No Dia do Exército fica evidente a queda de interesse dos jovens por servir à Pátria

Serviço Militar

Passo Fundo (RS) – Em 19 de abril é celebrado o Dia do Exército. A data leva em consideração um aspecto histórico, que foi a épica Batalha de Guararapes, ocorrida em 1649. A batalha uniu brasileiros, brancos, negros e índios pelo sentimento de Pátria, expulsando de Recife os holandeses e criaram as bases de um Exército genuinamente brasileiro. Entretanto, mais de 350 anos depois, o sentimento de orgulho em fazer parte do exército vem diminuindo.

A reportagem da Rádio Uirapuru conversou com o Secretário da Junta de Serviço Militar de Passo Fundo, Sargento Evandro Pinho de Farias, que reconheceu a queda do interesse por parte dos mais jovens. Para trazer em números, Pinho informou que cerca de mil e quinhentos jovens passo-fundenses fizeram parte do processo seletivo para servir ao exército em 2023. Por ano, são selecionados 350 desses jovens para ingressar no Exército, porém, apenas 130, ou 10% do efetivo que se apresentou, era formado por voluntários, aqueles que demonstraram interesse genuíno em ingressar no Exército.

Pinho lembra que antigamente seguir carreira no Exército era um sonho não apenas do jovem, mas também de toda a família e que agora os jovens demonstram outros sonhos profissionais. Mas, na visão de Pinho, servir ao Exército traz benefícios, pois consta de ensinamentos de responsabilidade, pontualidade e até cumprir ordens, algo necessário no mercado de trabalho. No quartel, os jovens cumprem rotina também de exercício em campo e simulações que necessitam de disciplina, dividindo entre o período básico, composto de instrução de guerra, qualificação militar, dividindo os jovens em qualificações e ainda o adestramento, pondo em prática o que aprendeu.

Atualmente, diz Evandro Pinho, Passo Fundo não conta com uma unidade do Exército Brasileiro, com os jovens selecionados sendo encaminhados para Alegrete, situação que se repete desde 1999, quando o esquadrão passo-fundense foi fechado. Por fim, Evandro Pinho diz que a carreira militar vem de uma soma de opção do jovem e aptidão para exercer a condição de militar.

RÁDIO UIRAPURU/montedo.com

21 respostas

  1. Conversa para boi dormir, se o jovem vem de uma família desestruturada e pobre realmente o EB é uma boa porta para começar a vida, qualquer outra situação, servir como recruta é um atraso de vida.

    1. Vc falou tudo.
      No entanto se me permite. Quero acrescentar que esse modelo de serviço militar obrigatório. E as atividades sem aprendizado que os soldados desenvolvem! Já está mais wue ultrapassado.

  2. Pátria? Que Pátria, cara-pálida?

    O conceito de Pátria foi paulatinamente sendo destruído por sociólogos e historiadores vinculados à esquerda ao longo dos últimos 40 anos.

    Esse movimento foi intensificado após a chamada redemocratização em 1985, como uma forma de vingança aos militares.

    Hoje, a juventude nem sabe o que é isso. Temos um povo alienado.

    É só lembrar daquele vídeo onde dois guris recolhem o lixo usando uma bandeira nacional como recipiente para retirar o lixo do chão.

    Quando Se perde essa simbologia de pertencimento, o povo alienado não mais encara como sendo seu o lugar onde nasceu. Assim fica muito mais fácil jogar goela abaixo qualquer teoria ou imposição, pois não vão questionar.

    Mas, tem uma outra causa que pode explicar essa falta de interesse dos jovens: a forma como são tratados os nossos recrutas. Inegavelmente, ainda são encarados como cidadãos de segunda categoria. Para recruta, somente o que sobrar.

    É difícil encontrarmos recrutas sendo tratados como homens. Mas, apenas como criancinhas rebeldes e imaturas, é às vezes até como alvos de brincadeiras sádicas.

    Sendo tratados assim, como vão querer entrar num quartel?

    1. Tenho que discordar e Afirmar que o manipulado é o Sr.

      Os Ideais de “pátria”, “heróis nacionais” “feitos heróicos” são apenas construções republicanas com base na lógica positivista.

      Acontece que aquele povo no NE brasileiro do século XVII era católico lutando contra os “intolerantes” invasores holandeses.

      Para refutar esse ideal de “pátria” É muito simples: Maurício de Nassau foi o responsável pelo grande desenvolvimento da então cidade de Recife e os moradores daquela cidade, a época, muito prosperaram. Com a saída dos holandeses a cidade entrou em declínio com os portugueses/espanhóis.

      1. Que droga de comparação! Então a ideia de Pátria e feitos heroicos nasceu no Brasil; nunca antes foram usadas em nenhum lugar do mundo? Porca miséria… foi nisso que deu as ultimas décadas de lavagem cerebral comunista, desde 1930.

        1. Fruto da pátria educadora que você não consegue interpretar um pequeno texto. Ou então deve ser da galera que entrou só com o fundamental.

          Os ideais citados no meu texto são de origem POSITIVISTA. Exemplo: “política, moral e filosofia” ; “ordem social; Disciplina, rigor e ordem”, “crescimento moral e social”.

          Se você se aprofundar mais um pouco neste debate irá perceber que a “reconquista” foi mais um evento “nativista” (sentimento de pertencimento dos nativos específicos daquela região do nE) do que de “pátria” ou “nação”.

    2. Você esta errado.
      Conceitos de pátria e nação sao recentes e marcam o Estado Moderno.
      São todos pós-revolução francesa, oriundos de interpretações da obra do abade Seyes, “Qu’est-ce que le Tier État?”. Disso veio o conceito de nação.

      O conceito de Estado vem do iluminismo Kantiano, com suas sínteses homogeneizadoras, justificando a crítica de Nietzsche e Heiddeger no sentido de que o nacionalismo era uma invenção que obliterava culturas preexistentes.

      Não estou afirmando que tal visão é certa ou errada, apenas que o outro colega está corretíssimo… No feudalismo medieval não conhecíamos esses conceitos. Eles são recentes quando cotejados com a história da sociedade (revolução agrícola neolítica).

  3. O que via quando fazia essas Seleções pela MB, os jovens estavam desinteressados porque não Enganjava definitivamente e não havia promoção. A maioria não queria por esse motivo. Preferiam seguir Outros ofícios.

    1. Pessoal colocando culpa nas instituições, primeiro ponto quem apanhou da PM geralmente não quer servir, segundo ponto está claro que nesta avaliação o interesse dos JOVENS de mudar de cidade e visível, quem vai querer sair de Passo Fundo para ir a Alegrete e passar um ano ganhando um salário mínimo… caramba é uma matemática simples…apenas irão os que realmente tem perfil de serem militar ou sem uma mínima qualificação.

  4. Verdade, salário ruim, escala de serviço ruim, realmente e perda de tempo, esta e uma realidade nua e crua, os tempos mudaram pra pior, acorda Brasil

  5. Condições precárias de serviço, Humilhação, trabalho sem finalidade, pintar meio fio, pintar muro, Formaturas para ouvir merda, coisas inúteis e sem fundamentos, idolatrar oficiais e muita muita babaquice.

  6. Hoje comemoramos o Dia do Exército, Uns com champanhe e carnes nobres, outros com um acanhado aperto de mão. Os primeiros que tanto contribuíram para manchar a imagem da instituição, com arrogância, com dois, três Contracheques, com Escândalos, com manchetes negativas fazendo a população desacreditar de SEU Exército e da competência daqueles que o compõe, da Desfaçatez, da omissão, dos valores castrenses vilipendiados por eles e, os segundos, que labutam Dia e noite nos quartéis deste Brasil, dedicando-se a Pátria como sacerdócio, vibrando, treinando, se preparando, se adestrando, correndo perigos constantes, preocupando-se com sua condição física, com seu uniforme, com seu Nome, vivendo valores castrenses, formando jovens, Soldados e Oficiais, que tem seus direitos sucumbidos, seu interstício aumentado, sua ficha desconsiderada, seu Soldo achatado, sua existência esquecida, que não se metem em política partidária, estes, honram seu Exército com um aperto de mão.

  7. Materia mentisosa. todos os anos varios ev dao baixo porque nao tem vaga para engajar. entrevistam um cara de uma junta militar de uma cidade que nem oM tem. e claro que o jovem nao vai querer sair de perto da familia pra ir pra servir em outra cidade. se tivesse quartel na sua cidade certamente ele seria voluntario, reportagem sem fundamento.

  8. Sinceramente acho eu que uma PL do Poder Legislativo, poderia mudar o Serviço Militar Obrigatório, para Concurso Público, ofertando melhores Soldos e futuras Promoções, é claro que toda a carreira seria valorizada, e o Interesse dos Jovens de 18 Anos voltaria, afinal é o Inicio da MERITROCRACIA, que é a base das forças armadas. Apenas uma Opinião.

  9. SERVIR COMO MARINHEIRO-RECRUTA ( MN-RC), SOLDADO DO EXÉRCITO OU DA AERONÁUTICA É ATRASO DE VIDA E PERDA DE TEMPO, SALÁRIOS PÉSSIMOS E ESCALA DE SERVIÇO APERTADA 2 X 1.

    AGORA COMEÇAR A VIDA CONCURSADO, EXEMPLO SARGENTO DO EXÉRCITO OU DA AERONÁUTICA, OFICIAL DA MARINHA ( COLÉGIO NAVAL/ ESCOLA NAVAL) CADETE DO EXÉRCITO ( ESPCEX) OU OFICIAL DA AERONÁUTICA ( EPCAR/ AFA) É OUTRA COISA.

    TENHO POUCA EXPERIÊNCIA COMEÇEI A CARREIRA COMO SOLDADO FUZILEIRO NAVAL, CABO, TERCEIRO SARGENTO E SEGUNDO SARGENTO E PRESTEI CONCURSO PARA OFICIAL AUXILIAR TERMINEI MINHA CARREIRA APÓS 40 ANOS COMO OFICIAL SUPERIOR (CAPITÃO DE CORVETA).

    FALTA ORIENTAÇÕES PARA NOSSOS JOVENS.

    MUITOS SÓ PRECISAM DE UM NORTE.

    HOJE NOSSOS JOVENS TEM UMA COISA CHAMADA INTERNET, USADA PARA O BEM, CONQUISTA TUDO.

    ADSUMUS

  10. Alguns dirão que militares praças tem um bom Salário, talvez sim, mas Desconhecem a quantidade de descontos no contra cheque. Um Suboficial, por exemplo, tem desconto de mais de mil reais só de IR, isso todos os meses do ano. Juntando com Pensão militar, fusma, Fusex, Moradia, Poupex…, Vira uma mixaria.

  11. infelizmente há um abismo no tratamento entre recrutas e soldados e de soltados para subs, e subs para oficiais.
    Pior: Muitas das tradições das FFAAs que continuam cimentando essas diferenças e esse tratamento mais ríspido para os não graduados não fazem mais sentido, mas, tal qual no experimento dos macacos que são punidos com jatos de água fria, o mesmo vem se perpetuando há gerações.
    Sinceramente, ou o EB investe em um plano de carreira para todos, ou permanecerá uma carreira atrativa. Muitos dos adestramentos pelos quais um recruta tem que passar não servem a nada, salvo a aumentar o risco de lesões, humilhá-lo e cansá-lo.
    E depois de suportar tal tratamento por oito anos, vai para a rua.
    Lembro no meu tempo de obrigatório que um recruta que morava aqui perto recebeu a notícia que a casa onde ele e a mãe moravam fora inundada. A mãe foi morar com sua tia no interior. Ele pediu para ficar como laranjeira no quartel. Primeiro, foi permitido, mas, como não tinha colchão, ele comprou um. No dia seguinte que ele chegou com o colchão. No outro dia, foi pro TFM, ao retornar, foi informado que o colchão fora levado pelo Sgto. MATBEL e que ele não poderia residir no quartel porque não havia vaga, havia lista pipipi popopo.
    Eu já perdi rancho porque cheguei literalmente um minuto atrasado.
    Há vários serviços que estão disponíveis apenas para alguns (ex: academia, isso quando o quartel tem, Como Se Manter A Forma Física Não Fosse De Interesse De Todos….).
    Enquanto isso, há oficiais residindo em vilas militares, com guarda e motorista, pagando uns 5% do soldo só.
    Sinceramente, não vale a pena.
    E se você for concursado, me faça um favor e tente mudar isso. Ao menos não trate o recruta e o soldado como seu capacho.

    1. errata: “Sinceramente, ou o EB investe em um plano de carreira para todos, ou permanecerá uma carreira NÃO atrativa.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo