Sargento do Exército é baleado 4 vezes dentro de casa no DF

Imagem ilustrativa

Um sargento do Exército, de 26 anos, foi baleado quatro vezes na tarde desta segunda-feira (2/1) em sua casa na Vila Estrutural

Jonatas Martins, Felipe Torres, Carlos Carone, Mirelle Pinheiro
Um sargento do Exército foi baleado quatro vezes na tarde desta segunda-feira (2/1). O homem de 26 anos foi atingido pelos disparos dentro de sua própria casa, no setor leste, da Vila Estrutural.

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), os projéteis deixaram ferimentos na região dos glúteos e na perna esquerda. O sargento foi socorrido rapidamente e levado para o Hospital de Base de Brasília consciente, orientado e estável.
Os militares não souberam informar a motivação do crime. Vizinhos testemunharam que ouviram os tiros por volta das 14h40.
Até o momento não há informações sobre a identidade do autor e nem o estado de saúde da vítima.
Na Mira (METRÓPOLES)/montedo.com

8 respostas

  1. “A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que o rompimento de cadeado e a destruição de fechadura de portas da casa da vítima, com o intuito de, mediante uso de arma de fogo, efetuar subtração patrimonial da residência, configuram meros atos preparatórios que impedem a condenação por tentativa de roubo circunstanciado.”

    Portanto, não reajam, espere o ladrão entrar e roubar, ou quando o ladrão atirar em vc.

    1. O correto, para a segurança jurídica dos crimes, corrupção, assassinatos, invasões, narcotráfico, etc, seria estabelecer o Estatuto da Impunidade na CCJ do Congresso, com aval e revisão do STF, perincipalmente para grandes delitos de desvios de dinheiro publico; os pequenos não importam tanto mais, até o desfecho de como estabelecer novas leis, dentro da Constituição sem precisar do Congresso Nacional e sem se preocupar com o que está escrito na Constituição. Seria um grande avanço para nossas instituições, principalmente na hora de escolher nossos representantes, ministros cargos de confiança, etc, dando preferencia para quem já foi condenado.

      1. Estatuto da Impunidade pega mal. Precisa de um nome mais legalista tipo Preservação de Direitos Adquiridos, como já acontece4 com a invasão de propriedades, apenas os conselheiros irão analisar.

    2. Será que um Fundo Garantidor pode ser criado para indenizar o roubo frustrado? É verdade que a policia prende e a justiça solta dando novas oportunidades do cometimento de novos crimes e da finalização de crimes tentados. Nada mais justo, na audiência de custódia, o juiz perguntar: _Quanto vc pretendia roubar? Quantos “trabalhadores” estavam com vc? A partir daí o Fundo Garantidor indeniza a todos que se frustraram em valor igual ao valor pretendido. Valerá o mesmo para expropriadores de agencias bancárias.

  2. Parecido com isso ocorreu comigo em 2019 quando eu e minha esposa fomos baleados, não morri porque não era hora, perdi 40 cm do intestino, sequelas até hoje.
    bandidos foram soltos um ano depois pelo STF, queriam minha pistola chegaram atirando.

  3. DECRETO:
    ACABA DE CRIAR PROCURADORIA ESPECIAL PARA PROCESSAR QUEM CRITICAR POLÍTICAS PÚBLICAS.

    Essas são as funções da nova “Procuradoria Nacional da União da Defesa da Democracia”.

    Ninguém poderá dizer que foi pego de surpresa. Prometeram punir e estão cumprindo! Depois vem aqui uns panacas dizer que comunismo só existe em Cuba e Coreia do Norte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo