General do Alto Comando diz que ‘insultos’ e ‘ataques a reputações’ buscam ‘atingir a coesão’ do Exército

general_richard

Comandante militar do Nordeste, Richard Nunes foi secretário de Segurança do Rio nomeado por Braga Netto, então interventor e posteriormente candidato a vice de Bolsonaro na chapa derrotada

Luã Marinatto

Comandante militar do Nordeste, o general Richard Fernandez Nunes publicou um artigo no qual defende que um “inconformismo com a tradicional postura legalista e de neutralidade do Exército” vem ocasionando “ataques a reputações típicos de regimes totalitários” e “insultos a camaradas de longa data”. O objetivo dessas práticas, de acordo com o oficial do Alto Comando, seria “tentar atingir a coesão da Força, em flagrante traição ao sacrossanto respeito à hierarquia e à disciplina”.

O texto foi publicado na semana passada em um espaço destinado a blogs no site do próprio Exército. “A excessiva polarização da sociedade e a atuação dos extremos do espectro ideológico no ambiente informacional têm gerado visões radicais, resultando num círculo vicioso de intolerância e de absoluta ausência de diálogo”, discorre Richard Nunes. “Essa situação é inaceitável aos membros de uma instituição apartidária, que se orgulha de oferecer oportunidades a todos os brasileiros, sem distinção de classe social, raça, gênero e credo”, prossegue o general.

As afirmações de Nunes fazem parte de um artigo chamado “O mundo PSIC e a Ética Militar” — o acrônimo criado pelo oficial refere-se aos termos “precipitação”, “superficialidade”, “imediatismo” e “conturbação”, que seriam, segundo ele, características marcantes do universo tecnológico moderno. “É exatamente na dimensão informacional que temos assistido a condutas em desacordo com a ética militar por parte daqueles que, por indignação, ingenuidade, desconhecimento e, até mesmo, má-fé, têm contribuído para disseminar a desinformação, a relativização de valores e, consequentemente, a desunião que enfraquece o espírito de corpo”, pontua o general, correlacionando a própria teoria ao tom de reprimenda que marca o texto.

Escolhido após crise: Saiba quem é o novo comandante do Exército, Tomás Miguel Ribeiro Paiva
“A precipitação é marca típica desse ambiente repleto de meias-verdades e fake news, onde se disparam e replicam mensagens sem a menor preocupação com a veracidade dos fatos e a idoneidade das fontes”, analisa Richard Nunes, que continua: “Toma-se como verdade, de modo absolutamente irresponsável, conteúdos com juízos de valor destinados ao ataque a reputações e à crítica a decisões dos escalões superiores”. Ele arremata: “A um militar que se preza não se permite essa falta de cuidado e de lealdade para com a instituição a que serve”.

Em 2018, Richard Nunes foi nomeado secretário de Segurança do estado do Rio pelo também general Walter Souza Braga Netto, à época comandante militar do Leste e interventor na Segurança fluminense escolhido pelo então presidente Michel Temer. No governo seguinte, de Jair Bolsonaro, Braga Netto foi ministro da Casa Civil e da Defesa, além de candidato a vice na chapa derrotada na busca pela reeleição.

Durante e depois das eleições, ao lado de outros oficiais graduados que não aderiram a anseios golpistas, Richard Nunes tornou-se alvo das articulações digitais bolsonaristas, sofrendo uma série de ataques nas redes. Em seu artigo, o general também recrimina a “divulgação de memes difamatórios” e os “vazamentos” de “supostas informações”.

O governo Lula vivenciou, em seu primeiro mês, uma série de tensões com as Forças Armadas, sobretudo o Exército. Além das suspeitas de leniência de militares nos atos antidemocráticos de 8 de janeiro, quando as sedes dos três Poderes foram invadidas e depredas em Brasília por apoiadores do ex-presidente, o petista chegou a trocar o comandante do Exército menos de um mês após escolher o general Júlio César de Arruda para o posto. Ele acabou substituído, no fim de janeiro, pelo general Tomás Miguel Ribeiro Paiva — outro nome que sofreu com os constantes ataques digitais.

O Globo/montedo.com

20 respostas

  1. Aqui no Rio de Janeiro pelo que vi no dia a dia, estimo que 60% dos Praças ( , acochambradores , Cachaceiros,sem CHQAO e Indisciplinados ) votaram no Presidiário por pura falta de caráter e como sinal de revolta,e Agora Esses praças são S-2
    – Sem aumento
    – Sem picanha
    😂😂😂😂😁 kkkk

    1. E você acha que as coisas se faz de noite para o dia? A lei 13.954. Já tem audiência pública marcado com esse pessoal e o ministro da defesa e o ministro da defesa já se reuniu com o pessoal e segundo informações vão fazer correções na lei logo e não vai ficar na promessa de general e na mentira do ex-presidente Jair Messias Bolsonaro o falso Messias o 171 o Espalhador de fakes, ódio. Aguarde a resposta virá logo sobre a traição da lei 13.954. O tempo vai estar logo batendo aí. O tempo é o senhor absoluto da razão.

      1. Decréscimo,
        Já havia visto cago falando, repetindo palavras e frases.
        Agora, digitando, não, vc é o primeiro:
        – “esse pessoal e o ministro da defesa e o ministro da defesa já…”.
        Você e seu companheiro de Marinha, o “Uma Ode Ao Ódio”:
        – são parada dura.
        Jesuxxx!

        1. Menino, repetir não tem problema nenhum. O problema quem trouxe foi o fujão, que Biden vai meter em breve o pé na bunda e espero que volte logo, na CPI COVID consta o nome dele.

      2. Sabe qual é o problema Decréscimo:
        – você e o Juruna Uma Ode ao ódio.
        – e alguns graduados de carreira, ainda não se tocaram que não são estamentos + superiores.
        Quer ganhar como general ou cel EM, entre numa máquina do tempo.
        Retorne há décadas atrás, estude e preste concurso para alguma Academia militar das FFAA.
        Assim, como em todas profissões, terás chances de alcançar melhores remunerações.
        É inacreditável essa sua ladainha desde 2019 aqui no Blog.
        E “audiências públicas” nas diversas Comissões do Congresso ocorrem diariamente aos milhões.
        Como nossos “Grupos de Estudos” que não levam a nenhum lugar, fato!
        Francamente, acreditar em Erika Kokay do PT e Glauber Braga do PSOL:
        – é muita imaturidade e desespero.
        “A verdade dói, a mentira mata, mas a dúvida tortura”.
        Sinto muito em te dizer isso, eu sei que vai doer:
        – A verdade dói só uma vez.
        Não haverá qualquer mudança na Lei.
        Acorda, Senhor Decréscimo.
        O ‘9 dedos’ não quer qualquer celeuma com os Comandantes das Forças e Alto Cmdo FFAA.
        Principalmente, qualquer alteração na Reestruturação da carreira-DELES.
        Promoções a Subtenente sem concurso público e curso de Aperfeiçoamento:
        – só quando o Sgt QE/JURUNA Garcia prender o Zorro.

        1. Bem feito!
          Vai ter que dormir com um barulho desses.
          Uma vergonha essas Chorumes diários, é muito ‘mi mi mi’.
          Nunca prestaram serviço público, Aperfeiçoamento: sem comentários.
          E mesmo assim, querem altos índices nos Adicionais, e, pior:
          – Suboficial Juruna ‘Master in…” Adic AE Cat I 78%.
          Muita cara de pau.

      3. Outra coisa, não existe essa falácia, essa fanfarronice de:
        – ‘dar só para si 78%’.
        Não houve 78% de reajuste nos salários dos generais através da Lei 13.954.
        Mentira!
        Fake News!

      4. Continuando.
        No gov “meçianico” foi oferecido um reajuste diferenciado aos ministros do STF.
        De pronto rejeitado pelo seu presidente, que disse:
        – ou é igual pra todos (ativos e inativos), ou não é pra ninguém.
        O lance é que no Judiciário sempre houveram Comandantes.
        Agora, na atual FFAA, NÃO.
        Simplesmente isso.
        Por está razão o mito sancionou a Meritrocrática Lei do general.
        Mas, nem por isso, deixemos de ser realistas e sensatos:
        – desse mato não vai sair cachorro.

    2. Fake “ST” de Engenharia.
      Nem o mais raro militar do Exército digitaria desta forma a abreviatura de Subtenente.
      Isso é mais uma baixaria do asqueroso Uma Ode Ao Ódio Aos “Di Carreira”.

  2. A lei maldita dos generais gananciosos e sem escrúpulos, demonstrou o quanto eles são corporativistas, apegados aos cargos do falso mecias e o quanto tem amor a Prata e Não a Pátria.

    1. Negativo!
      Só e apenas os militares de carreira das FA obtiveram reajustes durante a PANDEMIA.
      Melhor, Apenas Os Militares De Carreira foram contemplados com aumento durante a gestão anterior.
      Se não fosse a Reestruturação da carreira, estaríamos muito pior.
      A Lei 13.954/19 é o melhor dos mundos: não, porém sem ela a situação estaria insuportável.
      Apenas os estamentos + superiores com cursos de Altos Estudos (ativa/reserva) foram altamente beneficiados, sim, é verdade.
      Porém, não se pode dizer que a “lei é maldita”.
      Parcela dos graduados da ativa, também, correndo atrás, alcançarão seus mais altos benefícios.
      Simples, papirou: alcançou.
      Cagou, esperando cair no colo: BARRO!
      O restante das Praças obtiveram parcial vantagem após novas regras.
      Maldita?
      Longe disso.
      Tempo, Senhor Absoluto Da Razão.

  3. Até o ano de 2018 tínhamos reputação perante a sociedade, hj temos que ficar ouvindo gracinhas por conta dos maus Militares. As Forças não merecem isso, mas infelizmente mais trinta anos pra apagar essa mancha.

  4. Veja a Situação que Bosonaro, colocou minha As Fôrças Armadas, perante o povo, tirei 30 anos no verde oliva, com muito orgulho. Infelismente fomos traido pelo Bolsonaro, praças, reformados, pensionistas e praças da Ativa, espero que o novo Ministro da Defesa, junto com o Comandante do Exército, possa corrigir essa injustiças que sofremos, Afinal temos aluguel para pagar, Familia para sustentar, e estamos 4 anos sem rejuste. Triste não,

  5. “General do Alto Comando diz que ‘insultos’ e ‘ataques a reputações’ buscam ‘atingir a coesão’ do Exército”
    Só para clarear algumas narrativas a coesão, não só do EB, mas das FFAA com um todo foi atingida com a LEI Nº 13.954, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2019; aquela mesma engavetada no gov anterior ao governo Temer.

  6. A Lei 13.954 seria excelente se fosse justa. Ninguém está dizendo que aqueles que tiveram a oportunidade de fazer os denominados ” altos estudos” não podem receber uma porcentagem superior. A maldade está na diferença dos índices, Aperfeiçoamento para altos estudos Jul/23 28%, era 5%. Aqui só citei um exemplo, pois existem discrepâncias na disponibilidade, nos descontos das pensionistas etc.., portanto, a grana que o País disponibilizou para o reajuste dos militares das FFAA foi tomado em benefício de alguns. Se o governo atual não corrigir isso, as próximas reestruturações serão cruéis para os prejudicados.

  7. Pare de falar tantas asneiras.
    Se informe, deixe de tantas fanfarronices, nunca houve:
    – “a grana que o País disponibilizou para o reajuste dos militares…”.
    Negativo!
    Não saiu um real dos Cofres da União para a Reestruturação.
    Tudo dentro do orçamento das FA aprovado no ano anterior.
    Falas como se ministérios do Planejamento e Fazenda/Economia tivesse, por exemplo:
    – disponibilizado 300 milhões para a implantação da Lei 13.954/19.
    Arrego, hein, Decréscimo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo