Exército abriu sindicância para apurar conduta de militares da ativa em 8/1

Foto: Sérgio Lima/ AFP

Carla Araújo e Leonardo Martins
Do UOL, em Brasília

O Exército brasileiro abriu duas sindicâncias (investigações internas) para apurar omissão ou participação de militares da ativa nos atos golpistas de 8 de janeiro. Elas foram abertas a pedido do comandante do Exército, general Tomás Paiva, e serão tocadas pelo Comando Militar do Planalto.

As sindicâncias têm como objetivo mostrar ao governo federal que, sob o novo comando, o Exército não será leniente com eventuais condutas equivocadas de militares. Tomás Paiva foi nomeado para o cargo pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em janeiro.

Ele tem dito aos pares que todos os militares podem ser ouvidos como testemunhas nos inquéritos em andamento e podem ser investigados. Justamente por isso, o comandante fez chegar ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes que não criaria obstáculos para que militares envolvidos nos atos sejam julgados como civis.

Alguns generais dizem que esse tipo de atitude pode incomodar integrantes da reserva, já que historicamente os militares agem de forma corporativista e procuram manter os casos na Justiça Militar.

Apesar disso, de acordo com integrantes do Alto Comando, o general Tomás tem afirmado que o resultado das investigações internas pode se somar às outras frentes de investigação. O comandante tenta deixar claro que o Exército não será mais conivente com possíveis crimes.

A reportagem apurou com fontes na Polícia Federal que dezenas de militares da ativa passaram a ser investigados após o ato golpista. A principal suspeita é de omissão, ao não agirem para impedir a destruição das sedes dos três Poderes, principalmente do Palácio do Planalto.

Três IPMs (Inquéritos Policial-Militares) foram encaminhados pelo Ministério Público Militar ao Supremo Tribunal Federal. Um deles, segundo apurou UOL, investiga a atuação da tropa do Exército de plantão no Planalto no dia da invasão.

Integrantes do Regime de Cavalaria de Guarda e do Batalhão da Guarda Presidencial, compostos por militares da ativa, estão sendo ouvidos. Outros dois inquéritos analisam insultos proferidos por militares contra colegas de farda de patente superior.

Um depoimento obtido pela colunista do UOL Carolina Brígido relata que um servidor da Polícia Federal que estava no Palácio do Planalto durante os ataques de 8 de janeiro disse que militares escoltaram os golpistas que depredaram o local até a saída de emergência, para evitar que fossem presos.

Generais ouvidos pela reportagem, no entanto, minimizaram o depoimento do policial federal. A avaliação é que se trata de apenas um depoimento, com “uma versão”, e que há diversas apurações em andamento. No depoimento, o policial federal diz, no entanto, “que vários manifestantes ficavam no local afirmando que o Exército os estava protegendo”.

Em nota enviada ao UOL, o Exército Brasileiro (EB) diz que “as investigações estão sendo conduzidas pelas autoridades competentes e a Força tem atendido prontamente a todas as solicitações, notadamente, pelo encaminhamento dos Inquéritos Policiais Militares ao MPM, com cópia ao STF”.

“O Exército Brasileiro reafirma o seu compromisso institucional com a apuração de todos os fatos a fim de proporcionar amplo acesso da sociedade aos acontecimentos. O Exército sempre pautou suas ações pela legalidade e, nesse episódio recente da nossa história, não será diferente”, diz a nota.

UOL/montedo.com

14 respostas

  1. Tomás Paiva foi nomeado para o cargo pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em janeiro, por indicação de Alexandre de Moraes. Mas a CPI vai pedir a liberação dos vídeos e será feita pericia para confirmar se foram editados. Enquanto isso Lula estava bem longe com um decreto prontinho, com normas legais e constitucionais muito bem estudadas, coisa que levaria muito tempo para fazer. E o Dino, olha pela janela e não faz nada. E 48 mensagens foram enviadas aos órgãos de segurança, e ninguém fez nada. Quem paga o pato estava longe de tudo isso e está preso. É para rir ou chorar?

    1. Isso! Foi tudo armação da Grobu! Usaram figurantes e edição do Hans donner, igual fazia Stalin na URSS! E o Dino? este já era conhecido há tempos em sua parceria com a Grobu, sendo até o principal membro da Família Dinossauro! Usava até uma maquiagem para ficar mais bonito! Mas logo a máscara irá cair e será descoberta a falcatrua que ocorreu na eleição com as urnas fornecidas pelo Mercado Livre fabricadas no Zimbabue e com tecnologia do Afeganistão! Malditos comunistas infiltrados, malditos!

      1. Kkkkk. É rir para não chorar, pois há muitos colegas de farda que ainda acreditam nas Teorias da Conspiração de blogs bolsonaristas. É inacreditável, pois pessoas que conheço há muitos anos, apoiaram os atos mais insanos do Arruaçeiro-mor.

  2. Um dia Estou almoçando em um restaurante em Brasília e, de repente, adentra o local, quatro sujeitos armados até os dentes, porta tudo na cintura, boot de última geração e um uniforme que julguei de início ser farda. Perguntei: quem são estes? Respondeu um amigo: polícia legislativa. Pensei: devem ser o cão chupando manga…agora vendo esta cena da viatura fora de Combate me veio a lembrança.

  3. O Comandante do EB querendo fazer o certo e o pessoal da RRM querendo jogar tudo para debaixo do tapete, lembremos-nos que tudo começou por conta dos generais inativos do Planalto, do dito ex-presRep. Capitão Ref° insano e demais assessores. Realmente, somente esses que se corporativismo estão certos e os certos estão errados.

  4. Ninguém quer pagar pelos atos praticados, é sempre a mesma retórica. Inclusive, agora, está cheio de “arrependidos”.
    Para ter fim esse assunto, tem de indentificar e responsabilizar quem participou, ou quem foi omisso. Uma vez identificados, processo legal e punição.
    Chega de passar pano, chega de corporativismo, não dá para aturar, a sociedade quer respostas e devemos dar.

  5. Estava escrito nas estrelas? Foram 4 anos de ataques sistemáticos midiáticos, judiciais e eleitorais a Bolsonaro com adjetivos projetados, preparados, planejados, para que houvesse condescendência com o atual governo: Corrupto, rei das rachadinhas, ladrão, genocida, miliciano, homofóbico, etc.

  6. O judiciário é cheio de surpresas……

    Nunca se sabe qual será a decisão final do judiciário.

    foram enganados por políticos, de qualquer forma todos são responsáveis por seus atos e devem responder por eles.

    “valendo ressaltar que a carreira de praça encerra-se
    na graduação de Subtenente, donde se extrai a impossibilidade de o
    Subtenente galgar promoção à graduação de 2° Tenente, dado que as praças
    pertencem ao quadro de carreiras da estrutura militar, mas integram
    carreira distinta do oficialato.

    Dessa forma, a promoção, almejada pela impetrante, ao Posto
    seguinte da carreira militar (2º Tenente), reservada ao Quadro de
    Oficiais, não é possível, porquanto ensejaria transposição de carreira
    do servidor militar, que somente é acessível mediante a prévia aprovação
    em concurso público, nos termos do artigo 37, inciso II, da Constituição
    Federal.

    A propósito, a pretensão do impetrante encontra vedação expressa
    na Súmula Vinculante nº 43, do excelso Supremo Tribunal Federal, que
    traz a seguinte disposição:

    Súmula Vinculante nº 43, STF: É inconstitucional toda modalidade de
    provimento que propicie ao servidor investir-se, sem prévia
    aprovação em concurso público destinado ao seu provimento, em cargo
    que não integra a carreira na qual anteriormente investido.

    Não é outro o posicionamento adotado pela excelsa Suprema Corte,
    bem como por este Tribunal de Justiça,”

  7. Clube Militar desafia posição do Comandante do Exército e agenda comemorações do 31 de março de 1964
    por Sociedade Militar 11/03/2023

    Sem entrar no mérito. Quem a vida inteira alegou a hierarquia e a disciplina até para entrar na frente na fila do banco, sustentáculo da instituição como as pernas sustentam o corpo, arautos dos valores militares hoje, vão descumprir ordem do comandante?

    OU os valores militares podem ser relativisados?

    Ou, quando os cabelos tornam-se brancos, cada um obedece sua consciência?

    Esses são os liberais pra eles mesmos, só pra eles mesmos.

    1. Daqui a pouco vão relativizar o 7 de setembro, o 15 de novembro, entre outras datas históricas como já fizeram com denominação de próprios públicos. Imagine, aqui em Maricá, Che Guevara, um assassino, tem nome em prédio publico. Que seara estranha estão construindo!

      1. Rasga-se a Constituição, expulsa e persegue os “inimigos” e depois, com a maior cara-de pau, acha que todos tem a obrigação de comemorar, fala sério.
        O mínimo que essa gente deveria fazer era colocar a viola no saco e ficar quieta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo