Deputado do PT começa a buscar apoio a projeto que provoca militares

O deputado Carlos Zarattini (PT-SP). (Gustavo Bezerra/PT/Divulgação)

Proposta de Emenda Constitucional para revisar o artigo 142 não foi bem vista na caserna

Ramiro Brites

O deputado Carlos Zarattini (PT-SP) começou na semana passada a coletar assinaturas para a PEC que altera o artigo 142 da Constituição. O projeto prevê retirar a Garantia da Lei e da Ordem da responsabilidade das Forças Armadas, de modo que a GLO seria atribuição dos órgãos de Segurança Pública.

A PEC também determina que militares devem ir para reserva, caso tenham aspirações políticas e concorram em eleições. Ao Radar, o deputado afirmou que as Forças Armadas devem focar nos cuidados “da segurança territorial e soberania nacional”.

“Em primeiro lugar acaba essa confusão, essa ideia que a extrema-direita divulga, que os militares exercem algum tipo de poder moderador. Segundo lugar, os militares não têm preparo para essas atividades de Segurança Pública”, disse o deputado.

“Essas operações que fizeram na Favela da Maré, Rio de Janeiro, isso tudo foi inócuo, não teve nenhum efeito. Continua as milícias mandando no Rio, continua a mesma coisa”, seguiu.

A proposta pegou mal na caserna, conforme mostrou o Radar, na edição de VEJA que está nas bancas. Lula e o ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, chegaram a ter uma conversa para apaziguar a situação. A ideia é manter os militares calmos, movimento que afastaria o bolsonarismo dos holofotes e geraria ganhos políticos ao presidente. O petista se comprometeu em intervir.

RADAR(veja)/montedo.com

14 respostas

  1. Para acalmar é só dar um reajuste nos soldos.
    A reestruturação só beneficiou oficiais Superiores e Generais.
    De capitão para baixo o fumo desceu.

  2. Primeiro Lugar, é so dar reajuste aos pracinhas, segundo que amamos o fato de não ter mais o papel constitucional de cobrir furo de PM quando estes decidem fazer greve.

  3. Duvido que apareça algum deputado com um projeto para que todos os deputados e senadores paguem do próprio bolso a sua gasolina, a sua fatura de telefone, as suas passagens para seus estados, os seus planos de saúde…

  4. Ao caro deputado,

    As FFAA ficaram por um período no complexo da MARÉ/Rio de Janeiro/RJ e tudo continua como antes. Ok.

    Então explique a população que a PMERJ está lá deste que é PMERJ e tudo continua como antes: MILÍCIA, TRÁFICO, ROUBOS, MARGINAIS ANDANDO ARMADOS NAS RUAS DO complexo da Maré…. a porra toda. oK.

    faz uma emenda em algum lugar, pois a que está lá está toda rasgada…. kkkkkk

  5. As ações de GLO foram todas a pedido de alguma instância governamental e não por iniciativa das FA. Na realidade o que se irá retirar e o poder da esfera política de acionar as FA para estancar problemas sob sua responsabilidade.

    1. Alterar o artigo 142? Depende do texto. Eu particularmente sempre fui contra das forças armadas entrarem e operações GLO. Sinceramente acho mais positivo que negativo.

  6. O que Você fala é meio grave e desprovido de qualquer bom senso. Se as operações no rio de janeiro não surtiram efeito, podemos enumerar vários motivos, entre eles a inação de Políticos corruptos e os desvios de recursos (políticos estes escolhidos por um povo que tem as mesmas características imorais), o abandono das pessoas menos favorecidas por parte dos mesmos governantes supramencionados, a não continuidade de projetos que estavam dando certo, regras de engajamento que amarraram as Mãos da tropa (aí sim podemos culpas as Forças Armadas), leis fracas e um povo que vende sua dignidade por cesta básica, gatonet e churrascada gratuita. O Haiti é a mesma coisa: gostam de viver na lama e precisam de alguém com força maior para colocá-los no caminho correto ( aconteceu a mesma coisa com o Afeganistão, onde americanos Ficaram lá por duas décadas e quando saíram, na primeira oportunidade, desistiram de lutar e entregaram o poder ao taleban, pois gostam de viver sob o jugo de alguém mais forte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo