Comissão de Inteligência toma posse em meio à crise com general G.Dias

O senador Renan Calheiros (MDB-AL). (Foto: Jonas Pereira/Agência Senado)

Todas reuniões desse grupo, que tem 6 senadores e 6 deputados, são fechadas

Evandro Éboli
Em meio à turbulência que envolve o general Gonçalves Dias, a Comissão Mista de Controle das Atividades de Inteligência (CCAI) do Congresso Nacional fará sua primeira reunião do ano amanhã, quando presidente e vice tomam posse.
Foi para esta comissão que G. Dias, ex-ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), encaminhou relatório “reservado” sobre troca de informações de setores da inteligência com conteúdos que citavam o clima que antecedeu os ataques de 8 de janeiro.
Nessa comissão toda reunião é secreta, fechada. Sem acesso de quem quer que seja. E o conteúdo dos encontros não são divulgados.
O deputado Paulo Alexandre Barbosa (PSDB-SP) irá presidir a comissão, por ser o atual presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. Seu vice será o senador Renan Calheiros (MDB-AL), que preside a Relações Exteriores do Senado.
Há uma expectativa sobre a volta dessa comissão. Seis deputados e seis senadores a integram. Eduardo Bolsonaro (PL-SP), por ser líder da Minoria, vai fazer parte e ainda pode indicar um nome. Pelo menos um petista também integra o grupo, que é o deputado Carlos Zarattini (SP), que derrotou dois bolsonaristas numa eleição há duas semanas.
Das 12 vagas, 4 ainda estão em aberto, aguardando indicações das lideranças. Além de Renan, o governo contará com o senador Eduardo Braga (MDB-AM), líder da Maioria, que pode fazer uma indicação. A oposição terá Ciro Nogueira (PP-PI), líder da Minoria no Senado, que indicou Espiridão Amin (PP-SC) para uma das vagas.
METRÓPOLES/montedo.com

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo