Comandante do Exército criticou Bolsonaro e disse que golpe resultaria em ‘sangue na rua’; ouça o áudio

General Tomás

Antes de ser nomeado por Lula, Tomás Paiva chamou atos golpistas de 8 de janeiro de ‘coisa infantil, besta, burra e irascível’

Dias antes de ser nomeado comandante do Exército pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o general Tomás Miguel Miné Ribeiro Paiva fez uma palestra no Comando Militar do Sudeste em que afirmou que uma tentativa de golpe resultaria em “sangue na rua” e transformaria o Brasil em um pária internacional. No mesmo discurso, ele acusou o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) de tentar instrumentalizar o Exército, negou a tese de fraude nas urnas eletrônicas e chamou os eventos do dia 8 de janeiro de “coisa infantil, besta, burra e irascível”.

A tônica da fala de Paiva foi uma crítica à politização das Forças Armadas, reforçando o caráter de instituição de Estado, não de governo. O general afirmou ser preciso combater os “extremos dos dois lados” e chamou os manifestantes que invadiram as sedes dos três Poderes de “malucos” e “vândalos”.
“É um cara que entrou numa espiral de fanatismo que não se sustenta. O que produziu? Ia derrubar o governo assim? O Supremo muda? Todo mundo se comunica e julga por sistema online. Se jogar uma bomba no palácio, ele vai despachar de outro. Que coisa infantil, besta, burra, irascível”.

As declarações foram feitas no dia 18 de janeiro, em uma cerimônia em homenagem aos militares mortos no terremoto de 2010 no Haiti, e reveladas pelo podcast Roteirices. Antes de iniciar sua fala, Paiva advertiu que não queria ser gravado: “Eu me recuso a ter que pedir para o pessoal para deixar o celular fora, porque eu tenho plena confiança naqueles que são meus comandantes de unidade. Então eu peço que ninguém grave nada”, afirmou.

Paiva também comentou mensagens que militares passaram a receber nas redes sociais após a vitória de Lula, pedindo que as Forças Armadas tivessem “coragem” para evitar que o presidente eleito tomasse posse.

“Intervenção militar com Bolsonaro presidente. Impossível de fazer. Imagina se a gente tivesse embarcado em uma aventura. Vocês viram a repercussão mundial. A gente não sobreviveria como país. A moeda explodiria, a gente ia levar um bloqueio econômico jamais visto. Você ia ficar pária, e o povo ia sofrer as consequências. Ia ter sangue na rua (…) Coragem é o reverso. Coragem é se manter instituição de Estado, mesmo que custe alguma coisa de credibilidade e popularidade”, afirmou o general.

O general defendeu o então comandante do Exército, Júlio César Arruda, a quem ele substituiria dias depois, e afirmou que faltou ordem de Lula para esvaziar os acampamentos bolsonaristas antes do dia 8 de janeiro. “De 1º de janeiro até o dia 8, quem era o governo? E qual a ordem recebida para retirar (os manifestantes)? Nenhuma. Não teve ordem. Porque a expectativa era que o movimento ia naturalmente dissolver”, disse.

“O general Arruda fez o certo. Eu faria a mesma coisa. Impediu que entrassem no acampamento para prender as pessoas à noite. Ia rolar sangue. Tudo o que ocorreu no dia 8 em Brasília está sendo apurado via inquérito. ‘Ah general, tinha cara nosso’. Todo o mundo viu as imagens. O coronel (Adriano) Testoni, todo mundo viu imagem do general da reserva. Se ele fez coisa errada, vai ser responsabilizado e faz parte do processo de apuração normal”, disse.

Como mostrou o Estadão, o coronel Testoni participou da marcha na Esplanada dos Ministérios no dia 8 de janeiro e divulgou dois vídeos em suas redes sociais ofendendo o Exército e xingando generais do Alto Comando.

Foi aberto um Inquérito Policial-Militar (IPM) para apurar fatos relacionados ao ataque às sedes dos três Poderes e o coronel da reserva Adriano Camargo Testoni foi indiciado por injúria contra os integrantes do Alto Comando da Força Terrestre e por ofensa contra as Forças Armadas, ambos crimes previstos no Código Penal Militar. Pelos crimes em suas formas agravadas, o oficial pode pegar até 2 anos de prisão.

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), abriu nesta segunda-feira, 27, uma investigação sobre a participação de policiais militares e membros das Forças Armadas nos atos golpistas do dia 8 de janeiro. A decisão põe fim ao debate sobre quem teria a atribuição para processar e julgar os militares envolvidos nos protestos extremistas na Praça dos Três Poderes: a Justiça Militar ou a Justiça comum. Relator das investigações sobre o 8 de janeiro, Moraes definiu que a competência é do STF.

‘Exército não tem partido’
Na gravação do dia 18 de janeiro, Paiva afirmou, ainda, que o “pessoal da extrema direita” estava corroendo as Forças Armadas, inclusive dentro da própria instituição. “O pessoal da extrema direita, que incluo pessoal nosso, está permitindo que nos ataquem, inclusive tentando destruir cadeia de comando”.

Paiva também defendeu que o Exército não pode sucumbir a posicionamentos político-partidários. “O Exército não tem partido. Isso tem de ser um mantra. Se a gente permitir que o Exército fique partidário, é o começo da nossa derrocada. Quem permite que a instituição vire partidária é a Polícia Militar, e ela sofre as consequências disso”, disse.
TERRA/montedo.com

Ouça o áudio completo

ROTEIRICES

20 respostas

  1. O povo Patriota clamou nas portas dos quartéis por 2 meses com as suas familias, deixando o conforto dos seus lares e foram traídos e entregues para os bandidos. Esse País vai colher mal por omissão das FFAA.

    Hoje, não tem o respeito da sociedade trabalhadora que movem esse Pais no trabalho, na economia …

    O Mito confiou demais, o grande Olavo de Carvalho alertou Sobre os generais no início do governo do Mito, que não ia poder contar com eles na necessidade. pareceu ser um vidente.

    O Bolsonaro achou que aprovando a Lei da Restruturacao, agradando a Cúpula e suas viúvas, ficaria bem e poderia contar com eles. Pobres praças e suas viúvas que se lascaram.

    Por último, somos militares ou funcionários públicos? O combate, a morte faz parte da vida de quem veste uma farda, Morrem PM todos os Dias. Juramos defender a Pátria contra o perigo. O povo clamou.

    1. Infelizmente, o Gen Tomás está certo em muita coisa.
      Se o governo Lula está ai na base do golpe do judiciário, daqui a pouco cai de tão ruim.
      Sem dúvida, receberíamos sanções econômicas q destruiriam o Brasil. Tudo quanto é país q fazemos comercio são de esquerda… nossa economia iria quebrar muito mais forte q na pandemia ou greve de caminhoneiros.
      Alem disso, MST, MTST, CV, PCC todos ligados a esquerda iam tocar o horror, nos levando a uma guerra civil, na qual as FFAA teriam q ser muito duras.
      No final, seri abem pior e a credibilidade das FFAA iria cair da mesma forma.

  2. Certinho Comandante! Deu um basta nos aloprados. Já perceberam que a paz está voltando ao país ? Quatro anos sendo governado por aloprados, centrão etc..

  3. Acho que o atual CMTE do EB ainda vai ficar durante um bom tempo na mídia. Só não sei dizer se isso será bom ou ruim. A inexorável marcha dos fatos é que dizer.

  4. Queria saber se Patriotas tem tempo de ficar 2 meses sem trabalhar? Como disse alguém os verdadeiros Patriotas que movimentam o país tem que trabalhar, pois eles sustentam as famílias e aceitam democracia. Os verdadeiros Patriotas não pedem intervenção militar, pois sabe que 60 milhões são mais que 58 milhões. Os verdadeiros Patriotas não quebram patrimônio Público. os verdadeiros Patriotas não tem tempo e se chega final de semana e se não tiverem também trabalhar vão é cuidar da família ou os que são Patriotas e queriam ajudar podiam ter ido ajudar os índios Ianomâmis que o ex presidente deixou largado as traças ou podiam ter ido fazer comida e ter distribuído ao povo da rua , pois sou testemunho que vi muita mais gente pedindo cada dia na frente dos supermercados no governo Bolsonaro e porque e porque os Patriotas não foram distribuídos comida? Porque não foram ajudar e distribuir comida ao pessoal de Familiares que estão internados No asilo e assim por Diante etc… pois os Verdadeiros Patriotas que realmente Movimentam esse país não são que atendem contra a constituição E a lei e sim que a respeitam. Esses que ficaram acampados aí na frente dos quartéis assim como os que foram coniventes com eles realmente tem ser enquadrados e punidos a rigor da lei e dar exemplo ao povo. Pois nada mudou o errado continua sendo o errado e o certo continua sendo o certo. por isso são chamados e conhecidos como patriotarios.

  5. Vocês não entenderam nada! Com a prisão, Lula viu sua carreira política arruinada! O que fazer? Foi tramado um plano ardiloso lançando a candidatura de um ex-eleitor seu, Jair Bolsonaro, para que ele pudesse voltar ao poder, o que só seria possível com a eleição de um presidente totalmente despreparado, para que Lula fosse apoiado para o retorno, inclusive por ministros do STF indicados pelo presidente! Com os resultados do 1º turno das eleições e uma possível falha no plano, os dois candidatos se reuniram nas sombras para acertar a vitória de Lula. Bob Jef, que já havia participado do mensalão topou a empreitada, metralhando e lançando granadas na PF, Zambelli correndo de arma em punho no centro de SP e Bolsonaro ofendendo os nordestinos e “pintando um clima” com menores. E acabou dando certo! O resto foi feito pela militância…

  6. Que comandante é esse? Fala sério! O Golpe já foi dado durante a soltura de um Condenado pelo seu amigo Magistrado. Pelo visto, nota-se claramente que o “nobre” General já está dominado pelo suposto poder e sua soberba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo