Escolha uma Página

Ex-subtenente do Exército, Hélio Negão queria que guardas municipais fossem treinados pelas Forças Armadas
Praças dizem que o deputado se elegeu na onda bolsonarista e nada fez pelas bases

Bruna Lima
O Ministério da Defesa negou sugestão parlamentar do deputado bolsonarista Hélio Negão sob a alegação de ser “contra a lei” e com potencial para causar “impacto negativo e prejuízo ao orçamento”. Ex-subtenente do Exército, Hélio Negão queria que guardas municipais fossem treinados pelas Forças Armadas.
Na proposta, enviada à Defesa em fevereiro, Hélio Negão argumenta que o papel das guardas municipais na Segurança Pública está “ganhando importância” e que a União deveria treiná-los para “ações especializadas” e “tiro”.
O Ministério citou o artigo 12 da Lei nº 13.022, de 2014, que determina que guardas municipais não podem ter o mesmo treinamento de forças militares, como policiais. Além disso, o treinamento, segundo a pasta, causaria impactos financeiros negativos no orçamento, uma pauta cara aos bolsonaristas.
Hélio Negão vem sofrendo pressão de uma parte dos militares, principalmente do Rio de Janeiro. Praças e suboficiais dizem que o deputado se elegeu na onda bolsonarista, usou sua posição de subtenente e nada fez pelas bases.
METRÓPOLES/montedo.com

Skip to content