servi vi várias vezes essa situação de PMs serem os juízes, promotores e advogados atuando na rua e quando se trata de alteração com militares , aí meu amigo a sentença é certa , 99% a favor dos PMs.

    1. Isso! Onde já se viu atirar em um militar só por ser traficante e andar armado de fuzil? Deveriam ter identificado com a carteira vencida ou pela farda e a postura do militar. Numa dessas é que prenderam o valoroso Cid!

    2. meu amigo, o Sd estava com uma arma e apontou para o PM que fez a abordagem! Sendo assim, pau nele! morreu e não fará falta nenhuma!

        1. Tá de brincadeira, né? O cara foi filmado com um fuzil caminhando junto com um bando de marginais armados na favela e você vem jogar a culpa na PM-SP? Você realmente é um brincante, PM deve responder com jatos de perfume floral quando apontam ou disparam armas contra eles, só pode!

    3. Sim, estar com um fuzil com numeração suprimida e drogas é a coisa mais normal do mundo. prefiro acreditar no policial que estava de serviço a acreditar em alguém que estava todo errado.

  2. Ele estava fazendo a segurança de uma boca de fumo da favela Vila Baiana no Guarujá. Já foi esclarecido. Uma jornada a favor do crime e outra a favor da nação, será que ele conseguiu separar as duas vidas, tanto a da caserna quanto nesta atividade? Deve -se abrir sindicância para averiguar sua atuação na Organização militar, a fim de verificar se.hoive algo lá dentro.

  3. Anônimo mestre acéfalo Generalização, primeiro vc sequer sabe o que é cena de um crime, porque certamente este em algum por ser curioso apenas, segundo adulteração em cena de crime é coisa de vagabundos e não de militares Estaduais, ou seja, qualquer vagabundo pode tentar fazer e por isso é necessário e existe a perícia, a investigação, e em alguns casos o que vc afirma que é feito por mestres Combatentes de linha de frente, também é passível de punições severas, até porque estes são regidos pelo código penal Militar e o código penal brasileiro propriamente dito. Agora me admiro vc ser tão retardado ao ponto de achar impossível de um Recruta estar envolvido no tráfico e portanto um Fuzil, por exemplo?? Mw admiro a tua falta de conhecimento, a ponto de simplesmente acusar a Polícia MILITAR, sem ao menos se dar conta que existem Estupradores, Traficantes armados , ladrões de carros, homicidas, ladrocidas, e todas as espécies de vagabundos, inclusive arraigados nas mais diferentes instituições. Mestre de adulterar era o sgt Renato que foi preso por tráfico internacional de drogas e armas e estava com um veículo características de uma certa instituição federal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo