DF: relator da CPI dos atos de vandalismo quer ouvir o ex-chefe do Comando Militar do Planalto

O General Dutra era o comandante militar do Planalto em 8/1 (Imagem: CMP)

Deputado Hermeto apresentou o requerimento para convocar o general

Francine Marquez

Brasília – O deputado Hermeto (MDB) apresentou nesta terça-feira (21), um requerimento para convocar o ex-chefe do Comando Militar do Planalto para prestar depoimento na CPI dos Atos Antidemocráticos, na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). O pedido ainda precisa ser aprovado pelos demais integrantes do colegiado.

“A convocação do General Gustavo Henrique Dutra de Menezes, ex-chefe do Comando Militar do Planalto, para prestar os devidos esclarecimentos sobre os fatos ocorridos em 12 de dezembro de 2022 e 08 de janeiro de 2023”.

Dutra era chefe do Comando Militar do Planalto, responsável pelo Quartel-General do Exército em Brasília, onde apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro ficaram acampados por mais de dois meses.

No documento, o distrital ressalta a importância dessa convocação, tendo em vista o depoimento do ex-comandante de Operações especiais da Polícia Militar do DF (PMDF) coronel Jorge Eduardo Naime que afirmou que o Exército dificultou as ações da PM.

“Em seu depoimento para a CPI, o chefe do Batalhão de Operações da PMDF, coronel Naime, apontou várias dificuldades que teve com o Exército ao tentar desmobilizar o acampamento montado no Setor Militar Urbano, que abrigou vários golpistas. No dia 8/1 também houveram ações ligadas ao Exército que atrapalhou o trabalho da PM. Segundo Naime, a manutenção do acampamento foi um dos principais motivos para os atos do dia 12/12 e do dia 8/1. Precisamos ouvir o responsável pela área para saber se isso procede e entender o porquê” deputado distrital Hermeto.

Próximos depoimentos na CPI dos Atos Antidemocráticos

Na quinta-feira (23), os deputados distritais vão interrogar o ex-Secretário de Estado de Segurança Pública do DF, Júlio de Souza Danilo e o Tenente-Coronel da Polícia Militar do DF, Jorge Henrique da Silva Pinto.

DIÁRIO DO PODER/montedo.com

3 respostas

  1. Melhor pijamar esse “velha guarda” e deixá-lo responder sozinho, pois e capaz, ainda, de acionar a AGU para defendê-lo com a alegação de que estava a Serviço, ideia que já Foi rechaçada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo